quarta-feira, 27 de abril de 2016

Falta decoro ao moro?

Certos cargos exigem liturgia, decoro, apego a discrição...Desde que passei a observar os fenômenos políticos-sociais desse país, seja por força da militância partidária, seja por dever de ofício, ouço que juízes, promotores e delegados, assim como outros cargos investidos de "autoridade", devem guardar distância segura dos holofotes...

A promiscuidade entre polícia e imprensa nos legou casos escabrosos, como Escola-Base...

A promiscuidade juízes e negócios gerou monstros de cinismo, como gilmar mendes, que vomita hipocrisia, enquanto afaga banqueiros que deveriam ser chamados de capos...

Assim, quando um juiz aparece demais, algo está demasiadamente errado...

Foi assim com o pobre coitado do joaquim barbosa, recolocado no ostracismo onde nunca deveria ter saído, despido de sua cara-de-pau quando descoberto usando paraísos fiscais e offshores para esconder transações imobiliárias do fisco...

Quem se lembra de demóstenes torres, procurador de justiça pego se banhando nas águas de um certo "cachoeira"?

O caso de moro (sérgio moro) é quase patológico...

E dá vergonha (e tristeza) ver um funcionário público sendo usado, e se lambuzando nos minutinhos de fama, inflado pelos abutres golpistas, ferramenta útil, porém descartável dos propósitos mais sórdidos...

Não é possível que seja tão burro a ponto de imaginar que está, de fato, combatendo a corrupção...

Então, se não é por ignorância, até porque, como se apresenta (um gênio, um fora-de-série), não tem esse direito, só o faz por cinismo e por dolo...duplamente grave...

moro é uma espécie de cabo anselmo de toga...

O fim dele?

O lixo da história...

Já deveria ter percebido, o pobre, que com a iminência da consumação do golpe, seu espaço vem sendo reduzido dia a dia, até minguar...

PS: O seu exemplo, a Operação Mãos Limpas, na Itália, destruiu o sistema representativo e a fé dos cidadãos na política, escancarando espaço para figuras como berlusconi, o palhaço mafioso e sexualmente perturbado... 

Nenhum comentário: