sábado, 27 de maio de 2017

E na terra dos filhotes da cachorra de guarus, a SUDERJ informa: sai o napoleão da lapa, entra o prefeito jorge mendonça...

Bem, antes do fim de sua curtíssima lua-de-mel com o eleitorado, tudo o que o prefeito virtual da cidade de Campos dos Goytacazes apresentava como justificativa para a completa inércia de seu (des) governo era a "herança maldita"...

Seus correligionários e crédulos apostavam na "complexidade" da tarefa de governar, e reivindicaram um "pouco mais de tempo" para que o time do prefeito se entrosar e mostrar serviço...

Aí o neto do avô pediu 01 (hum) ano...!!!!!!

Seguindo a metáfora futebolística, o prefeito e seu team parecem mais com o Jorge Mendonça...

Jorge Mendonça era um ótimo forward, que em 1978 fora convocado para o scratch de Cláudio Coutinho, que naquele ano disputava em solo portenho o Fifa World's Championship...

Mendonça disputava espaço com outro excelente center-forward que despontava, ninguém menos que Zico...

Pois bem, no início do second half do match com os espanhóis, o coach Coutinho manda Mendonça ao aquecimento...onde ficou por quase todo half time, e só entrou a sete minutos do apito derradeiro do referee...

"Aqueceu por mais de meia hora"...

Daí por diante, o imaginário popular associava qualquer um que "aquecesse muito" e não fizesse nada de prático com a figura do Mendonça...

Essa historieta do mais famoso ludopédio lembra algo?

Pois bem...

Eu já disse antes, realmente não há de se cobrar tanto que o prefeito e seu team (de pernas de pau) façam muita coisa...Isso seria cretinice de nossa parte...

O problema é que se não podiam fazer muito, pelo menos não fizessem tanta MERDA!

Muito ajuda quem não atrapalha, é o que também nos ensina a sabedoria popular...

O resultado da política nazista de cooptação sindical do secre(o)tário brand new brand com o SEPE deu nisso aí, a categoria "atropelou" e "matou" a direção sindical, e agora o brand new brand está sem qualquer interlocutor institucionalizado...

É um idiota mesmo...

No mato e sem cachorro, vai apostar do fator desgaste de um futuro movimento paradista, enquanto faz cara de paisagem (única coisa que sabe fazer), sem qualquer proposta para o impasse, porque "ouviu" a situação da categoria pela boca das comadres do SEPE que queriam apenas lhe adular...

Vaidade, mãe de todos os pecados capitais...

Familiares de alunos e cidadãos e cidadãs campistas, o ano de 2017 está perdido...

Ahhh, e claro, com apenas sete minutos contra a Espanha (1978), Jorge Mendonça quase não tocou na bola....

2 comentários:

Anônimo disse...

Excelente matéria e que ilustra com perfeição a situação atual da cidade.

Anônimo disse...

Parabéns!!! Brilhante colocação!! E 2017 parece que não vai acabar nunca!! Me fez lembrar de Zuenir Ventura!