domingo, 25 de dezembro de 2016

Um conto de Natal?

Foi confirmado: por decisão de um juiz foi proibida a circulação de Papai Noel, haja vista que negou-se mudar a cor de suas vestes (vermelho), que poderiam ser associadas a um determinado partido...

O juiz em questão decretou que, embora não houvesse provas, havia a convicção de que os presentes distribuídos pelo bom velhinho tinham origem ilícita, e faziam parte de um forte esquema de poder ("papainoelcracia"), que se alimentava da relação fisiológica da troca de presentes por apoio ao soberano da Lapônia...

Soma-se às convicções o fato do velhinho usar barba e ser muitíssimo popular...

Grupos de mídia, com acesso às delações premiadas dos ajudantes de Papai Noel, afirmam (sem provas) que o bom velhinho maltratava as renas, e há suposições de que o idoso tinha inclinações pedófilas...

Nas suas conversas grampeadas, os astutos investigadores ainda não confirmaram, mas estão certos de que a expressão "que linda essa neve branca" seria um código associado ao tráfico internacional de cocaína...

Também não sabem dizer  o que significa a expressão "ho-ho-ho", mas estão convictos de que se trata de alguma senha para esconder propriedades de imóveis no Pólo Norte...

Pelo menos um pai assustadíssimo, morador dos Jardins Paulistas, respeitadíssimo médico e de família quatrocentona, afirmou, durante entrevista na festa de posse do prefeito de SP, donald-dória, que seu filho anda com comportamento meio estranho depois de receber um presente de Noel...

Promotores prepararam uma bela exposição com powerpoint, revelando (ainda sem provas) que tudo era culpa do Velhinho...inclusive a ausência de uma solução para o conflito na Síria...

A defesa do Bom Velhinho recorreu às cortes superiores, mas por lá recebeu a mensagem de que mesmo sem provas de que exista Papai Noel, ele vai ser condenado não pelas provas, mas porque a literatura e a lei assim o permitem...

Absurdo?

Esperem pela realidade que se avizinha...


Nenhum comentário: