quarta-feira, 29 de março de 2017

De rafael a dória, de aluízio a trump, os quatro cavaleiros do apocalípitico lawfare...

Há uma tendência natural do ser humano que é concentrar sua atenção às particularidades que o rodeiam, desprezando um olhar mais amplo, e recorrendo ao imediatismo como forma de análise da realidade posta...

Desde a eleição esmagadora do prefeito local, o herdeiro da nossa mais atrasada oligarquia, que remonta hábitos seculares como escravagismo e concentração brutal de renda, através da histórica manutenção da desigualdade no campo, e depois na cidade, eu comecei a tentar entender esse fenômeno para além das minhas fuças...

Pausa para o detalhe: para os que gostam de imaginar a barbárie da escravidão como algo longínquo, é bom lembrar os recentes episódios de inclusão de empresários locais nas listas de trabalho escravo, sendo certo que alguns deles sofreram, inclusive, condenação pelos crimes praticados contra as relações de trabalho...

Claro que me faltam as ferramentas certas, assim como distanciamento científico para tanto, mas o meu empiricismo me permite constatar alguns pontos...vamos a eles...

Não dá para deslocar a eleição do atual prefeito, nosso pequeno-führer, dos movimentos globais de reação conservadora pós 2008, onde pululam exemplos de ganho de força política desses setores de extrema-direita na Europa, passando pela eleição de trump nos EUA, e enfim, dentre tantos outros episódios, poderíamos incluir a eleição do imbecil do dória na capital de SP...

Aqui na terra plana não foi diferente, e na cidade vizinha, Macaé, o prefeito sociopata de lá ratificou seu mandato com esmagadora votação, apesar da agenda explicitamente anti-social e com ataque direto aos servidores daquele município...

Estamos vivendo uma nova onda conservadora? É possível...

O argumento que reforça essa percepção não pode ser desprezado: todos esses candidatos eleitos tiveram forte empurrão dos setores policiais, de vigilância, judiciário e das promotorias desses territórios eleitorais...

Ou pelo vazamento de questões comprometedoras, mas nunca realmente provadas, como o caso do FBI com os e-mails de Hillary, seja no diuturno ataque sofrido pelo prefeito Fernando Haddad (PT) pelo braço tucano no ministério público, tanto quanto pelo impedimento, em Macaé, pela (in)justiça eleitoral do registro da candidatura de Riverton Mussi, ex-prefeito e principal adversário do atual prefeito de lá, como, enfim, aqui na terra plana de lama, com a intervenção da secção local da república paranazi no pleito...


Essas ações são hoje conhecidas como lawfare, ou na minha pobre definição, um Estado aparentemente estruturado em normas constitucionais, mas que submete as interpretações dessas normas a um estamento jurídico-policial-midiático comprometido principalmente com uma agenda política específica e partidarizada e muito menos com a reformulação dos hábitos na condução e gestão dos recursos públicos, apesar de utilizar-se desse conceito como propaganda para legitimar seus atos de exceção...

Desse jeito, as relações promíscuas dos promo(a)tores paulistas e o tucanato, passando pelas rusgas da espionagem estadunidense com os democratas têm íntima relação com a "paciência" dos órgãos de persecução locais com às flagrantes irregularidades já acumuladas no início da gestão atual do neto do avô...
Do mesmo modo que as patacoadas do prefeito macaense pagando policiais, fazendo sede para a puliça do psdb (pf) naquela cidade, e com a cessão de centenas de funcionários do insuficiente e combalido quadro de servidores a instituições policiais, ao judiciário e mp não são mera coincidência...

São atos de reverência ao novo status quo...

Outro dia escrevi aqui que os prefeitos de Campos dos Goytacazes e de Macaé, possivelmente, se enfrentarão na disputa pelo Governo do Estado, e de certa forma, esse texto de hoje é a parte final daquelas considerações...

Muita gente me disse que não acreditava nessa possibilidade, haja vista o baixo peso eleitoral dos pretendentes...

Eu gostaria de lembrar que nossa atual conjuntura subverteu de forma dramática a lógica com a qual construímos nossa percepção sobre capital e viabilidade eleitoral...

Pergunto: há um ano atrás alguém, por mais otimista que fosse, imaginava o resultado das eleições em Campos dos Goytacazes?

Provavelmente ninguém, e a julgar pelo fiasco do atual (des) governo, nem o próprio vencedor e sua equipe do reino da imbecilândia...

A abusiva e desmedida intervenção do judiciário nas questões político-partidárias, muito além do que seria justo imaginar como ação legítima de combate e controle aos crimes de colarinho branco, gerou um vácuo que vem sendo ocupado por perfis conservadores que sabem manipular os instintos mais primários dos eleitores...

Por isso que ao fantasiar-se de gari, o idiota do dória não se preocupa em nada com a avaliação de eleitores com compreensão mais acurada do processo político, mas sim em agradar ao mais baixo e primitivo senso comum, ainda que esses pobre diabos sofram na pele os resultados das políticas anti-sociais do prefeito de lá...

Algo parecido acontece por aqui...

Diante disso, eu recomendo, não desprezem a capacidade desses fascistas em seduzir o eleitorado...

Hoje, como nunca antes, para eleger-se, grosso modo, primeiro é preciso ter o controle dos esquemas do lawfare e das milícias policiais, bons financiadores (como sempre), compadrio da mídia (como sempre) e depois, muito depois, sair a caça dos votos...

4 comentários:

Anônimo disse...

Dória o melhor prefeito do Brasil. Que aliás ganhou a eleição daquele lunático, com o qual você simpatizava, que queria que a bicicleta fosse um importante meio de transporte na cidade de São Paulo, puta que pariu. E que você idolatrava... Claro ele é petista e todo petista é competente e honesto. Só faltou avisar aos eleitores de São Paulo. Ainda bem. Dória, administração pra marcar a história.

douglas da mata disse...

Tens razão, os holandeses são todos lunáticos, incluindo aí chineses...

Seu boçal, animal de rabo, Haddad nunca pretendeu que o modal bicicleta fosse o ÚNICO na cidade, só os desonestos como você inferem a ele essa pretensão...

Sua luta pela inclusão do modal bicicleta buscava abrir o debate sobre a impossibilidade factual de manter os modais atuais na capital de SP, sem a inclusão de outras modalidades...

Lembre-se animal, Hitler teve um bocado de votos, assim como tantos outros idiotas e fascistas, claro eleitos por gente como você e outros desavisados...

Agora os paulistas enchem as marginais e os necrotérios e hospitais com as medidas "jeniais" do imbecil dória no tema mobilidade urbana...e claro, o resultado do aumento da velocidade nas vias expressas não aparecerá NUNCA...

Vá tomar no seu cu, arrombado filho da puta...aqui não, mal parido de merda...

douglas da mata disse...

Não adianta espernear, e para mostrar que sou um cara que possibilita a ampla defesa, vou publicar suas ofensas, desde que você me forneça nome, endereço completo, para que eu possibilite a você dizer na minha cara o que pensa a meu respeito...

No anonimato é fácil...

Então, estou aguardando...embora saiba que sua coragem se resume ao teclado...

Anônimo disse...

Trabalho na SMEC,e os próprios protegidos do secretário falam mal de sua gestão......Está sendo o maior desastre para educação!