segunda-feira, 20 de março de 2017

A carne e o jornalixo...

Engraçada a ginástica matinal dos gangsteres da g(r)obo...

O caso da carne é de morrer de rir, ou de chorar, levando-se em conta que os otários somos nós...

Depois de atacar com alguma força seus principais anunciantes, a empresa da famiglia mafiosa da comunicação, depois de bos argumento$$$ (é claro), passou a veicular matérias para tentar conter os danos feitos àquelas empresas...

Ontem falamos sobre o tema, aqui...

E dá-lhe os golpistas a tentar apagar o incêndio do "fogo amigo"...

O imbecil do ministro da agricultura foi de uma estultice sem par...Instado a responder porque não sabia de nada, ele tascou: "a investigação foi sobre o ministério da agricultura, logo, eu não fui avisado"...

Porra, como assim?????

Então o escalão máximo da pasta (o ministro) poderia vazar algo aos subordinados e ameaçar as apurações????

Tutti buona genti...


Depois, no embalo, os cretinos da mídia passaram a tratar da nova fronteira sob ataque do capital privado...

O tratamento de resíduos sólidos urbanos, ou seja, coleta e descarte do lixo...

Não satisfeitos com o modelo atual terceirizado que já drena bilhões de reais em contratos suspeitos, os sicários da mídia agora tentam a velha tática: denunciar a situação precária de algumas cidades, e no contraponto mostram  "sucesso" da gestão privada sem a participação estatal...

E olha que o atual modelo já é uma merda, como é o caso do contrato de coleta e tratamento de lixo de Campos dos Goytacazes, que inclusive perdura maravilho$amente desde mocaiber até hoje, sem questionamento...

Ou seja, uma sacanagem suprapartidária...


7 comentários:

Anônimo disse...

Douglas, concordo contigo na sua análise.

Gostaria, assim que for possível, que você lesse isso:

"Entretanto a 'Carne Fraca' dos delegados fascistas não serve somente aos objetivos das transnacionais da proteína ianque, visa quebrar uma "rica" fonte de financiamento das campanhas eleitorais da Frente Popular. Todos sabem que a JBS foi transformada no governo Lula, de um simplório açougue familiar a uma gigante mundial na produção de carne, pela via de uma série de financiamentos bilionários do BNDES.

Sem o dinheiro das empreiteiras e do agronegócio, agora sob o cerco da PF, o PT não tem como bancar suas campanhas eleitorais milionárias, podendo ficar reduzido a um quinto de sua nutrida estrutura logística.

É claro que LULA continua a possuir um importante potencial eleitoral para 2018, praticamente já garantindo sua presença no segundo turno presidencial. Mas sem o aporte material e político da acuada burguesia nacional, o PT não conseguirá retornar ao Palácio do Planalto, pelo menos em um curto período histórico."

douglas da mata disse...

Olha, não tenha dúvidas que os setores empresariais escolhidos para serem alvos da farsa-jato têm histórico de contribuições com as campanhas do PT...

No entanto, esse financiamento (eleitoral) sempre é diversificado, ou seja, apostam em todas as candidaturas viáveis (ver caso Odebrecht)...

Quanto a informação de que a JBS surgiu no governo Lula é besteira: nenhum negócio alcança tal escala mundial saindo de uma mera rede de açougues em tão pouco tempo...

Já a presença no BNDES com indutor das grandes "campeãs" nacionais não é novidade (Lula sempre acreditou nisso), nem muito menos é fato inédito na história, pois as grandes empresas estadunidenses tornaram-se o que são através dos favores de Washington...

Anônimo disse...

Valeu.

Anônimo disse...

Douglas vc sempre foi e será muito inteligente! Amo seu blog!

Anônimo disse...

A alavancagem do grupo J&F (JBS, Eldorado, Flora e outras) teve, sim, muito dinheiro do BNDES, mas não só isso. O mercado de desossa e venda de carne in natura tem baixo retorno (média de 1,5%) e precisa ter escala e muita sinergia, senão fica no prejuízo. O que o BNDES fez na crise de 2008/2009 foi acompanhar impassível a agonia e falência de muitos frigoríficos para que a JBS os arrematasse na "bacia das almas", tendo caso em que o próprio BNDES arcou com prejuízo, tudo em prol do escolhido pelo Lula como "Campeão Nacional". Muitas unidades frigoríficas foram compradas para serem fechadas e muito negócio nebuloso houve por trás disso e muito sofrimento foi impingido a trabalhadores, para que fosse possível erigir este império da carne.

Anônimo disse...

https://www.brasil247.com/pt/247/brasil/287237/Centrais-sindicais-convocam-greve-geral-para-28-de-abril.htm

douglas da mata disse...

Meu filho, deixa de ser burro, leia minha resposta a você:

Eu confirmei parte do que você disse, e escrevi que Lula sempre acreditou no Estado como indutor dos chamados mega-grupos, ou "campeões nacionais"...

Sua cultura fordista é a base para essa crença...

O que discordei, e ainda discordo, é dizer que a JBS saiu de uma rede de açougues para a mega empresa que é hoje apenas no período Lula, isso é impossível...

O que você descreveu no caso da JBS é a própria história do capitalismo, e Lula nunca disse que implantaria o paraíso socialista na terra, ao contrário, desde 1980 ele sempre disse que seu objetivo era melhorar as condições do capitalismo nacional, e olha que nem assim o deixaram em paz...