terça-feira, 28 de fevereiro de 2017

Lula e o improvável: um dilema da esquina de 2018...

Alguém já disse que o Brasil não é para amadores...de certo, nenhum país é, considerando as especificidades e complexidades de cada processo histórico que resulta no arranjo de cada projeto nacional...

Mas o Brasil guarda tintas mais dramáticas, talvez por toda sua exuberância, talvez pela auto-imagem que fazemos de nós mesmos, e por muito mais...

Agora estamos com um provável dilema bem a frente, que desafia nosso parco edifício civilizatório...Eu diria trilema, e até tetra-lema, mas vamos deixar por menos!

O cretino da extrema-direita, o deputado vocalizador da misoginia e da violência policial surge como alternativa factível ao pleito presidencial...

Uma aberração? Um retrocesso? Um ponto fora da curva? 

Porra nenhuma...

Nessa República de cento e vinte e sete anos, temos poucas décadas de regimes eleitos, e isso não quer dizer que esses anos a eleição poderia ser considerada democrática, afinal, parte da República chamada de Velha foi sob regime de voto de cabresto, e o voto analfabeto é coisa recente...de 1985... 

Nossas soluções autoritárias são regra, e não exceções...

A violência contra mulher, a justificativa do estupro pela criminalização da vítima, o mote "bandido bom, bandido morto" são temas que transcorrem com facilidade desde as camadas mais ricas até as mais pobres, no nosso estranho consenso (trans) classista...

Então, o símio da direita não é uma novidade, e convenhamos, é somente uma simplificação rasteira de outros personagens muito mais inteligentes, mas não menos perigosos, que teve no lacerdismo seu maior expoente...

Antes de virarem piada nacional, os camisas verdes (galinhas verdes) tiveram peso considerável na disputa pela primazia das manifestações de rua, e do espectro político nacional, muito em parte devido a onda totalitária que varreu o mundo e seduziu até boa parte da direita dos EUA, simpática as teses eugenistas, racistas e xenófobas de Hitler e Cia...

Porém, a pergunta que se fazem todos os atores do cenário político nacional (e os observadores internacionais) é até onde esse fenômeno pode ir...

Difícil prever...

O fato é que existe um nova onda conservadora mundial, e que no Brasil está criando não apenas um novo polo, uma nova referência, mas sim uma exacerbação extremista que poderá ter desdobramentos incontroláveis, inclusive para os planos da direita de ganhar eleições...

Uma repetição farsesca do descontrole do equilíbrio geopolítico proporcionado pela ascensão de regimes totalitários no pós-crise de 29...

Talvez essa seja a tática: alterar os ânimos de tal forma a criar ambiente para intervenções de força...Quem sabe?

Podemos dizer, grosso modo, que o potencial de crescimento do gorila da direita é bem parecido com Lula...

Ele fala o discurso dos mais pobres (sim, os pobres são extremamente conservadores nesse país), pode apresentar uma agenda nacionalista, reivindica o monopólio da tese da ordem por sua militância junto aos agentes da segurança pública, enfim, acena com uma plêiade de argumentos contraditórios, que se movem ao gosto da audiência...

Soa familiar? Sim, mais ou menos como trump....mas ao contrário do milionário estadunidense, com o élan da caserna, com a expertise da selvageria policial...

A questão central nas próximas eleições (se houver eleições) é o comportamento dos setores médios e de parcela da elite nacional...

Sim, por mais estranho que pareça, novamente estamos reféns desses midiotas que amamos odiar...

É deles que dependerá o sucesso ou o insucesso das pretensões lulistas nas próximas eleições...

Explico...

Se a classe mérdia e parcela da elite que não aderiu ao chamamento dos primatas da direita, como inclusive vêm vociferando um colonista do esgoto que os chama de direita chucra, é por medo do que essa alternativa representa...

Nos círculos mais ricos e mais bem informados, há certo medo de que os primatas da direita acabem inclusive por ameaçar as relações de subordinação com a Matrix, os EUA...

Sendo assim, atendendo aquele jargão de que as pessoas votam (ou mudam) por esperança ou por medo, parece que, ao contrário de 2002, quando a esperança foi o sentimento majoritário, a aposta em Lula se dê por medo...

Tudo vai depender da capacidade dos animais da direita em suavizar suas posições e convergir para o centro, ao mesmo tempo que dependerá da capacidade de Lula e do PT disputarem mais uma vez esse espaço, agora feridos e com o rancor arquivado do golpe em Dilma...

Caso o PT e seus aliados optem por uma radicalização, uma guinada à esquerda, os setores de centro podem se abrigar no outro extremo, por necessidade óbvia de sobrevivência e medo às retaliações...

No entanto, a busca pelo centro pelo PT pode fraturar a sua frágil coalizão política, e mais, não resultar no que se espera...

A busca pelo centro pode acarretar ao PT a perda do pouco que têm, e não ganhar o que espera...

Não é missão fácil a que se coloca para Lula daqui por diante...

4 comentários:

Anônimo disse...

http://www.jb.com.br/pais/noticias/2017/02/23/forbes-investidores-analisam-possibilidade-de-lula-vencer-em-2018/

Anônimo disse...


O Brasil Não É para Amadores
Castor,Belmiro Valverde Jobim
Travessa dos Editores

Este livro de Belmiro Valverde Jobim Castor é o instrumento preciso e bem elaborado para entender esta pátria de chuteiras, esta nação que foi capaz de realizar um dos mais impressionantes processos de crescimento econômico, apesar de suas elites, que navegam em mar raso e cultuam o atraso.

douglas da mata disse...

O texto do JB é um dos mais escrotos que li ultimamente, trazendo de volta a mesma chantagem de sempre...

Todavia, ler esse lixo nos dá uma dimensão dos ânimos de parte dos jogadores do processo...

Anônimo disse...

Olá Douglas,

Muito boa essa sua discussão sobre uma possível ou provável disputa de Lula novamente pelo Planalto, sabemos que esses índices demonstrados nas pesquisas dificilmente resistirão as ferozes campanhas de marketing dos demais partidos, mas sem dúvidas, é algo que chama a atenção porém não me surpreende, por mais que falem que somos esquecidos esta não é uma verdade imutável, o povo reconhece a melhoria de vida alcançada nos governos do PT, por isso ainda que perca receberá uma votação expressiva. Um grande exemplo é o PSDB que sempre foi muito bem votado em todas as eleições que perdeu, o povo reconhece e atribui ao partido o fim do maior pesadelo dos mais pobres que foi a hiperinflação.

Mas Lula tem um grande problema a ser resolvido que é o poder judiciário, embora acho que nenhum dos juízes de 1° grau que o estão julgando decretarão sua prisão, acho que apoiados pelo recente entendimento do STF deixarão essa tarefa para os respectivos TRFs, evidentemente supondo uma possível condenação, você deve saber melhor do que eu se o TRF apenas confirmar uma possível condenação entendo que não seria o suficiente para impedir o seu registro, mas se houver uma decretação de prisão não sei como ficaria.

Quanto as alianças vai ser muito interessante para quem gosta de estudar a nossa democracia, verificar como se desenhará esta futura eleição.

Marcos