quinta-feira, 8 de dezembro de 2016

Campos dos Goytacazes e os eleitos: O caô da transição ou muito peido é sinal de pouca merda!

Diz o ditado que ovo de avestruz não vende porque ele não canta igual a galinha...Em outras palavras, propaganda é (quase) tudo...

Boa parte da nossa crise política sistêmica atual reside nesse ponto: na crença de que a imagem, o marketing, a contrafação substituem a ação política...

Desde que trocamos as ruas, a mobilização social pela campanha eleitoral sequestrada em horários de TV, onde marqueteiros transformam cocô em ouro em pó, a qualidade de nossa representação democrática não correspondeu ao que se esperava dela, e em simultaneamente, os preços das eleições subiram a estratosfera, quando o capital passou a ditar de vez a agenda dos mandatos e administrações...

No caso recente de Campos dos Goytacazes não foi diferente...e temos um novo (velho) prefeito gestado e parido como produto da guerra da mídia local, sem qualquer substância política que justifique seu cacife eleitoral...

Um prefeito oco, que com o fim das eleições não tem a menor ideia do que fazer...

A prova disso chega agora, na hora da onça beber água, isto é, a partir da posse...

Como o novo (velho) prefeito e sua equipe precisam justificar a que vieram, inventaram uma tal de transição, e desde sempre disseram-na emperrada pela má vontade da dinastia que deixa o lugar para a reedição da oligarquia mais atrasada aliada ao que há de pior nas elites locais (se é que nessa terra de merda haja alguma elite menos ruim)...

Ora bolas, os atos da atual prefeita estão todos impressos no Diário Oficial, e como vereador no exercício do mandato, o prefeito eleito deveria ter em suas mãos o Orçamento de 2016, bastando cruzar os dados para ver quantas andas a execução daquela peça...

Assim como não existe nenhuma dificuldade em, uma vez empossado ele e sua equipe questionarem aos funcionários estatutários como funciona cada setor, através da solicitação de relatórios circunstanciados das atividades exercidas...

Simples e direto...

E claro, tome-se como certo que ao chamar uma pessoa para exercer a função de secretário municipal,  haja um mínimo de conhecimento do funcionamento da parte da máquina administrativa que a ela estará subordinada...bem, isso é o mínimo que se espera...

O resto se aprende é fazendo mesmo...

Mas fica a pergunta: será que o vovô barbosa do prefeito fez a transição para o napoleão da lapa, quando ele ainda era um garotinho? 

Então vamos combinar que esse chorôrô de transição emperrada é igual aquela história:

Para o mau fodedor até as bolas atrapalham...

Nenhum comentário: