terça-feira, 28 de março de 2017

E na terra dos filhotes da cachorra de guarus: o prefeito-führer quer virar governador?

Olha minha gente, todo mundo sabe que não acredito em deus, mas nesse eu vou apelar: valha-me deus!!!

Será que ao alcaide local começou a delirar, assim como o sociopata de Macaé, que também é agora conhecido como "maria-batalhão", pelo papel ridículo no uso do dinheiro e dos direitos dos servidores e da população de Macaé para fazer "média" com os policiais militares do 32º BPMERJ?

Detalhe: uma fonte me confidenciou que na última semana, o Hospital Público de Macaé teve que implorar ao fornecedor de soro para entregar algum suprimento daquele material, haja vista que o município deve mais de 200 mil reais em faturas atrasadas...ou seja, o prefeito de lá deu dinheiro que não tem...ou alega não ter...

Sim, a exposição acentuada dos dois prefeitos não é só um cacoete de egolatria, mas uma estratégia pensada para ocupar o atual vácuo na política fluminense, seja pela falsa crise criada para extorquir servidores e a população, e privatizar o que resta de patrimônio estatal, seja pela temporada de caça aos políticos pelos integrantes da seção local da República do Paranazismo...

Só isso explica tanta viagem do pequeno-führer a Brasília...Só isso explica os atos de irresponsabilidade orçamentária do prefeito de Macaé...

A pergunta que  nos interessa em Campos dos Goytacazes é: com que dinheiro o neto do avô anda passeando na Capital Federal? 

Essa desculpa esfarrapada de agendas inócuas com "otoridades" do governo federal golpista já não serve mais...

Está claro para todos nós, que temos mais de dois neurônios (ao contrário do séquito de imbecis que o idolatra), que tais escapadas da planície ao planalto são para dar algum estofo ao líder dos filhotes da cachorra de guarus...

O fruto podre da jaqueira está de olho grande, e bem maior que sua barriga...




Um comentário:

Anônimo disse...

Praticamente impossível trabalhar num ambiente tão triste e desagradável como SMEC...Vontade de sumir!Estou de olho e não abro mão de meu trabalho, pois não preciso de ficar babando esse bobo do secretário! O clima é de nojo!