segunda-feira, 3 de abril de 2017

"Nas guerras, a primeira vítima é sempre a verdade..."

Não me recordo quem fez a citação, mas ela é importante...Alguns remetem a citação a Ésquilo, mas não tenho certeza...mas sua aplicação é sempre útil...

Ontem, ou anteontem, várias pessoas se manifestaram, apressadamente, sobre a morte de um menina em Acari, vítima de um PAF (no jargão policial, projetil de arma de fogo)...

Li lamentos de professoras, mães, e até de acadêmicos com larga experiência sobre os temas de violência urbana carioca e brasileira, todos com enfoque sobre ação policial e etc...

Pois é...apressado come cru e quente...

Primeiro é bom que se diga: conclusões sobre os FATOS, só depois de encerradas as investigações...!!!!!

Ao que tudo indica, o PAF saiu de um fuzil AK-47 (abreviação de Avtomat Kalashniva obatza 1947 goda, ou Arma Automática de Kalashnicov fabricação 1947)...

O AK, como todos conhecem é arma longa de assalto (fuzil) de origem russa, mas produzida em vários países, originalmente com calibre 7,62 mm...

No Rio de Janeiro e Brasil tem uso mais comum de munição 5.56 mm...

Vejam bem, não vi o citado laudo, e nem conheço as apurações, portanto, falo em tese...

Falar sobre polícia, violência e criminalidade é sempre difícil para mim, sem deixar de expor minhas contradições, e com grande dificuldade em ceder a algum tipo de sentimento corporativista ou de solidariedade, pois afinal, é com os policiais que compartilho o perigo a minha vida...

Assim como sou eu, por ser policial civil, que tenho, dentre outras funções, apurar a(s) responsabilidades em cados semelhantes...

Mas vamos lá:

Buscar individualizar as condutas e as culpas é a primeira coisa a se fazer, de forma menos emotiva possível...a emoção cabe a parentes e outras pessoas próximas...

A falsa comoção ou a comoção exagerada em nada ajudam, ao contrário...

Então, sobre culpados ou um culpado, só com o fim da apuração, já dissemos...

O que nos interessa aqui é o que cerca esse trágico evento:

Se a morte de uma menina em uma escola, atingida por um disparo de uma arma de GUERRA só consegue nos levar aos limites dessa histeria irracional, então eu posso dizer: a morte dela e de outras tantas será em vão, como tem sido, aliás...

Uma sociedade que tolera que policiais e criminosos se enfrentem com armas de guerra, como resultado da repressão da venda de entorpecentes, quando essa mesma sociedade tolera e incentiva a venda e o hábito de consumo de outras drogas, tão letais e perniciosas quanto às que proíbe, é no minimo insana...

E mesmo assim, admitindo o direito dessa mesma sociedade em reprimir algumas drogas enquanto tolera outras, mas que imagina que conseguirá fazê-lo cercando favelas e pontos de varejo, enquanto libera helicópteros com toneladas de cocaína, eu diria que não é insanidade, é CUMPLICIDADE ASSASSINA MESMO!

Essa mesma sociedade, ironicamente, vibra, apoia e vota com os governantes que compram (com o dinheiro suado de nossos impostos) helicópteros com armas embarcadastipo .50 ou .60, daquelas que vemos em filmes como Apocalipse Now e outros do gênero, e baba quando vê esses bólidos assassinos e voadores praticando tiro ao alvo nas favelas...

Pois é...e o helicóptero cheio de pó ninguém sabe, ninguém viu...

Nesse sentido, encontrar quem acertou a menina só tem sentido (se é que tem) para o processo penal...

Para nossa sociedade, tanto faz...Somos todos um bando de sádicos, a espera do nova vítima...

Não há polícia cidadã, pacífica ou cuidadosamente britânica (e olha que eles também têm os seus jean charles de menezes) sem uma sociedade que corresponda na mesma direção...

Polícia racista, violenta, classista só acontece como fruto de uma sociedade e um estamento jurídico que agem da mesma forma...


O tiro de AK 47 não nos absolve...todos nós apertamos aquele gatilho, incluindo aí os que correram apressados em culpar os policiais militares, aumentando assim o caldo de ruídos e incompreensões que geram posições cada vez mais extremadas, justificando o ódio e o corporativismo dos policiais contra os setores que formulam os estudos sobre eles e buscam fiscalização e controle de suas ações...

Também somos culpados aqueles que, diante do erro desses acadêmicos de aquário (que nunca sentiram o "calor de uma operação na pista"), partem para o discurso fácil do "bandido bom é bandido morto"....

É um mundo cada vez mais estranho essa...

Nenhum comentário: