domingo, 5 de março de 2017

Um passeio pelo inferno: O dia que usei o sistema público de transporte de Macaé!

Há muito tempo não utilizava o sistema público de transporte de lugar algum, mas depois de ter que usar ônibus municipais e as instalações dos terminais urbanos, e por fim, da rodoviária de Macaé, confesso: 

Se puder, nunca mais!

E não porque sou esnobe ou deteste o convívio com outras pessoas, nada disso!

É uma questão, antes de tudo, prática, de salubridade, e de economia...

Se é verdade que a tarifa de 1 real torna atraente o uso do ônibus, a total falta de conforto e as manobras inacreditavelmente imprudentes dos condutores torna a jornada uma aventura da qual a gente duvida seriamente se vai chegar bem ao fim...

Depois, no Terminal Central, imaginei o que não passam as mulheres, adolescentes, usuários mais velhos, e todos em geral, expostos a sujeira e a ameaça constante de assaltantes...

Já na rodoviária de Macaé, uma das cidades com maior Orçamento per capita do país, precisei usar o banheiro público!

Indescritível...

Funcionários das empresas de ônibus ao perceberem minha indignação e espanto se aproximaram, e talvez para um desabafo, disseram que aqueles banheiros nojentos, sem água, sem portas, com fezes transbordando pelos vasos, os faz sentir como animais...

De acordo com minha esposa, a situação do banheiro feminino estava no mesmo nível ou pior...

Essa é a rodoviária da cidade onde o imbecil, o cretino, o FDP do prefeito paga bônus a PM, e deixa os usuários de ônibus literalmente na merda!

Depois disso tudo, como não bastasse tudo isso, chego a conclusão de os donos da empresa de ônibus 1001 devem ser os que realmente mandam nessa titica de Estado...

Passagens caras, ônibus caindo aos pedaços, atrasos de mais de quinze minutos, enfim, o caos!

Com o preço de duas passagens, cerca de 70 reais, pagaria combustível suficiente para uma viagem de carro...

Aí cheguei em Campos dos Goytacazes...e na rodoviária daqui, nada foi diferente...

Fiquei com aquela raiva, aquela sensação ruim que imagino que só passaria se pudesse pegar os dois prefeitos, de Macaé e de Campos dos Goytacazes, e agarrar o pescoço de cada um e enfiar suas cabeças nas privadas dos banheiros das rodoviárias que eles oferecem ao público...

Quem sabe um dia?

Um comentário:

Adriana Lima disse...

Imagina usar isso todo dia?
E pior. Observei há poucos dias, na rodoviária de Campos, que os funcionários não tem espaço para almoçar. Eles almoçam dentro dos banheiros.
Um horror. :/