sexta-feira, 9 de dezembro de 2016

Campos dos Goytacazes: quando o pequeno príncipe e o napoleão dãos as mãos...

Incrível a lógica (?) do novo (velho) prefeito...

Falando para o novo diário oficial da planície de lama, o pequeno príncipe segue a sua jornada pelo campo da semiótica, ou melhor explicando, da manipulação mesmo...

Primeiro, ele se diz surpreso que a peça orçamentária seja tratada como ficção...ora porra, vá ser cínico assim lá embaixo da jaqueira do Jardim Carioca...

Todo parlamentar sabe, seja ele vereador de Cabrobró do Mato, ou da Câmara Federal, que orçamentos são assim considerados porque são peças autorizativas e não impositivas, logo, têm uma natureza maior de previsão orçamentária do que efeito vinculante...

Mas o ápice da canastrice não parou por aí...

Apesar de criticar a peça orçamentária fictícia de 2017 (inclusive por não ter sido elaborada para seu governo), e do valor de suplementação (50%) concedido a prefeita (que deixa o cargo) na peça de 2016, o pequeno príncipe reivindica o mesmo "cheque em branco" cuja emissão criticou em anos anteriores...

Ou seja, façam o que falo, mas nunca o que faço...ou em palavras mais duras: " o Orçamento é uma ficção, mas eu quero 50% de carta branca para gastar sobre esta merda"...

Entramos na era da política do bater pezinho e fazer beicinho...

Nesse sentido, parece que o napô e o pequeno príncipe são apenas as faces de uma mesma moeda...aliás, como já previsto por esse blog...