terça-feira, 28 de fevereiro de 2017

Lula e o improvável: um dilema da esquina de 2018...

Alguém já disse que o Brasil não é para amadores...de certo, nenhum país é, considerando as especificidades e complexidades de cada processo histórico que resulta no arranjo de cada projeto nacional...

Mas o Brasil guarda tintas mais dramáticas, talvez por toda sua exuberância, talvez pela auto-imagem que fazemos de nós mesmos, e por muito mais...

Agora estamos com um provável dilema bem a frente, que desafia nosso parco edifício civilizatório...Eu diria trilema, e até tetra-lema, mas vamos deixar por menos!

O cretino da extrema-direita, o deputado vocalizador da misoginia e da violência policial surge como alternativa factível ao pleito presidencial...

Uma aberração? Um retrocesso? Um ponto fora da curva? 

Porra nenhuma...

Nessa República de cento e vinte e sete anos, temos poucas décadas de regimes eleitos, e isso não quer dizer que esses anos a eleição poderia ser considerada democrática, afinal, parte da República chamada de Velha foi sob regime de voto de cabresto, e o voto analfabeto é coisa recente...de 1985... 

Nossas soluções autoritárias são regra, e não exceções...

A violência contra mulher, a justificativa do estupro pela criminalização da vítima, o mote "bandido bom, bandido morto" são temas que transcorrem com facilidade desde as camadas mais ricas até as mais pobres, no nosso estranho consenso (trans) classista...

Então, o símio da direita não é uma novidade, e convenhamos, é somente uma simplificação rasteira de outros personagens muito mais inteligentes, mas não menos perigosos, que teve no lacerdismo seu maior expoente...

Antes de virarem piada nacional, os camisas verdes (galinhas verdes) tiveram peso considerável na disputa pela primazia das manifestações de rua, e do espectro político nacional, muito em parte devido a onda totalitária que varreu o mundo e seduziu até boa parte da direita dos EUA, simpática as teses eugenistas, racistas e xenófobas de Hitler e Cia...

Porém, a pergunta que se fazem todos os atores do cenário político nacional (e os observadores internacionais) é até onde esse fenômeno pode ir...

Difícil prever...

O fato é que existe um nova onda conservadora mundial, e que no Brasil está criando não apenas um novo polo, uma nova referência, mas sim uma exacerbação extremista que poderá ter desdobramentos incontroláveis, inclusive para os planos da direita de ganhar eleições...

Uma repetição farsesca do descontrole do equilíbrio geopolítico proporcionado pela ascensão de regimes totalitários no pós-crise de 29...

Talvez essa seja a tática: alterar os ânimos de tal forma a criar ambiente para intervenções de força...Quem sabe?

Podemos dizer, grosso modo, que o potencial de crescimento do gorila da direita é bem parecido com Lula...

Ele fala o discurso dos mais pobres (sim, os pobres são extremamente conservadores nesse país), pode apresentar uma agenda nacionalista, reivindica o monopólio da tese da ordem por sua militância junto aos agentes da segurança pública, enfim, acena com uma plêiade de argumentos contraditórios, que se movem ao gosto da audiência...

Soa familiar? Sim, mais ou menos como trump....mas ao contrário do milionário estadunidense, com o élan da caserna, com a expertise da selvageria policial...

A questão central nas próximas eleições (se houver eleições) é o comportamento dos setores médios e de parcela da elite nacional...

Sim, por mais estranho que pareça, novamente estamos reféns desses midiotas que amamos odiar...

É deles que dependerá o sucesso ou o insucesso das pretensões lulistas nas próximas eleições...

Explico...

Se a classe mérdia e parcela da elite que não aderiu ao chamamento dos primatas da direita, como inclusive vêm vociferando um colonista do esgoto que os chama de direita chucra, é por medo do que essa alternativa representa...

Nos círculos mais ricos e mais bem informados, há certo medo de que os primatas da direita acabem inclusive por ameaçar as relações de subordinação com a Matrix, os EUA...

Sendo assim, atendendo aquele jargão de que as pessoas votam (ou mudam) por esperança ou por medo, parece que, ao contrário de 2002, quando a esperança foi o sentimento majoritário, a aposta em Lula se dê por medo...

Tudo vai depender da capacidade dos animais da direita em suavizar suas posições e convergir para o centro, ao mesmo tempo que dependerá da capacidade de Lula e do PT disputarem mais uma vez esse espaço, agora feridos e com o rancor arquivado do golpe em Dilma...

Caso o PT e seus aliados optem por uma radicalização, uma guinada à esquerda, os setores de centro podem se abrigar no outro extremo, por necessidade óbvia de sobrevivência e medo às retaliações...

No entanto, a busca pelo centro pelo PT pode fraturar a sua frágil coalizão política, e mais, não resultar no que se espera...

A busca pelo centro pode acarretar ao PT a perda do pouco que têm, e não ganhar o que espera...

Não é missão fácil a que se coloca para Lula daqui por diante...

domingo, 26 de fevereiro de 2017

Direto e reto!

Lendo um colonista de uma mídia de esgoto local, eu só posso dizer o seguinte:

Vá à merda, Dom Rifan!

É preciso lembrar a ele que as piores orgias foram protagonizadas pelos papas antigos, e que o estupro e pedofila são atos comuns em conventos e ordens religiosas, tudo cuidadosamente abafado pela cúpula da igreja católica até bem pouco tempo...

Os causos do padre rosário, conhecido por apalpar meninos no colégio eucarístico são famosos...

Então, novamente, vá à merda, Dom Rifan...


Atualizado para retirar trecho com possível conotação homofóbica.

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2017

O desmonte do Carnaval de Campos dos Goytacazes II...

Esse texto é um complemento de outro escrito aqui...

Olhando as cidades vizinhas podemos observar que o processo de artificialização e sufocamento das manifestações populares do Carnaval não ficaram restritas aqui, e tiveram um ponto em comum:

Todas as cidades onde o Carnaval sucumbiu como festa de inciativa popular tiveram significativa concentração de recursos via recebimento de royalties...

Cito principalmente Macaé, Rio das Ostras e Cabo Frio...

A maioria dos cientistas sociais ( mormente os economistas, um ramo para-científico dedicado a quiromancia) consegue enxergar que essa enorme quantia de recursos, além de não proporcionar a esperada "redenção regional", causou sérios danos ao tecido social e a já combalida dinâmica econômica existente...

Ou seja, além de não criar nada, além de concentrar riqueza nas mãos dos poucos de sempre, os royalties ainda mataram o que tentava resistir no entorno...

No campo social e das manifestações culturais não foi diferente...

Houve uma "prefeiturização" de todas as iniciativas com a chegada da indústria de produções culturais de massa (a era dos shows, que teve seu ápice com o prefeito-canecão, arnaldo vianna), que ceifou e aniquilou boa parte da espontaneidade local...

Todos sabemos que essa escolha não foi só estética, mas atendia também a demanda por desvios para captação de recursos para o benefício dos governantes e seus agentes delegados...

Ao mesmo tempo, surgiu uma hierarquia do dinheiro, que legou os artistas locais a se contentar com as migalhas e tratamento diferenciado desde a contratação até o pagamento, além da "seletividade" típica de relações promíscuas que beneficiava os artistas amigos do poder, segregando os que não rezavam na mesma cartilha...

Com a briga por migalhas, os artistas locais, em nome da sobrevivência, tentam se encaixar a qualquer custo ao gosto dos mecenas estatais...

Essa "prefeiturização", que também pode ser chamada de dirigismo cultural, anestesiou o tecido cultural criativo ao ponto da total flacidez...

Tal fenômeno, é claro, chega com força no Carnaval...

A apropriação do Carnaval pelas chamadas entidades representantes, verdadeiros cafetões das agremiações, submeteu o apelo popular da festa a uma lógica mercantil...

Tudo bem, o Rio de Janeiro também experimentou essa mercantilização, essa transformação da festa de seu caráter artesanal para indústria em escala...

Pode-se questionar a "originalidade" do Carnaval carioca (se bem que em se tratando de Cultura, a ideia de originalidade sempre resvala na fraude), mas nunca sua realização bem sucedida...

O problema é que aqui, a mercantilização da festa resumiu-se ao seu empobrecimento, tanto financeiro quanto estético, onde os "intermediários" (as entidades representativas) cumpriram a triste missão de tornar a festa popular em um fiasco que justificasse seu abandono pelos governantes...

Imagine o desfile das Escolas de Samba do Rio deslocado da Marques de Sapucaí para a Barra da Tijuca...

Foi mais ou menos o que fizeram nessa cidade...

Toda manifestação social e cultural depende em boa parte de seu enraizamento territorial, sua concepção de pertencimento, seu lugar...

Geralmente quando se arranca essa manifestação do seu local de origem, com raiz e tudo, nada sobra...

Anos a anos serão necessários, para que a resistência popular traga de volta a festa...ou não.



Campos dos Goytacazes urgente: está na rua o bloco dos filhotes da cachorra de guarus!

Na bateria do mestre vereador bonecão do posto, a rainha de bateria é a controladora do Telhado de Vidro...

A alegoria é um avião preto...

A porta-bandeira é a secretária de saúde, com um adorno de cabeça igual a cabeça-de-bacalhau...afinal, a secretária deve existir, difícil é vê-la em ação!

Tem como destaque o vereador Walter Ego, aquele que tem orgasmos quando ouve o próprio nome...o moço vem fantasiado de Narciso...

O rapaz da Odebrecht vem como diretor de (des)harmonia, vem obviamente fantasiado de irmão metralha...

O pessoal da fazenda é um caso à parte...Para evitar que surrupiem as carteiras dos demais integrantes, foram confinados em um carro alegórico chamado: O Assalto ao Trem Pagador!

No abre-alas, o prefeito-führer vem em um lindo figurino que mistura a farda do Adolph Hitler com adornos estilo Priscila a Rainha do Deserto...

Como cortesia especial da empresa fabricante de cerveja NaBunda, o povo das arquibancadas vai receber 10.000 latinhas para poder seguir tomando NaBunda!


quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

Matanza - Clube Dos Canalhas (ao vivo)

No meu REDA ou no seu?

Se alguém antes tinha dúvida, o mote, o slogan que simboliza esse (des) governo é: 

Façam o que falo, mas nunca o que faço...

Antes os acólitos do pequeno-führer, enquanto posavam de rábulas de jornal, atacaram veementemente toda e qualquer contratação sem concurso...

Ok, ok, ok, era uma posição acertada, em princípio, se bem que nada pode ser considerado sem chance de observar as exceções, como ensina qualquer curso de Direito por correspondência...

Agora, na toada esqueçam o que escrevi ou disse, o atual (des) governo resolveu utilizar a mesmíssima solução que antes criticava dia sim, outro também...

Eu não sei, acho que não é uma questão de incompetência, mas sim de total falta de caráter, tipo vergonha na cara mesmo...

Virou uma grande suruba esse (des)governo, então contribuinte, como é sempre nós que nos fodemos, uma mão na boca e outra no cu e sai correndo...

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

Um governo sem projeto e sem rumo: Campos dos Goytacazes, a terra dos filhotes da cachorra de guarus, uma cidade à deriva!

Virou lugar comum nos imbecis que pularam na barca do pequeno-führer adotarem o seguinte posicionamento frente às críticas:

- Desqualificar a crítica partindo do pressuposto que o crítico é aliado dos patetas da lapa;
- Dizer que encontraram tudo um caos e;
- Pedir tempo...

Ok, ok, ok...eu entendo que há uma demanda simbólica a ser cumprida por quem ocupa o governo, principalmente quando ganha eleições que não esperava ganhar, e se ganhasse, nunca com a vantagem obtida...

O tom da voz da urnas que reveste o mandato do atual prefeito é claro: 

Prometeu milagre, queremos milagre!

O problema central dos cretinos do atual governo não é o tempo, ou a situação (caótica, eu imagino) encontrada...

A questão crucial é que esse governo não tem um programa, um projeto, uma meta sequer que tenha sido explicitada na campanha, e muito menos anunciada na posse...

Nada...eu repito...nadica de nada...

Nenhuma meta ou programa para Educação, Saúde, Agricultura, nada...

Só os decretos de corte, muito oba-oba, fotos e poses...

Então é muito difícil, seja em um ano ou em um mês chegar a algum lugar, ou melhor, iniciar o trajeto se não se tem nenhuma direção...

Volto ao exemplo da Educação, que junto com a Saúde foram os alvos prediletos do atual alcaide quando oposição...

Há em vigor uma lei municipal, de número 8653/2015, que tem um anexo, onde estão estampadas todas as metas do chamado Plano Municipal de Educação, tudo em acordo com o Plano Nacional de Educação...

Os detalhes estão aqui...

O que salta aos olhos e espanta é a total ignorância desse importante dispositivo legal, onde estão dados sobre a evolução do atendimento público da área, as projeções, as metas, enfim, um roteiro...

E o secre(o)tário desde que tomou posse, além de dar desculpa esfarrapada para sua própria incompetência, sequer chamou os setores envolvidos, como comunidades de pais, trabalhadores da Educação, etc, para avaliar a possibilidade e viabilidade daquele compêndio legal, que por sua natureza, impõe seu cumprimento, ou pelo menos, manda tentar cumprir...

Vai chegar o prazo pedido pelo prefeito boboca e nada vai mudar, porque simplesmente ele e sua entourage não sabem de porra nenhuma, e não tem nenhuma proposta em mãos para submeter à sociedade...

Aí, no desespero, ficam os coxinhas baba-ovo dizendo que a culpa é do napoleão da lapa, do ISIS, da CIA, da Rússia, do trump e dos carai...

terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

O senador, as páginas amarelas e os sinais de futuro próximo...

Há muitos sinais pululando na conjuntura atual, e aos mais desavisados, esses sinais podem parecer ambiguidade...

Não são...

Quem se lembra um pouco da História recente desse país, a partir de 2002 (ou 2001, não lembro exatamente), precisamente quando foi lançada a Carta aos Brasileiros (que é por muitos considerada a certidão da nascimento do governo de coalizão petista, ou de óbito da esquerda para os mais afoitos) sabe ao que estou me referindo...

Quem conhece Lula e sua história também sabe...

Naquele documento se encontravam a natureza conciliadora de Lula, forjada nas negociações de classe com o patronato mais atrasado do mundo (em todos os sentidos), sua crença no capitalismo fordista misturado ao reformismo keynesiano, com o deslocamento do PT para o centro conservador da política nacional...

Não que o PT já não carregasse o gérmen do conservadorismo com seu discurso classe mérdia moralista, um dos fatores que deu alimento a escalada autoritária dos órgãos judiciais e ministeriais desde 1988...

Mas naquele momento o PT fazia uma inflexão que, ao mesmo tempo, largava o moralismo eclesial de base cristã (classe mérdia) e sua agenda radical estatizante anti-mercado/globalização para se inserir no campo da "viabilidade" exigida pelos cafetões nacionais do mercado: A mídia e a elite sócia menor dos seus congêneres mundiais...

Dali para a frente realizamos uma tímida reforma nos escombros do capital, o que já foi suficiente para catapultar o já carismático líder a estratosfera do imaginário político das classes pobres, a ponto de fazer seu capital político resistir ao mais sangrento, sistemático e covarde ataque a reputação de uma pessoa pública em toda a História do Brasil, quiça do mundo...

Os que se assustam com a entrevista do senador pernambucano (ele mesmo alvo de várias injúrias e outros ataques a sua honra pela mídia que visitou), o voto do André Siciliano pela venda da CEDAE, ou os movimentos parlamentares, tanto no Congresso, quanto nas assembleias estaduais, onde petistas articulam apoio em troca de lugares nas composições das mesas diretoras daquelas Casas, desconhecem a natureza do jogo que está rolando...


A mera expectativa de 2018, com o favoritismo de Lula, e sendo esse favoritismo contextualizado dentro de um ambiente hostil ao qual ele está submetido desde 2003, ou melhor, desde 1980, mexe com as placas tectônicas da política nacional...

Uma boa parte do PT se prepara para os ajustes para construir o que se chamou de governabilidade, essa parcela do PT está identificada como aquela que escolheu e acredita que não há luta política fora dos limites da institucionalidade, ou que, se há, ela não mereça maior atenção que alguns discursos e reuniões para acalmar ânimos...

Aquilo que sempre foi o dilema petista e de toda esquerda: partido de massas ou de quadros...

Um dilema falso, porque nenhuma agremiação com pretensões de esquerda poderia subsistir sem uma dessas partes complementares...

Os sinais parecem avulsos, casuais, acidentais e/ou desconexos, mas vistos sob um prisma mais largo estão conectados como um "instinto", uma síndrome de Estocolmo, que dirige os esforços de parcela empoderada do PT a reparar aquilo que, sinceramente, acham que foram erros na condução política do governo...

Claro que as remissões de culpa pelos atos de corrupção (embora muitos deles tenham sido aventados em processos ilegais e sem prova alguma) seria necessária, mas é a simbologia que cerca esse ato de contrição pública que nos preocupa...

Agimos como a vítima de estupro que pede desculpas pelas vestes, pelas companhias ou pelos hábitos, culpabilizando a si mesma pelo crime do agressor...

Dentro dessa análise há um componente pessoal que não pode ser desconsiderado: Lula...

Depois de anos sob ataque intenso, sendo o Presidente que fez a sucessora, reconhecido mundialmente, apesar do ódio de parcela da população, mantém, ainda assim, o carinho e a preferência da população pobre, população essa que manteve silente durante todo esse processo...

Ora, se o paradoxo se apresenta a seu favor, tendo a população mais carente depositado suas esperanças em seu retorno triunfal em 2018, como esperar dele uma radicalização do discurso?

Como dizer a esse estadista, a esse mito, que ele está errado?

Pois é...

São esses problemas que vamos ter a começar a lidar, que tendem a ficar mais agudos com o passar do tempo, na medida que o confronto eleitoral aponta para uma polarização ainda mais dramática com a extrema direita, representada no apologista do estupro...

O PT mais do que nunca vai tentar se parecer com o centro para isolar o fascismo que vem por aí...

Os deslocamentos são nesse sentido...

Tapem os narizes...porque com Lula, o capital que não tem cheiro, partido e nem leva desaforo para casa vai continuar mandando...

Sem Lula, sabe-se lá o que será...

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

Aos imbecis o único tratamento possível: o escárnio...

As meninas da Rua da Praia já sabiam, do alto de sua experiência de vida:

O alcaide da cidade é um zérruela!

Sua "proposta" de pagamento aos policiais militares, ratificada pelos vereadores de coleira, não poderia ter outro destino: o lixo!

Uma municipalidade que vem baixando decretos e outros atos ditatoriais para coagir e suprimir direitos trabalhistas dos servidores, que mantém os serviços públicos com funcionamento precário, não poderia nunca se candidatar a tal tarefa, ainda que a lei assim o permitisse...

Possivelmente, quando criança o prefeito da cidade de Macaé foi proibido de brincar com seus soldadinhos de chumbo, e agora quer usar o Orçamento Público para curar o recalque...

Um zérrruela mesmo...

domingo, 19 de fevereiro de 2017

SIM, eles podem!

Não se pode negar:

Se tentando governar nos conformes, os patetas da lapa já eram um desastre, imagine buscando minar e sabotar uma futura administração adversária?

Isso é certo como as pedras portuguesas criminosamente arrancadas da Praça 4 Jornadas, por um dos discípulos-inimigos do napoleão da lapa...

Só que essa premissa deveria ser conhecida e reconhecida por qualquer imbecil que integra o novo (velho) grupo político que gere a cidade, leia-se os filhotes da cachorra de guarus...

Mas o que fizeram os zérruelas?

Ao invés de reunirem-se entre si, traçarem um plano de contingência para os primeiros seis meses (os piores, certamente), caíram na esparrela de criar factoides sobre a transição, preocupados muito mais com a derrota do grupo anterior que com os resultados da vitória esmagadora que conseguiram... 

As medidas iniciais logo desmascararam a que vieram:

Paralisaram a máquina, através de decretos de congelamento de contratos, suspenderam programas sociais, enfim, devastaram o pouco que ainda funcionava...

Passados 45 dias do início (?) da gestão atual, conseguiram o impensável: 

Tornaram os estragos das bombas-relógio muito mais fortes e amplos que os patetas da lapa pretendiam...

O episódio da merenda e o (re)início das aulas é um triste exemplo do que vos falo!

A atuação do secre(o)tário de educação ultrapassa o ridículo, e já alcança os limites de uma responsabilização mais séria, caso o mp e o judiciário não fossem tão dóceis com esse (des) governo!

E o que fazem os zérruelas:

Pose para fotos em eventos ridículos, (re)inauguram obras prontas, cavam uma pontinha de repercussão em qualquer coisa, se duvidar, o prefeito-perfeito vai posar ao lado de desastre de trem...

Imaginávamos que pior do que estava, com o circo do napoleão da lapa, sua prefeita-marionete e seus patetas da lapa, não ficava...

Eis que a trupe do pequeno-führer vem nos mostrar que, parafraseando o famoso slogan, Yes, they can!

sábado, 18 de fevereiro de 2017

O que houve com o mundo que supúnhamos conhecer?

É uma sensação generalizada...Qualquer pessoa que dê uma olhada nos últimos acontecimentos, seja no planalto, seja na planície, tem a percepção de que a realidade se desintegra a olhos vistos...

Nem vou mais martelar no papel escroto e cretino cumprido pela mídia comercial, nas pocilgas editoriais que vomitam seu esgoto para afogar reputações, sem o menor traço de senso público ou dever social na produção de conteúdo para comunicação de massas...

Desses porcalistas e seus patrões, que os cevam com uma mistura de auto-bajulação e notoriedade fugaz, nada mais resta falar...são uma sub-espécie com a qual teremos que conviver, como ratos, baratas e outros seres nauseantes...

Falemos de todo resto...

A corrosão institucional não é fenômeno recente, e nem as chamadas crises épicas, que delimitam o passar de um tempo a outros, fraturas cronológicas como gostamos de imaginar...

Em toda a História da Humanidade enfrentamos essa sensação, esse esgarçamento do tecido social, a captura de valores coletivos pelo individualismo exacerbado, motor da acumulação de riqueza...

Conflitos não faltam para pontuar essa narrativa...

Mas fiquemos com o que temos nos últimos anos...

Em 2013 tivemos manifestações gigantes, cuja natureza nenhum especialista conseguiu analisar a contento, e nem poderia, haja vista a proximidade com o fenômeno...

Temos pistas, afinal, a situação do país estava, no mínimo, um zilhão de vezes melhor que hoje, e não temos um ruído sequer....

Panelas? Não ouvimos...

Camisas verde amarelas? Nada...

Só a monocromia do silêncio dos (m)idiotas...

Desde então, a realidade cedeu lugar a um forma estranha de para-realidade...

Surgiu então, outro ser sem dono e sem nome, sem interesses, sem prejudicados e sem privilegiados, como "mercado", "globalização", "modernidade", "povo", "pátria" etc:

A pós-verdade!

Antes negada e ignorada, agora a mídia comercial tenta se apropriar do conceito...e pior: promover seu isolamento...

Claro que a era da pós-verdade existe, e surte efeitos, mas descrevê-la apenas é de uma canalhice sem par, quando falta a profundidade para determinar que por detrás de uma versão do fato, há um interesse, uma lógica, uma causa e um resultado esperado por quem dissemina essa versão!

Como não podem mais negar os malefícios do que ajudaram a produzir, mancomunados com os interesses inconfessáveis de sempre, os cretinos da mídia comercial, tanto os de lá, como os daqui, tentam isolar o fenômeno com meras elocubrações estéreis...e tome "punheta discursiva"...

Se na esfera da disputa política existe o golpe dentro do golpe, na mídia temos a pós-verdade da pós-verdade...um tipo de metalinguagem da metalinguagem, tudo com o objetivo de turbar ainda mais a percepção da sociedade...

E  que isso traz de efeitos práticos?

Uai, vivemos no país onde a mídia e seus cúmplices derrubam uma presidenta por supostos atos de corrupção (nunca provados) e silencia frente aos crimes dos déspotas que essa mesma mídia escolheu como governantes...

Esse mesmo país saiu as ruas por 0,20 centavos na passagem, por melhoria de tudo ao mesmo tempo agora, e hoje, quando tudo está uma merda absoluta, o país está sossegadinho em casa...

Elegem prefeitos para acabar com a tirania, e eles se portam dez vezes pior que os tiranos derrubados nas urnas...

Na região, mesmo sabendo ser ilegal, e mesmo alegando não ter dinheiro para pagar dos direitos aos seus servidores, um prefeito quer pagar policiais militares....

No Estado, o governador alega falência, e dá dinheiro público para patrocínio de torneio de tênis...

juízes e promotores agem como atores partidários e se prostituem para entregar o país a donos externos...

A lista não caberia aqui...

Ao lado de tudo isso, leio gente boa reivindicando "respeito à opinião", construindo um novo termo semiótico da era da pós-verdade...

Como se "opinião" e o seu exercício não estivessem também a serviço da disputa ideológica e da luta de classes...Bem, para esse pessoal, ideologia e classes não existem mais...

Logo, o "respeito à opinião" funciona como um tipo de blindagem para que uma turba enfurecida de fascistas e nazistas, todos dedicados a destruir a democracia da qual usufruem...

Algo como sentar à mesa para jantar com canibais...

Vivemos sob o Novo Reich, o Império da Opinião...

São esses ingredientes que fermentam o caldeirão do autoritarismo...mas eles, espertos que são, dizem que autoritários são os que revelam seus truques!





sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

A República dos Guardanapos na terra dos filhotes da cachorra de guarus...



O blog já tinha anunciado que a coisa ia feder, leia aqui...

Agora entornou o caldo de vez...

Um servidor público responsável por uma investigação confraternizando-se com testemunhas dessa mesma investigação?????

Esse mesmo servidor tem parentes nomeados da administração que ganhou a eleição, em grande parte por causa das repercussões dessas investigações que correm sob sua responsabilidade????

Como assim, virou a casa da mãe joana???

Depois as testemunhas são nomeadas no governo beneficiário pelo escândalo feito pela mídia em cima dessas mesmas investigações????

Que porra é essa????

A julgar pela desfaçatez e pela falta de cuidado, a coisa só pode significar uma coisa:

Certeza de impunidade!

Está aí a nossa versão da República dos Guardanapos com cardápio bem sugestivo: Uma pizza specialle...

Esse governo é a fusão da República dos Guardanapos com a República do Paraná...

Em Macaé, Il Duce mobiliza suas tropas...

Apesar da vedação legal, e dos avisos do ministério público, Il Duce de Macaé, cidade vizinha a do pequeno-führer, avança no seu propósito de não perder a guerra midiática...

Como um chacal que se alimenta da carniça do (des)governo do Estado do Rio de Janeiro, o alcaide da cidade litorânea insiste em dizer que pagará o 13º salário dos policiais militares que servem em seu feudo...

Ora, se a transferência entre entes da União fosse permitida em Lei, se a LOA e a LDO de Macaé permitissem tal alocação de recursos, ou seja, se tudo estivesse dentro das regras (e não está), ainda assim restaria o grave problema moral:

Os servidores municipais estão sob regime draconiano há anos, sem pagamento de férias no ano de gozo, auxílios e indenizações cortadas, e alguns foram vítimas de decreto ilegal de corte de vencimentos (cuja situação foi sanada na justiça, restando enorme passivo da restituição dos descontos retroativos)...

Então, se falta pão em casa, como alimentar o vizinho?

Não se imagina destino igual em tempos de paz, nem é da tradição brasileira tratar assim os seus déspotas, mas uma boa metáfora para o fim de períodos autoritários está na imagem abaixo, quando o ditador italiano recebeu "o carinho" de seu povo, no fim da II Guerra Mundial:

Resultado de imagem para morte do il duce

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

A embaixada da República dos Guardanapos na terra dos filhotes da cachorra de guarus...

Parece que as pessoas não aprendem...

Me  disse uma fonte confiável que a República dos Guardanapos também terá sua versão campista...

Lógico, sem a pompa e a circunstância de Paris, mas o fato é que o hábito de celebrar em convescotes acordos escusos contaminou nossa planície...

O cardápio do local é sugestivo para finais impunes...

Em breve, cenas dos próximos capítulos...

Fragmentos, entreouvidos e outras fofocas na terra dos filhotes da Cachorra de Guarus...

Ontem o dono da suíte (câmara municipal, assim com letra minúscula, do tamanho e estatura daquela "casa") foi até aquele anexo do executivo para ver como andas as coisas...

Lamentável o que nos disse Vossa Alteza, o Libertador:

"Campistas, esperem um ano e enquanto isso, fodam-se!!!!!"

Uai, se era para esperar um ano, por que ele não adiou a posse e deixou os patetas da lapa onde estavam, enquanto ele aprendia a governar? 

Então...na verdade, ontem ouvi de um fornecedor da Prefeitura que o pânico assombra a administração e esse sentimento tem nome e sobrenome, chama-se: Napoleão da Lapa...

Todos os contratos, todas as licitações, tudo que poderia ser tocado, inclusive sob o decreto de emergência da Saúde, está parado porque os "jênios" têm medo da repercussão...

Dentre os "cagões", o que se destaca pelo pavor de administrar é o atual procurador...

Síndrome do pânico, coitado, vá saber...

Vai aqui outro dito popular: "Passarinho que come pedra deveria saber o cu que tem"...

É o prefeito do feicebuquistão...


Outra quentinha;

A privatização da CEDAE já tem dono...é um grupo português dedicado a saneamento, e tudo já foi acertado entre os deputados (a fonte não quis me dizer o que foi acertado, e não serei leviano de presumir)...


Mais uma:

Se o pessoal que anda atrás de sérgio cabral quiser a prova (mais uma) que ele enfiou o "pé na jaca", e se lambuzou com a dinheirama (a nossa dinheirama), basta ir ao restaurante francês onde ele instalou a República dos Guardanapos...

O lugar está entre os cinco mais caros do mundo, mas o que espanta não é isso...

Ele e a madame, eventualmente, mandavam fechar o lugar, pagando por todas as mesas durante toda a noite, apenas para ficarem à sós...

Lindo não...

Quem contou a historinha romântica não tem a menor noção de quanto custava cada mimo desses, mas chutou: a conta não dava menos de 5 milhões por noite, considerando que o lugar tem umas cem mesas...


Coisa chique...

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

O caso moreira franco e o nosso beco sem saída!

O que seria pior que o ativismo político do judiciário?

Um ativismo que seja político e partidário...

Caímos da armadilha dos fascistas de toga, e agora reivindicamos o mesmo ativismo contra nossos inimigos...

Quando saiu o anúncio da ação pedindo o impedimento do "gato angorá", eu mesmo derrapei e acompanhei a manada pedindo a cabeça do ex-governador, pela mesma guilhotina que decepou a de Lula...

Sim, há muitos problemas relacionados a moreira franco...não tenho dúvidas, mas o fato é:

- Ele, até o momento, goza de todos seus direitos e garantias constitucionais, e contra ele não há mais que investigações, sem nenhuma sentença transitada em julgado!

Portanto, não há impedimento legal algum que seja nomeado ministro, mesmo que isso seja uma manobra declarada e comprovada de que deseja obter a prerrogativa de foro, pois aos réus são facultadas todas as manobras que não firam a lei para ampliar suas chances defensivas...

Eu sei, eu sei, eu sei que é um escândalo a posição adotada pelo stf, e pelo "juiz de merda" (nas palavras de Saulo Ramos, referindo ao celso de mello), principalmente quando há decisão recente no sentido totalmente oposto...

E nem cabe entrar nos subjetivismo de comparar moreira franco com Lula, ou em outras palavras, enquanto Lula é caçado há anos, sem que nenhuma prova surja contra ele, basta um olhar mais cuidadoso sobre o "gato angorá" para que se tenha um corolário de provas irrefutáveis de sua "operação" em diversos esquemas...

O que assombra é que estamos encalacrados em uma sinuca de bico...

A ditadura do judiciário chegou a tal ponto, que reivindicamos o mesmo  tratamento que repudiamos para nossos oponentes...

Lula e moreira, sob a égide do Estado de Direito, deveriam ser considerados presumidamente não-culpados, portanto, sem culpa, sem pena, sem pena, sem restrição de direito algum, salvo os que forem constrangidos por medida cautelar de natureza temporária e/ou preventiva...o que não foi o caso...

Mas estamos aqui berrando pelo olho por olho...e já estamos todos cegos...

terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

O mini-golpe militar do canalha do pezão!

Toda crise traz uma oportunidade, diz o jargão dos negócios...

Parece que o (des)governador do Estado do Rio de Janeiro imagina a mesma coisa...

Depois de colocar todos os efeitos dos crimes cometidos por ele e por sua quadrilha nas costas do servidor, que vão desde manobras obscuras com o fundo de previdência dos servidores no mercado financeiro, que resultou em rombo de mais de 10 bi de reais, o cretino parte para o uso da força militar para tentar calar os manifestantes que resistem ao desmonte do nosso Estado...

Sob a desculpa da "instabilidade" causada pelos reclames das famílias dos policiais militares, o (des) governador vai usar o Exército para policiar as ruas do Rio de Janeiro...

É chegada a hora de uma greve geral em TODOS os serviços públicos, incluindo aí os serviços essenciais, para forçar a renúncia de TODO o governo e deputados, com a convocação IMEDIATA de eleições gerais no RJ...

domingo, 12 de fevereiro de 2017

Aviso aos eleitores dos filhotes da Cachorra de Guarus: Democracia não é brinquedo!

Há, e sempre houve, e sempre haverá uma tentativa de certos setores da intelectualidade, assim como de nossa parte mesmo, uma busca pela definição do "caráter de uma geração"...

Virou moda adjetivar com letras, geração "y", "z", "a"  o escambal... 

Processo inteligível, mas totalmente descartável...Afinal, definir outras gerações, ou qualquer outra coisa, revela mais de nós mesmos do que daquilo que desejamos rotular...

Frases como: "naquele tempo", ou "no meu tempo" são comuns a quem de fato envelheceu, não por ter mais passado que futuro, mas principalmente porque esqueceu que todo tempo é agora...

Processos históricos, como manda a boa dialética hegeliana (até hoje não superada), carregam em si um tanto de outros passados, e muito mais do que está por vir...

Mas é irresistível rotular, classificar e encaixar em limites temporais...

Assim, imaginamos que nos dias de hoje, quando tudo parece desmoronar, que houve uma época onde tudo funcionava a contento, onde a Democracia era algo fácil e se resumia a colocar voto na urna, onde os conflitos eram resolvidos de forma "civilizada"...

Não foi, e pelo jeito, nunca será...

A História da Humanidade é um legado de conflitos, que pode ser reduzida a uma luta entre os poucos que têm quase tudo e os outros muitos que não têm quase nada...

Essa lógica se espalha pelos Estados Nacionais, onde mais estáveis são os menos desiguais, ao mesmo tempo que a instabilidade grassa pelos mais desiguais...

De tempos em tempos, esse suposto "equilíbrio" entre a minoria rica e esmagadora maioria pobre , seja no seio dos países, seja no tabuleiro geopolítico, gera ruídos, tensões e espasmos de violência, aparentemente incontroláveis...

É a sensação que temos agora...

Desde o planalto até a planície...Ao Norte até o sul do mundo...

Por motivos já conhecidos e que não cabe aqui repetir, uma grande parcela de pessoas, em várias partes do planeta, e especificamente aqui no Brasil e em seus cantos, como Campos dos Goytacazes, embarcou em uma onde conservadora que atribuiu a Política todos os males da vida moderna, atacando instituições, ou pior, reivindicando a sobreposição indevida de instituições não-eleitas sobre as eleitas, abdicando da prerrogativa de decisão sobre seu próprio destino...

Claro que isso não aconteceu de forma linear...e nem é um tema acidental...O desmonte da utilidade da Política no imaginário médio, o senso comum, é antigo e perene...

Em suma, os golpes à Democracia, como sempre, se deram para reduzir a pó tudo aquilo que permitisse o empoderamento das classes mais pobres, ainda que, por um truque semiótico e ideológico, essas classes fossem levadas a acreditar que tudo era feito em nome delas...

Deixo de lado um pouco o golpe no planalto ou a eleição de trump nos EUA, e me refiro especialmente ao golpe dado em Campos dos Goytacazes...

Aos que imaginam que golpes não possam ser executados com o auxílio das urnas, relembro a chegada de Hitler ao poder em 1933...

Usando essa útil analogia, rememoro os inúmeros documentários que vi sobre o fim da II Guerra Mundial, mormente as cenas de libertação dos campos de concentração e dos alemães atônitos pelas ruas...

Também lembro os filmes, como O Leitor, O Menino de Pijama Listrado, A Queda, e tantos outros destinados a pesquisar e debater o nível de consciência e culpa do alemão médio naquela carnificina...

Mas esses processos não são exclusivos da Alemanha Nazista, como gostamos de imaginar para afastar de nós esse cálice...

1964 está ali, na esquina da História...

2015/16 idem...

Resolvi escrever essas linhas por causa de um certos "movimentos" que aparecem nas redes sociais, onde supostos eleitores arrependidos dizem: "quem elegeu pode tirar"...referindo-se a decepção com o atual governo fascista da planície, aquele que a todos salvaria...ou nas "modestas palavras" do pequeno alcaide, o governo da Libertação!!!! 

Ei-lo: O libertador da cidade!

Não, meninos e meninas, Democracia é (ou deveria) ser coisa séria...

É preciso sofrer e engolir cada efeito da escolha errada e irresponsável que fizeram, e não adianta gritar para expiar culpas...

A merda é de vocês...embora ela cheire mal para todos nós...

Não adianta dizer que foram enganados, que acreditaram na lenga-lenga anti-politica a golpista do pequeno-führer, na embalagem de moralidade hipócrita reforçada por uma mídia cretina e pelo aparelhamento de policiais, juízes e promotores...

A merda está feita e a cidade está à deriva...

Não foram enganados, ao contrário, se deixaram enganar, o que é muitíssimo diferente...

Quiseram acreditar que problemas complexos, decisões políticas, definições sobre a quem favorecer ou a quem favorecer menos são simples, tocadas a modo voluntarioso, e que podíamos trocar um déspota gasto e demodé por um ditador novinho em folha, com mais identidade de classe, mais sofisticado...

Não deu...

Então, minha gente, antes de começarem a pregar o golpe dentro do golpe aqui em nossa cidade, parem e reflitam:

Às vezes parece piada, mas Democracia é algo que de tão sério, chega a ser dramático...

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2017

O caos na Educação e o apagão do secre(o)tário na terra dos "fiotes" da Cachorra de Guarus...

Incapaz de articular qualquer medida prática e/ou emergencial que permitisse o início das aulas no ano de 2017, o secre(o)tário brand new brand resolveu eclipsar-se da estafante rotina de auto-exposição a qual se dedicou desde que sentou  o seu rabo classe mé(r)dia na cadeira....

Se antes valia qualquer coisa e cada mergulho era um flash, agora a tônica é: "quem não é visto não é lembrado"...

Coisas dos "magos da comunicação", aliás, eles mesmos encalacrados e silentes frente à publicação de aditamento de contrato que favorece empresa de um superintendente da secretaria de propaganda do atual governo...

Agora surge a "solução", que de nada tem de original: 

Colocar o problema no colo dos servidores, ou seja, os professores e demais profissionais terão que trabalhar no sábado para recompor o calendário adiado pela total e completa incapacidade da gestão...

Mas o pior, é que essa "solução" foi proposta por uma sindicalista que sempre se colocou contra esse tipo de manobra...

Contra a diretora sindical corre a alegação de que tamanha "boa vontade" estava calcada na esperança de que uma apadrinhada fosse indicada como diretora de uma escola...

Uma estranha mistura de incapacidade e promiscuidade...

Provadas pelo fato de que vereadores (entre eles o Fred Machado) estavam se comunicando diretamente com servidores (as), e por cima da Secretaria, para recrutar diretores para as escolas...afronta direta a promessa de eleições para essas funções...

Por onde quer que se olhe, a verdade é que o sumiço do secre(o)tário teve dois efeitos: 

Realmente desviou a atenção sobre ele, mas o pior é que todo mundo começou a entender que ele não tem feito a menor falta...

Para ser gentil como o moço: Pede para cagar e sai de fininho, meu caro...

Polícia brasileira, Estado e sociedade: algumas considerações...

Nunca é demais lembrar: 

Polícia no Brasil, entendida como tal, foi criada em 1808, como Intendência Geral de Polícia, por D. João VI, uma vez que a recém chegada Corte ficou aterrorizada com o enorme contingente de negros soltos pelas ruas do Rio de Janeiro...

Aquele foi o embrião da Polícia Civil, e um ano depois, criaram a Intendência Uniformizada, o que conhecemos como Polícia Militar...

Essa é, portanto, a natureza da criação da Polícia brasileira, que, infelizmente, não mudou até hoje...perseguir preto e pobre...

No arranjo institucional brasileiro, as polícias sempre estiveram ligadas aos governadores, e sempre funcionaram como milícias regionais a serviço desses arranjos locais, um desdobramento da política dos coronéis, mas que, ao mesmo tempo funcionou como elemento de fortalecedor do poder central, na medida que nas inúmeras cartas constitucionais que se seguiram, as polícias militares estão vinculadas como forças auxiliares das Forças Armadas...

Embora o trabalho policial, por suas características principais, sempre tenham a missão de evitar o crime (policiamento ostensivo) e reprimir o crime depois de consumado (investigação), e dessa maneira, é correto afirmar que esse trabalho é diretamente ligado ao Poder Judiciário, principalmente na sua parte investigativa, a Polícia brasileira sempre funcionou como um ente autônomo, processualmente falando...

A verdade produzida em sede policial não é considerada no Judiciário, que ou a ratifica ou a rejeita...

Essa hierarquia abre os conhecidos espaços para as mediações de classe, e suma, quem tem grana, raramente vai preso, porque a confirmação do trabalho policial pela Justiça sempre está condicionada a classe a qual pertence o suposto delinquente...

Essa pequena introdução é necessária para entendermos o que significa movimentos sindicais dentro das corporações policiais...

Não é um fenômeno simples, ainda mais quando essas corporações detêm um perfil autoritário como poucas ao redor do planeta...

Então é preciso dizer que movimentos sindicais policiais não são bons para o campo progressista...

E ATENÇÃO: NÃO ESTOU DIZENDO QUE POLICIAIS NÃO DEVEM SE MANIFESTAR OU REIVINDICAR!!!!!

O que digo é que após anos de governos de centro-esquerda, nós, da esquerda, não conseguimos tratar da questão das polícias e da segurança pública com uma agenda que diferisse o mínimo dos setores mais conservadores!!!!

Uma prova disso é observar o movimento das lideranças, quando alçadas a outras esferas de participação política, ou seja, na maior parte das vezes, as lideranças policiais se aninham no espectro mais autoritário e conservador da política brasileira...

Eles (os movimentos) fornecem o combustível necessário para disseminação do ambiente necessário para intervenções de força...

Se nos movimentos sindicais não-policiais há um histórico de sabotagens e infiltrações, notícias falsas e manipulações da mídia e de governo, quando se trata de assunto que envolve policiais a coisa foge ao controle...justamente porque o ambiente "militar" está fora do alcance da sociedade...

Como corporações militares auxiliares, o texto constitucional veda a paralisação, e esse fator que antes era considerado uma vantagem para o controle dessas "tropas", acaba agora por se tornar caótico...

A militarização e empoderamento das corporações militares no policiamento urbano e nas políticas de segurança não é um acidente, é uma escolha de Estado para atender a demanda da desastrosa guerras às drogas, patrocinadas pelos EUA...

Um exemplo são os "boatos" alastrados pelas plataformas de comunicação nos movimentos da polícia militar fluminense...

Agora pouco interessa se foram verdadeiros ou não (de fato, durante essa semana as redes sociais estiveram repletas de mensagens dos colegas militares divulgando a adesão ao movimento capixaba)...

Na era da pós-verdade, a versão supera o fato, ou em outras palavras, a versão se auto-realiza...

A questão central que quero debater aqui supera o problema salarial, nosso problema salarial...

O problema é que a (in)segurança pública tenha se tornado o tema central da sociedade, justamente quando o Estado esteja sob ataque dos setores financistas mundiais, que promovem o desmonte total dos serviços públicos...

Isso dentro de um contexto de crescente tensão social, onde a via conhecida pelos conservadores é o endurecimento dos instrumentos repressivos, apoiados por um discurso de violência simbólica repercutido e ampliado diuturnamente no mainstream da mídia, gera um caldo de informações contraditórias, onde policiais transitam da posição de heróis a bandidos em segundos...no estalar de um "like" ou "dislike"...

A incorporação das famílias dos policiais nesse cenário é o resultado da diluição dos pilares da luta política como a conhecíamos, pois adiciona elementos "emocionais" indesejáveis...

Não será incomum ouvir ali, entre as manifestantes-familiares, um discurso de ódio ou de simplificação da realidade, tais como: "dinheiro para sustentar bandido em cadeia tem, mas para pagar polícia não tem" ou "cadê os direitos humanos";

Nessa conjuntura hostil, o surgimento de figuras que se colocam "acima da lei" para proteger o cidadão de bem é um elemento a mais de perigo...

A atual "crise" (que de acordo com Darcy Ribeiro, não é crise, é projeto) serve para várias coisas, dentre elas:

- Criar o ambiente para o governo estadual acabar de resto com o patrimônio estadual para "acabar com a crise" e;

- Aumentar, em nível nacional, a repressão a todo e qualquer movimento social questionador...

Se a esquerda desejar retomar seu projeto de país, não mais poderá ignorar a questão das polícias e do arranjo institucional delas, que passa pela urgente desmilitarização das polícias estaduais...para começo de conversa...

Parece que não aprendemos nada com o Cabo Anselmo...

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2017

Os filhotes da Cachorra de Guarus e a estranha planície de Alice

Resultado de imagem para alice no pais das maravilhas

Vamos ser bem honestos...

Em um mundo normal, onde as pessoas compreendessem os trâmites e processos inerentes a ação política, e onde o senso comum não reverberasse asneiras a todo momento, criminalizando esses processos através de um espetáculo midiático grotesco e hipócrita, nada haveria demais no fato da irmã de um delegado federal ocupar um cargo por livre nomeação na prefeitura da cidade onde moram...

Mesmo que o moço tenha sido um dos principais guerreiros de uma "ética seletiva", digamos assim...

Afinal de contas, a simples constatação de que ele escolheu apenas um lado para atacar não elidiria os crimes do lado perseguido...

Aliás, essa lógica de usar a polícia como milícia privada também povoou a Secretaria de Segurança, quando ocupada pelo hoje então líder dos perseguidos...a sentença que o condenou por quadrilha ou bando armado deixa claro essa presunção...

Chumbo trocado não deveria doer...

Mas  no estranho mundo de Alice, onde a rainha de copas da mídia manda cortar as cabeças, alterando as regras de civilidade ao galopar de seus interesses, onde políticos fazem campanhas pautados pela anti-política, elegendo o falso moralismo como plataforma eleitoral, e depois, como programa de governo, esse fato ganha contornos de tragédia farsesca...

Vou repetir: 

Pessoas normais não se espantam com o jogo de nomeações...aliados são aliados, inimigos, bam-bam...

No entanto, aqui, a ligação familiar da moça nomeada (pobre moça) e o Torquemada Camisa Preta, um cruzado evangélico da melhor tradição casa grande dessa plaga de índios assassinados á extinção, e pretos torturados até hoje, o mimo governamental é um sonoro tapa na cara do eleitor crédulo, o batedor de panelas, aquele que achava que um programa social seria o motor eleitoral dos patetas da lapa...

Claro, certamente a população pobre entende que a execução de um programa social é um benefício que merece ser considerado na hora do sufrágio, mas essa relação teleológica (de causa e efeito), que a mídia do esgoto local e a ditadura judicialista (franquia da república do paraná) juntos incutiram como certeza cartesiana e matemática, é falsa...

A gratidão entre pobres e os gestores que ampliam seus direitos, uma merreca que faz muita (ou toda) diferença para quem nada tem, é CRIME para os arautos da lei...(aos inimigos, a lei)...

FISIOLOGISMO, dizem meus amigos da intelligentsia local...

Fica a dúvida quando essa gratidão sobe a escada social e chega até os mais ricos...o que será? 

Razões de Estado? Gestão moderna? Transparente? 

Ahhhh, notório saber técnico...ou tudo junto...porque qualidades e predicados não faltam a quem não falta grana...

Certo é o que Alice nos diz, embevecida, enquanto acalanta as feras que a perseguem: 

Aos cães de aluguel toda adulação é necessária...porque a moça explica:

Antes serem cães, são antes de aluguel...

A estranha planície, terra dos filhotes da Cachorra de Guarus que parecem ter devorado há tempos o Chapeleiro Louco, e agora caçam o Coelho e o Gato, Alice não está confusa...ela sabe das coisas...

Então, Alice, derrotada mas não menos linda, canta o coro com a rainha:

Cortem as cabeças, cortem as cabeças...

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2017

O diabo são os outros no Espírito Santo...

Como já escreveu meu amigo Roberto Moraes, o Espírito Santo pode ser um case a ser estudado por especialistas...

Não tenho essa pretensão, mas vou dar meus pitacos...

O estado capixaba é figurinha carimbada no álbum da letalidade violenta e criminalidade urbana há tempos...

A região da Grande Vitória (Viana, Vila Velha, Serra, Cariacica, etc) sempre disputou palmo a palmo (ou melhor dizendo, corpo a corpo, para não perder o trocadilho) com as capitais nordestinas o título de região mais violenta do país, apesar da mídia nacional insistir no Rio de Janeiro...

A exacerbação da percepção da violência no Rio (na capital, principalmente) atende a uma demanda política antiga, desde que a população resolveu votar em candidatos de esquerda, como Brizola, que tentaram, em vão, assumir uma postura diferente (um pouco apenas) para conter a criminalidade...

Qualquer tentativa de modernização do discurso prende, espanca, arrebenta e mata (preto e pobre) era rechaçada com vigor pelas organizações mafiosas de comunicação, com o clã dos marinho a frente...

Mas voltando ao ES, é conhecida a história e ficha corrida de diversos grupos de extermínio, onde o líder de um deles, o ex-policial militar José Carlos Gratz chegou a presidência da Assembleia Legislativa daquele estado, e se envolveu na morte de um juiz federal...

A violência e criminalidade no ES, assim como em qualquer lugar do planeta, obedece a causas gerais e específicas...

O ES sempre foi um estado pobre, de baixo IDH, habitado em seu interior por uma forte presença de imigrantes pobres europeus, dedicados a agricultura e com baixa atividade industrial...

Sufocado pela presença e proximidade com o RJ, rota de passagem entre Sudeste e Nordeste, o ES experimentou algum aumento de sua dinâmica econômica com o crescimento de sua vocação portuária, e ao mesmo tempo, houve uma explosão de violência que resulta do incremento desmedido e não regulado, algo parecido com o que começamos a experimentar na região de SJB, com o ainda incipiente Porto do Açu...

Qualquer idiota sabe (ou deveria) que o aumento da capacidade e atividade portuária é a senha para aumento da entrada e passagem de toda sorte de mercadoria e comércio ilegal, desde contrabando até drogas e armas...

Ao mesmo tempo que aumentava desordenadamente seu movimento no entorno dos seus portos, o ES colocava em prática a receita neoliberal para gestão pública, acentuando desigualdades, espalhando o território propício para aumento da já dramática criminalidade...

O resultado está aí...

Por outro lado, a total desconexão do combate a criminalidade entre unidades federativas proporcionou o trânsito livre a a sinergia entre grupos criminosos capixabas e fluminenses...

É antiga a movimentação de cargas e veículos roubados pelo enclave Presidente Kennedy, Cachoeiro de Itapemerim, Apiacá (sul do ES) e São Francisco do Itabapoana e região norte de Campos dos Goytacazes (Morro do Coco, Santo Eduardo, Santa Maria e Bom Jesus do Itapaboana...)

Porém, ao contrário do a mídia cretina comercial divulga, não é esse pessoal que anda tocando o terror no ES...

Boa parte dos crimes de morte ocorridos no último fim de semana estão relacionados ao aumento da atividade dos grupos de extermínio, possibilitada pela ausência de policiamento...

Assim como os saques acontecem com a presença maciça de pessoas da classe média, como já evidenciado nas redes sociais...

Um outro fenômeno que obedece a regra geral, qualquer que seja a classe social, embora a mídia prefira repercutir crime de pobre e preto: a ocasião faz o ladrão...

terça-feira, 7 de fevereiro de 2017

Um imbecil no lugar certo 3...

Corre pelas redes sociais várias argumentações em protesto pela indicação do kojak golpista para vaga de juiz eterno e supremo...

Dentre elas, a da suposta incompatibilidade do cargo com filiação partidária...

Ora, senhores e senhoras, quanta ingenuidade, quanta hipocrisia...

Em um tempo onde ser filiado a partido (principalmente se for de esquerda) é quase um crime, nós, as principais vítimas desse linchamento cotidiano da mídia e dos coxinhas, utilizando a mesma tese parece burrice extrema...

O stf sempre teve juízes sem filiação partidária, e nem por isso deixou de defender os privilégios das classes mais ricas dessa sociedade...nunca!

Senão me engano, gilmar (dantas) mendes não é, nem foi filiado ao psdb!

Não é a filiação partidária obstáculo a boa atuação na defesa do Estado de Direito, e mais, na existência de um estamento normativo voltado para os que mais precisam dele: os mais pobres...

Por favor, vamos parar de engolir as iscas, agindo como idiotas...


Um imbecil no lugar certo 2....

Em uma corte que sempre defendeu os interesses e privilégios de banqueiros, médicos estupradores, militares torturadores e outros criminosos "bem nascidos", a indicação de um ex-advogado ligado ao PCC não é nada demais...

É, de certa forma, um ponto de equilíbrio, uma ação de caráter isonômico, pois pela primeira vez alguém ligado a bandido pobre (por mais violentos que sejam os integrantes do PCC) vai para a cadeira suprema do judiciário...

Bem, brincadeiras à parte, eu poderia desfiar um montão de motivos para contestar a indicação do kojak golpista, mas com certeza não é o fato dele ter advogado para criminosos do PCC...

Nossa Constituição é cristalina ao considerar que ninguém é presumidamente culpado (nem o kojak, nem qualquer réu), a ninguém será privado o amplo direito de defesa (isso inclui o melhor advogado que puder pagar) e muito menos se pode criminalizar o exercício e a inviolabilidade da advocacia, sob pena de ataque frontal a Carta Magna...

Nós, do PT e de outros setores progressistas não podemos engrossar esse coro fascista e moralóide, usando contra o kojak os mesmos argumentos toscos dos quais fomos e ainda somos vítimas...

Foi isso que o juizeco de Curitiba fez e faz com a defesa de Lula...


Foi isso que o capitão-do-mato, joaquim barbosa fez na ação 470...

Então, amigos e companheiros, vamos fazer as críticas de modo coerente...até porque, nesse jogo de linchamento moral e pré-condenação nós não temos a menor chance...

Se não for por uma questão de princípios, que seja ao menos por pragmatismo...

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

O desmonte do Carnaval de Campos dos Goytacazes...

Justiça seja feita: 

O atual governo do pequeno-führer, o IV Reich da Planície não é o responsável exclusivo pela agonia e morte lenta do Carnaval dessa cidade...ele pode ser o último (caso todas as expectativas se confirmem), mas não é o único...

Como fenômeno multifacetado que é, o Carnaval (e sua agonia) não pode ser analisado de uma vez de só, de sopetão...

Será preciso algum método (científico, talvez, se algum intelectual se interessar, quem sabe?) distanciamento histórico e claro, honestidade intelectual...essa última premissa é rara, principalmente no meio dos principais algozes que reivindicam alguma solidariedade ou proximidade com o festejo de Momo...

Falo dos oráculos da vida, dos cretinos dos meios de comunicação (sempre pendulares entre a tentativa de serem simpáticos a algo que não entendem, e os interesses de classe que portam) e enfim, todo mundo, que de uma forma ou de outra, tirou uma "casquinha" do Carnaval e ajudou a enterrá-lo no seu túmulo suntuoso, o CEPOP...

Vamos lá atrás:

As primeiras estocadas na festa eram trombeteadas nos jornais da cidade, que em nome dos seus conchavos comerciais implicavam com a montagem das arquibancadas da festa na XV de Novembro...

Ali já fermentava o germe do fascismo que mataria a festa...

Como se a rua (naquele caso, a avenida) fosse só de comerciantes e de clientes, ou seja, como se a via pública fosse um território onde só relações comerciais seriam legítimas, os jornais e comerciantes argumentavam que a festa de 5 dias atrapalhava os negócios...

Sim, foi essa lógica que imperou desde então...ironicamente, ou por vingança dos deuses momescos, a Avenida XV de Novembro virou um cemitério comercial, em uma cidade (assim como todas as outras de mesmo porte) que se voltava para os monstrengos chamados Shoppings...

Foi com a desterritorialização do Carnaval e das agremiações que começou o fim...Imaginem transferir o Carnaval do Rio para Barra da Tijuca pelos transtornos ao Centro do Rio trazidos pela festa?

Então...

Outro momento que merece atenção dos historiadores foi o aumento das verbas oficiais, proporcionado pelo incremento de receitas advindas dos royalties...

Não, não, não senhores...Não vamos cair na armadilha elitista de que o Carnaval não merece o dinheiro público...

Esse é outra discussão...

Mas foi naquele momento, quando os royalties começaram a jorrar, que setores carnavalescos enxergaram a chance de engordarem seus bolsos, em detrimento e abandono das comunidades e suas manifestações culturais...

Processo parecido se deu em todas as esferas e instâncias de vida social dessa cidade, o que chamamos de "prefeiturização" das relações sócio-econômicas...

Paulatinamente, as associações de blocos, de escolas de samba e de bois pintadinhos foram apertando o torniquete nos pescoços das comunidades, empurrando-as para precarização e pauperização dos desfiles, como forma de aumentar as sobras de receitas que verteriam para contas pessoais...

Paradoxo: Quanto mais dinheiro, pior ficava...

Tudo com "delegação" dos administradores da cidade e seus acólitos que fincaram pé no cocho da Cultura...

Talvez o ápice do descaramento tenha sido a verba de 1.8 milhão gasta pela então primeira-dama para desfilar na cidade do Rio de Janeiro...

Na outra ponta, vieram as ondas de conservadorismo religioso, sempre na surdina, sempre disfarçadas de boas intenções...Esse movimento silencioso foi isolando o Carnaval para cada vez mais longe do imaginário da população...

Com  a concentração de recursos nas praias, a falta de interesse dos mais jovens (justamente o que renova as tradições de quaisquer manifestações culturais e as mantêm vivas), e o total desinteresse do poder público pela festa, o Carnaval de Campos dos Goytacazes virou cinzas...

Um pequeno parêntese: O fim ou a total decadência dos bailes de Carnaval, que refletia a derrocada dos clubes que os hospedavam, por mais contraditório que pareça, também ajudou a enterrar o Carnaval...

Sim, embora os bailes atendessem, quase sempre, ao público classe média e da elite, eram eles que ajudavam a gerar nas ruas a necessidade de "resposta" do povão ao Carnaval dos endinheirados, ou seja, o Carnaval de rua...

Na Capital, na cidade do Rio de Janeiro, foi, junto com outras causas, o confinamento do Carnaval em desfiles industrializados e pausterizados para uso e deleite de poucos e lucro de TV e da máfia do bicho, que empurrou o cidadão comum às ruas para ressurgimento dos blocos...

Aqui, todas as frentes que pudessem fazer renascer o Carnaval foram mortas...

O atual governo só veio jogar a pá de cal, com o fim da festa no Farol e a manutenção do estrangulamento das comunidades, como fez o governo anterior...

Peço, mais uma vez, que considerem o texto apenas uma pequena parte da reflexão sobre o tema, que é muitíssimo mais amplo...