sexta-feira, 4 de março de 2016

Tiro no pé...

A palhaçada produzida pela PF (com direito a policiais uniformizados e prontos para "guerra"), com o aval do partido do ministério público e da seção da GESTAPO paranaense, outrora conhecida como Tribunal Regional Federal parece ter chegado ao seu auge...

Quem teve tempo e estômago de ouvir ou ler algo sobre a imundície produzida pela revista "quanto é" deve estar com vergonha alheia...

Um festival de suposições sem qualquer lastro probatório...Um amontoado de fofocas dignas de madames de salão...

Ainda assim, as "garbosas instituições" saíram a campo para cumprir seu papel...que papelão, hein?

No fim, conseguiram o que parecia impossível: Despertaram a militância do PT e dos partidos aliados...

Adiantaram a campanha de 2018...e com certeza, vão perder, de um jeito ou de outro...Não há chance de Lula não ser candidato, porque qualquer condenação ou obstáculo judicial baseada nesse festiva de mentiras deverá ser repelido por todos os meios...TODOS os meios...

Não há como defender a Democracia para esses animais...

8 comentários:

Anônimo disse...

Quais são "todos os meios"?

Anônimo disse...

Vocês piraram? Colocar o partido acima dos interesses da nação ? " Todos" os meios? É assim q funciona?

douglas da mata disse...

TODOS. Quem está colocando os interesses de uma facção (elite) do país acima de tudo não somos nós.

Logo, a defesa ou a resistência deverá ser proporcional a ofensa. Simples. Está na Lei e na CRFB/88.

Se imaginam que vão repetir 64, enganam-se...e isso precisa ficar bem claro! Acho que está, não?

Pois é, quem tem cú, deve ter medo.

Anônimo disse...

Lamentavel!!

douglas da mata disse...

Ah, sim, devem ser como aquele pessoa que bate, porra, estupra e depois quando recebem o que merecem, correm para baixo da saia de algum juiz, ou para baixo da cama e sussuram: "ui, quanta violência".

Sim, é lamentável que as coisas tenham chegado a esse termo. Mas eu tenho certeza que todo mundo cansa de apanhar covardemente e calado.

Agora é igual a rolha de champanhe, saiu, não tem volta.

Unknown disse...

A prisão temporária do ex-presidente Lula, ocorrida na manhã desta sexta-feira (04/03), considerada ironicamente pela PF como "condução coercitiva" representa um salto de qualidade na evolução de um regime de exceção, em plena etapa histórica democrática burguesa no país. A precipitação dos fatos, com a deflagração de uma caçada policial contra setores da direção petista muito próxima a Lula, devidamente chancelada pelo judiciário federal, em pleno governo da Frente Popular comprova plenamente a tese marxista de que ganhar uma eleição presidencial não significa ter o controle do poder de Estado. A gerência Dilma perdeu completamente as rédeas do regime institucional vigente, podendo ser achacada pela PF, judiciário e também pelo próprio Congresso Nacional. O objetivo das classes dominantes neste momento além da desmoralização política do PT é o de emparedar a presidenta para que conclua as reformas neoliberais para depois ser "cuspida" do Planalto como um "entulho corrupto".

douglas da mata disse...

Perfeito. Por isso que revendo "O Velho" é preciso enxergar o momento, e reunir todas as forças anti-golpe para resistir a essa tomada hostil.

Anônimo disse...

O Instituto Vox Populi foi o primeiro a medir o impacto da operação deflagrada pelo juiz Sergio Moro contra o ex-presidente Lula; com mais de 15 mil questionários válidos, a pesquisa comprova que o efeito foi contrário ao desejado pela Globo e pelos demais meios de comunicação engajados na destruição de Lula; 56% desaprovaram a inclusão de Lula na Lava Jato e 43% desaprovaram a conduta de Moro (mais do que os 34% que aprovam); além disso, 65% viram exagero na condução coercitiva e 57% disseram acreditar na palavra de Lula; para completar, no dia de ontem, nada menos que 63% dos entrevistados disseram ter visto a entrevista de Lula na sede do PT; dados mostram que ainda não mataram o "jararaca"

http://www.brasil247.com/pt/247/poder/219857/Vox-Populi-a%C3%A7%C3%A3o-contra-Lula-foi-tiro-pela-culatra.htm