quarta-feira, 11 de janeiro de 2017

Campos dos Goytacazes: de pólo regional a cópia mal feita de Macaé!

O encanto do atual "libertador" da cidade dos índios goytacá com o calígola de Macaé não é casual...

Compartilham o mesmo tipo messiânico, o mesmo verniz anti-política, a mesma hipocrisia moralóide...

Como não bastasse a gente ter passado o cão durante a dinastia da lapa, agora vamos passar a cópia mal ajambrada de Macaé...

Vejam bem, nada de mal aceitar e adaptar boas experiências...

Mas o caso aqui é outro...

A panaceia chamada ponto biométrico, que utiliza para parâmetros de biometria (digitais, reconhecimento facial, de retina, etc) revelou-se uma grande fonte de problemas para o servidor macaense...

Não são poucos os casos de abusos, onde descontos indevidos são debitados por supostos atrasos ou faltas, mas que não passam de erros sistemáticos, que de tão frequentes já levantam a suspeita de má-fé contra o servidor...até porque, só temos notícia de que houve erros "para menos", ou seja, nenhum servidor teve seu salário acrescido na ex-princesinha do Atlântico, hoje muito mais para Bruna Surfistinha...

A primeira e grave afronta às normas constitucionais e administrativas é que esses sistemas são implantados sem que emitam um recibo ou qualquer registro impresso para que o servidor possa ter alguma garantia...

Só cretinos e imbecis podem argumentar que sistemas eletrônicos são infalíveis ou imunes à manipulações...

Mas há outras...

Os chefes administrativos da cidade litorânea vizinha estão isentos de "colocar o dedo" (como ficaram conhecidas as exigências)...

Sem falar que os servidores de cargos comissionados têm o privilégio de "colocar o dedo" nos horários de entrada e saída, mas ausentam-se de seus postos de trabalho o tempo que desejam...


Essas são "as experiências" que pretendemos importar?

Nenhum comentário: