terça-feira, 25 de julho de 2017

Pobre filho da desembargadora...

Vejam bem, leiam com atenção: ESSE BLOG É SEMPRE PELO PRINCÍPIO DA NÃO-CULPABILIDADE, COMINADO AO PRINCÍPIO DA MENOR INTERVENÇÃO PENAL, ou seja, se possível, até que se prove a culpa, A REGRA É LIBERDADE...

O problema é que essa regra só vale para rico ou para pessoas influentes...

A libertação em sede de habeas corpus é um chute no saco, uma cusparada, um tapa na cara de todos os policiais e da sociedade classe mérdia sádica que vibram quando "os agentes da lei" entram em uma favela para sacudir e esculachar traficantes pobres e pretos, na maioria das vezes, com quantidades de entorpecentes bem mais modestas que os 129 kg encontrados com o filhinho da madame-dotôra...

É mais um caso para juntar na nossa tragicomédia chamada "guerra às drogas"...

E tem "puliça" que se veste de preto, pinta a cara para guerra e sobe o morro "amarradão", segurando as bolas e cantando: 

"this my rifle, this my gun, this for fight and this for fun" 
(como na cena do filme Full Metal Jacket, de Stanley Kubrick)....

Pois é, pois é, caros amigos...

129 kg de maconha e munição para fuzil...

Com certeza Vossas Excelências creem que o moço é um usuário contumaz e com muitos amigos, e que as munições estavam com ele para serem entregues a autoridade mais próxima...

Enquanto houver dúvida, livre-se solto o rapaz, branco e bem nascido...

E tomem "reuniões no Planalto", forças nacionais, recursos, compras estatais, repressão, mortes de policiais, de inocentes ou não...


Somos, definitivamente, um bando de imbecis...

Nenhum comentário: