domingo, 15 de janeiro de 2017

Os filhotes da Cachorra de Guarus...

O blog tem sido bombardeado por comentários, devidamente censurados, onde os interlocutores (todos anônimos) insistem em deixar de lado o debate às críticas que tecemos em relação ao reinado do "libertador", don fanfarrafael, um produto oco de mídia, misturado a descrença e o sentimento anti-política da população, disseminado por essa mesma mídia cretina...

Preferem as ofensas sem qualquer vínculo com argumento algum...

Vejam bem, aqui não tem chorôrô...Podem xingar, ofender à vontade, mas façam como veículo do debate, e não como única forma de resposta...

São eles a versão mais rica e bem nascida nos patetas da lapa, mas no fundo se igualam, ou pior, no caso deles, dos filhotes da Cachorra de Guarus, a vergonha é maior, porque reivindicam para si alguma "iluminação intelectual"...

Eu morro de rir...e vos digo...tentem a sorte que o azar é certo...

Vai ser divertido...

3 comentários:

Anônimo disse...

O prefeito de Campos Rafael Diniz lançou um pacote de medidas para conter a crise, porém continua nomeando centenas de DAS para cumprir acordos políticos.

Na mesma sexta-feira, quando anunciou as 10 medidas, incluindo reforma administrativa e cortes de RPAs, o prefeito nomeou mais uma grande leva de DAS.

Diferente do discurso, o novo prefeito estaria enganando alguém quando anuncia reforma administrativa e ao mesmo tempo continua nomeando cargos comissionados. Ou os novos DAS serão usados por alguns dias, ou o prefeito engana a população de Campos com esse discurso de austeridade.

Anônimo disse...

Cumprir acordos com quem? Ele não foi eleito por acordos. Se os faz agora é porque é inseguro ou burro.
Anhnn....

Quase nunca concordo com o que o Douglas escreve aqui, e às vezes escrevo palavrões nos comentários. Mas uma coisa é certa, não me lembro de ter comentário censurado...
Se o blogueiro me permite dou um conselho aos comentaristas: pode pensar e escrever o que vocês quiserem, Douglas publica. Mas não se esqueçam sempre do primeiro verbo desta frase: "pensar".

Anônimo disse...

Rafael Diniz nomeia parentes de vereadores em cargos comissionados

Ex-vereador da base aliada de Rosinha Garotinho (PR) e condenado em uma Ação de Investigação Eleitoral por suposto uso do programa Cheque Cidadão para compra de votos, Jorge Magal (PSD) não tem do que reclamar do prefeito Rafael Diniz. O alcaide que se elegeu dizendo que tudo seria diferente nomeou o irmão de Magal, Sidney Santana de Azeredo para exercer o cargo comissionado nível DAS 3 no Instituto Municipal de Trânsito e Transporte (IMTT).

Magal votou na chapa de Marcão apoiada por Rafael Diniz para presidir a Câmara de Vereadores. Exigiu cargos e pelo visto o prefeito atendeu.

Outros vereadores também estão sendo contemplados com indicação. Claudio Andrade do (PSDC), conseguiu um cargo para a esposa Micaela Albertini Pereira Gomes. Ela ganhou um cargo de comissão de Assessor Chefe do Programa Estratégia da Saúde. Será um DAS 4, conforme portaria publicada no Diário Oficial.

A irmã de Claudio Andrade, Kelly Alves Andrade, também ganhou um DAS 5 para exercer o cargo de Chefe de Divisão de Benefícios no Instituto de Previdência de Campos, o PREVICAMPOS.

Andrade também conseguiu uma nomeação para Juliano Marcelino na função de Assessor Chefe Ambulatorial do HGG. Com tanta nomeação à pedido de vereador sendo atendida, não é preciso dizer que competência para quem almeja cargo comissionado no governo Rafael Diniz é dispensável. Para sair no DO basta ter QI: Quem Indica.

Filho do vereador Álvaro César também ganha cargo comissionado

O vereador Álvaro César, que também trocou a base aliada de Rosinha para se alinhar ao governo Rafael Diniz conseguiu emplacar um familiar com cargo DAS na prefeitura. Seu filho, Thiago Silva Faria, foi nomeado como diretor de mobilização da secretaria Municipal de Governo. O jovem Thiago ganhou um DAS nível 3.

O festival de nomeações continua.

Para uma cidade em que o prefeito fala em crise e diz ter herdado dívidas o que não falta é dinheiro pagar indicados de vereadores em cargos comissionados.