quarta-feira, 30 de março de 2016

Desculpas? A hora que divide os homens dos meninos...

Uai, então é assim? Exponho a maior autoridade do país, passo por cima da Corte Suprema, prolato decisão com tom de panfleto, e depois, peço desculpas?

Ah, sim, vou tentar aplicar isso, será que terei sucesso?

Pior do que um cretino é um cretino dissimulado...pelo menos deveria ter a macheza de manter o que fez até o fim...

Não duvidem, estamos lidando com um tipo de covarde da pior espécie...Depois que viu a reação da sociedade, enfiou o galho dentro...

Se a resistência ao golpe aumentar, ele pede asilo na embaixada dos EUA...

terça-feira, 22 de março de 2016

A "crise" seletiva...

Engraçado ouvir o "silêncio ensurdecedor" da mídia local e nacional, junto com os blogs de coleira, sobre os cortes seletivos executados pelo (des)governador do pé grande...

Criminosa a sua conduta (do desgovernrador), se o mp estadual e o judiciário tivessem o mínimo de coragem para atacar os atos de (des)governo...Como se sabe, coragem institucional desse pessoal só se o alvo for o PT e aliados...

A mídia então nem se fala...há motivo$, muito$ motivo$ que sequestram o verbo e o bom senso...

Mas nada escapa a rede...

Veja o texto que trouxemos lá do blog do Nassif...

O os cretinos falam em crise...crise para quem, imbecis?

Pezão dá isenção fiscal para empresas e corta verbas da educação

Jornal GGN – Ontem, 21 de março, alunos e professores da UERJ (Universidade do Estado do Rio de Janeiro) protestaram contra as políticas do governador Luiz Fernando Pezão para a educação.
Na convocação para o ato, os organizadores denunciaram uma série de problemas na gestão da educação pública: “Terceirizadas demitidas sem pagamento, bolsas e salários atrasados, restaurante universitário fechado, corte na FAPERJ (Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro) e HUPE (Hospital Universitário Pedro Ernesto) sucateado”, listaram.
Para eles, “são ações sequenciais que só demonstram o interesse de desmontar o ensino gratuito”. Os manifestantes consideram inviável que o governo decida penalizar a educação pública do estado pela crise econômica. “A educação deveria ser prioridade e as escolas e universidades não vão pagar pela crise!”.
Na manhã de 16 de março, professores e pesquisadores que dependem de financiamentos da FAPERJ lotaram a Comissão de Educação da Assembleia Legislativa. Uma audiência pública tratava do atraso no pagamento de bolsas e cortes no orçamento da entidade.
O governo encaminhou ao Legislativo uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC 19/2016) prevendo o corte de R$ 210 milhões, metade das verbas que seriam destinadas à FAPERJ até o final de 2018.
Críticos da proposta entendem que o governador está realizando cortes em áreas estratégicas e essenciais para tentar compensar a queda na arrecadação e a crise econômica.
“Quem manda uma PEC dessas para cá perdeu o bom senso. A justificativa da PEC é absurda. Está escrito que este corte é para promover políticas públicas e estimular o crescimento econômico. É melhor deixar em branco do que escrever isso. É mais honesto. Não investir em ciência, tecnologia e pesquisa não representa crescimento econômico”, afirmou Marcelo Freixo durante a audiência.
A FAPERJ está no vermelho. A entidade tem uma dívida de R$ 136,5 milhões a 1200 projetos de pesquisa aprovados em 2015. A falta de verbas paralisa iniciativas vitais, como a pesquisa do zika vírus realizada pelo Laboratório de Virologia Molecular da UFRJ.
Além disso, desde janeiro, a instituição está devendo os valores das bolsas de cinco mil pesquisadores, muitos deles em regime de dedicação exclusiva, ou seja, sem outras fontes de renda.
“O prejuízo é para o Rio de Janeiro, não somente para os profissionais. Essas pesquisas não começam no mestrado ou doutorado, são sonhos de uma vida inteira que o governo está atingindo”, disse Freixo.
Enquanto isso, Pezão já concedeu a empresas isenções fiscais que somam R$ 138 milhões. Recentemente, o governo assumiu dívida de R$ 39 milhões da Supervia, que é controlada pela Odebrecht, com a Light. “O governo diz que não tem R$ 9 milhões, mas dá isenção de R$ 138 bilhões para empreiteiras corruptas que financiaram campanhas eleitorais. É muita isenção para bancar determinados lenços e guardanapos na cabeça”, afirmou o deputado.
Nova audiência pública sobre o assunto deve ser realizada no plenário da Assembléia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (ALERJ). Os deputados dizem que vão apresentar projetos de lei para que o pagamento dos bolsistas seja obrigatoriamente realizado nos mesmos dias do pagamento dos servidores públicos e para que seja criada uma vaga para os bolsistas no conselho da FAPERJ.
Os secundaristas também estão protestando no Rio de Janeiro. Cerca de 200 estudantes ocuparam o Colégio Estadual Prefeito Mendes de Moraes, na Ilha do Governador. Eles apoiam a greve dos professores e exigem que a Secretaria Estadual de Educação abra diálogo sobre as reivindicações dos servidores e dos alunos.
A Secretaria Estadual de Educação entrou em contato com os alunos para negociar a desocupação. O gabinete disse que se reuniria com eles hoje (terça-feira, 22) se eles saíssem da escola ainda ontem.  Em assembleia, os estudantes negaram a proposta.

Pesos e medidas...

Do blog do Nassif:

E se Dilma...

Enviado por Cintra Beutler
Esse texto foi lido ontem no Congresso
Texto escrito por Francisco Costa
1 - E se Dilma tivesse 22 processos por corrupção, como Eduardo Cunha (PMDB)?
2 - E se Dilma tivesse 18 processos por corrupção, como José Serra (PSDB)?
3 - E se Dilma colocasse sob sigilo, por 25 anos, as contabilidades da Petrobras, Banco do Brasil e BNDES, como Geraldo Alckmin (PSDB) colocou as do Sistema Ferroviário paulista, das Sabesp e da Polícia Militar, após se iniciarem investigações da Polícia Federal, apontando desvios de muitos milhões?
4 - E se Dilma tivesse comprado um apartamento no bairro mais nobre de Paris e, dividindo-se o valor do imóvel pelos seus rendimentos, se constatasse que ela teria que ter presidido este país por quase trezentos anos para tê-lo comprado, caso de FHC (PSDB)?
5 - E se a filha da Dilma tivesse tido um único emprego, de assessora da mãe, e a revista Forbes a colocasse como detentora de um das maiores fortunas brasileiras, como no caso do Serra(PSDB) e sua filhinha?
6 - E se Dilma tivesse dado dois Habeas Corpus, em menos de 48 horas, a um banqueiro que lesou o sistema financeiro nacional, para que ele fugisse do país; desse um Habeas Corpus a um médico que dopava a suas clientes e as estuprava (foram 37 as acusadoras), para que ele fugisse para o Líbano; se fizesse uso sistemático de aviões do senador cassado, por corrupção, Demóstenes Torres (DEM); se tivesse votado contra a Lei da Ficha Limpa por entender que tornar inelegível um ladrão é uma “atitude nazi-fascista” (sic), tendo a família envolvida em grilagem de terras indígenas, como Gilmar Mendes (Ministro do STF)?
7 - E se Dilma tivesse sido denunciada seis vezes, por seis delatores diferentes, na operação Lava Jato, e fossem encontradas quatro contas suas, secretas, na Suíça, alimentadas por 23 outras contas, em paraísos fiscais, e o dinheiro tivesse sido bloqueado pelo Ministério público suíço, por entendê-lo fruto de fonte escusa, e tivesse mandado toda a documentação para o Brasil, com a assinatura dela, como aconteceu com Eduardo Cunha (PMDB)?
8 - E se Dilma tivesse vendido uma estatal, avaliada em mais de 100 bilhões, por apenas 3,6 bilhões, como FHC (PSDB) fez com a Cia Vale do Rio Doce?
9 - E se Dilma tivesse construído dois aeroportos, com dinheiro público, em fazendas da família, como fez Aécio Neves (PSDB)?
10 - E se Dilma tivesse sido manchete de capa no New York Times, por suspeição de narcotráfico internacional, gerando diversas reportagens na televisão norte americana e agentes do DEA (Departamento Anti Drogas dos EUA) tivessem vindo ao Brasil para investigá-la e um helicóptero com quase meia tonelada de pasta de cocaína fosse apreendido em uma fazenda de um amigo pessoal e sócio dela como ocorreu com Aécio Neves (PSDB)?
11 - E se Dilma estivesse na lista de Furnas, junto com FHC, Geraldo Alckmin, José Serra, Aécio Neves (todos do PSDB...) entre outros?
12 - E se Dilma estivesse acusada de receber propinas da Petrobrás, como Aloysio Nunes (PSDB)?
13 - E se Dilma estivesse sendo processada no STF, por ter recebido propinas da empreiteira OAS e ter achacado o Detran do seu estado, em 1 milhão de reais, como fez Agripino Maia (DEM)?
14 - E se Dilma tivesse sido denunciada como beneficiária do contraventor Cachoeirinha, além de estar sendo processada, por exploração de trabalho escravo, em sua fazenda, como Ronaldo Caiado (DEM)?
15 - E se Dilma estivesse sendo investigada na Operação Zelotes, por ter sonegado 1,8 milhão de reais e corrompido funcionários públicos, para que essa dívida sumisse do sistema da Receita Federal, como Nardes (Conselheiro do TCU, ligado ao PSDB)?
16 - E se a filha de Dilma fosse assessora do presidente da CPI da Petrobrás e lobista junto a Nardes, um conselheiro do TCU, e tivesse uma conta secreta no HSBC suíço, por onde passaram milhões de dólares, como Daniele Cunha, a filha de Eduardo Cunha (PMDB)?
17 - E se Dilma tivesse sido presa em 2004, por fraude em licitação de grandes obras, no Amapá, e tivesse sido condenada por corrupção, evasão de divisas, lavagem de dinheiro e formação de quadrilha, como Flexa Ribeiro (PSDB)?
18 - E se Dilma, quando prefeita de Belo Horizonte , tivesse sumido com 166 milhões das obras do Metrô, como Antônio Imbassay (PSDB)?
19 - E se Dilma tivesse sido governadora e, como tal, cassada, por conta de compra de votos na campanha eleitoral, corrupção e caixa dois, como Cássio Cunha Lima (PSDB)?
20 - E se Dilma, em sociedade com Mário Covas (PSDB) tivesse comprado uma enorme fazenda no município mineiro de Buritis, em pleno mandato, e recebesse um aeroporto de presente, construído gratuitamente, de uma empreiteira, constatando-se depois que foi essa empreiteira a que mais ganhou licitações no governo FHC (PSDB), sócio de Covas?
21 - E se Dilma declarasse à Receita Federal e ao TRE ter um patrimônio de 1,5 milhão e a sua filha entrasse na justiça, reclamando os seus direitos sobre 16 milhões, só parte do seu patrimônio, como aconteceu com Álvaro Dias (PSDB)?
22 - E se Dilma estivesse sendo acusada de ter recebido 250 mil de uma empreiteira, na Operação Lava Jato, como Carlos Sampaio (PSDB)?
23 - E se Dilma fosse proprietária da maior rede de televisão do país, devendo quase um bilhão de impostos e mais dois bilhões no sistema financeiro, e tivesse o compromisso de proteger corruptos e derrubar a presidente, em troca do perdão da dívida com o fisco e financiamento do BNDES, para quitar as dívidas da empresa, como ocorreu no passado, caso dos irmãos Marinho, proprietários da Rede Globo de Televisão?
Certamente Dilma, investigada noite e dia, em todas as instâncias, sem um indiciamento, sem sequer evidências de crimes, no dizer do promotor da Lava Jato e de um dos advogados dos réus, “uma mulher honrada”, não estaria com os citados pedindo o seu impeachment.
O seu crime? Chegou o dia de pagar os carentes do Bolsa família e o tesouro não tinha dinheiro. A Caixa Econômica Federal pagou e recebeu três dias depois. Isto é pedalada e por isso todos os citados acima a querem fora do governo.
Porque é desonesta ou porque é um risco para os desonestos?
Para apressar a tramitação dos processos em curso ou para arquivá-los?"
Esse texto foi lido ontem no Congresso.

segunda-feira, 21 de março de 2016

O Processo na Casa Verde...



A ilustração acima se refere ao livro O Processo, de Kafka...Para quem não está ambientado a obra do autor checo, trata-se de uma crítica feroz ao ambiente burocrático instalado em certos nichos de poder estatal, destinados a aniquilar a sanidade daqueles que estão sob seu jugo, imputando-lhe culpa pela simples condição de existir, sem que haja necessidade de uma culpa baseada em qualquer fato concreto.

Basta ser quem você é, e responda àquilo que nunca lhe será dito, mas sempre lhe será cobrado.

O meio (processo) torna-se fim em si mesmo.

Nada mais adequado aos dias de hoje para representar a caça às bruxas que se instalou com o único objetivo de soterrar um grupo político determinado, não pelos seus erros, até porque, esses supostos erros são comuns aos demais, e solenemente ignorados pelos inquisidores, mas sim pelos seus acertos, por poucos e tímidos que sejam, ou seja: Dotar o capitalismo local do menor traço de civilidade e aspectos básicos de inclusão (re)distributivista.

Tenho lido muitíssima asneira, e muito pouca coisa que mereça atenção.

Mantive-me afastado, propositalmente, para domesticar meus laços afetivos com a questão, politicamente afetivos, diga-se...

Recuso-me a vala comum daqueles que imaginam análises pró ou contra...Não há realidade crível que permita tal exercício...

Tudo não passa de um delírio kafkaniano, um autêntico "Processo", que embora surreal, produz efeitos...

E eis a questão: Como avaliar algo que não deveria existir como se apresenta?

Creio que esse é o grande nó para figuras como Dilma, Lula ou o PT e aliados...

A produção semiótica venceu a realidade, e como geradora de causa e efeito, assumiu o seu lugar...

Ler um pseudo-intelectual local usando a metalinguagem surrada para justificar posições que teme assumir, vocalizado em plataformas sequestradas pelo interesse (óbvio) de classe (a patronal, sempre!) é de doer os olhos, como se na verdade, tivéssemos realmente que escolher entre a honestidade ou pela justiça social, pelas alianças (chamadas de espúrias)ou pelo purismo ideológico, e outras tolices minimalistas...

Ora, ainda que a o cinismo pragmático não absolva ninguém, o fato é que ninguém desconhece que não há Democracia que rime com capitalismo sem uma boa dose de cooptação rentista, e que no fim das contas, o que interessa (ou ao menos deveria) é saber quantos mais são incluídos...

Mas seguem ruminando ou zurrando contra suas próprias sombras...

Em nenhum momento da História desse país houve tamanha resistência a crise estrutural tão grande, apesar dos efeitos já esperados na retração econômica, muito mais causados pelas doses cavalares de ortodoxia monetária (juros escorchantes que nunca são considerados déficit fiscal, será por quê?) do que pela má gestão governista...

Como em nenhuma outra oportunidade o poder central se absteve tanto (e paga caro por isso) de controlar polícia e o judiciário (aí junto os torquemadas do mp)...

O governo é acusado justamente de fazer o que não faz, e sofre mais a cada vez que faz menos o que lhe acusam fazer...uma loucura talvez presente na Casa Verde d' O Alienista, do não menos genial Machado de Assis.

Irônico é ler editoriais e blogs de coleira de gente reclamando da fictícia intervenção governista nas investigações, logo eles que nunca resistiram a um pedido de tráfico de influência em instâncias policiais quando os rebentos "sujavam as fraldas"...

Gente querendo queimar presumidamente culpados em uma grande fogueira alimentada a exemplares da Constituição...

Eu, a meu modo vou me preparando para o combate (literal e real, se necessário)...

Que venham os bárbaros, se tiverem coragem...A destruição, como já ensinou Marx, tem um potencial criador formidável...

terça-feira, 15 de março de 2016

pezão tá dodói?

Deve ser crise de consciência...uai, mas ele algum dia teve alguma?

Não se sabe, mas com certeza o governador não arriscaria ser tratado em hospitais que escolheu destroçar...

Cervejarias, joalherias e montadoras usufruem dos benefícios fiscais, e o mandatário nos diz que falta dinheiro para o custeio da máquina e pessoal...

A ciência médica é um prodígio, mas pelo que saiba não inventou cura para a cara-de-pau e o cinismo...

Caiu na rede é...?

Bem, um vereador local, que desertou do PT recentemente, justificou seu ato como sendo uma resposta às vozes das ruas, que entoam a caça às bruxas pela "moralidade seletiva..."

Pois bem, eu fico imaginando o que o grande marco da moralidade, o vereador-fujão vai dizer aos seus filhos quando tiver que justificar a convivência com a "famiglia" bonhausen , aliados de última hora da joana d'arc da floresta, dona marina silva...

Entre Paulo Bornhausen (à esq.) e seu vice, Marina visita a capital de Santa Catarina

Esta fotografia mostra a animada cacique junto ao herdeiro dos "alemães" (paulo bonhausen, candidato ao Senado, durante a campanha em 2014)...

Claro que todos nós sabemos que os eixos da política, das alianças táticas e estratégicas são variáveis...Não seríamos hipócritas de negar à cacique da rede esse direito de exercer as suas...

Mas o problema é querer andar cagado e reclamar do cheiro alheio...

Como comentou um de meus sete leitores, é por isso que o napoleão da lapa nada de braçada nessa terra plana e lamacenta...





segunda-feira, 14 de março de 2016

Um "Marco Grande" para a história da covardia política local...

Mudar de lado é sempre opção pessoal...isso deve estar claro...Mudar de lado na política é opção pessoal vinculada a um fenômeno coletivo...

Ceder ao apelo fácil do macartismo é recorrente na história recente da política, seja lá fora, ou aqui...

Lealdade e coragem para enfrentar turbas possessas não é para todos...

É nessa hora que fazemos a distinção entre homens e meninos...

Certas pessoas carregam diminutivos nome para buscar afeto e rejuvenescimento a práticas carcomidas...

Outras usam aumentativos para esconder sua enorme pequenez...

Já vai tarde, vereador, já vai tarde...

Ou como diriam os mais antigos, a criatura sempre sai ao criador...Se estivesse vivo, o criador estaria exultante com o seu pupilo...

Caiu na rede, é peixe? 

Nem sempre, às vezes é camarão, com cabeça grande e cheia de...deixa pr'á lá...

domingo, 6 de março de 2016

Vox populi, vox dei...

Os imbecis não aprendem...Os cretinos insistem...Os cínicos se contorcem...

Mesmo sem um pentelhésimo do aparato de propaganda nazista comandado pelas organizações mafiosas grobo, e suas cúmplices desde o planalto até essa planície de lama, a verdade vai tomando forma...

Eis o resultado da palhaçada ditatorial judicialesca: Lula sai fortalecido do episódio...

E o motivo? Ora, caralho, a sua ligação com a população não se baseia em editoriais canalhas, ou na imagem projetada pelas ilhas de edições...

É origem de classe e compromisso...São fatos e feitos, é História de quem transformou esse país...

Há limites para manipulação, e repetimos, não estamos em 1964!

É engraçado ver os midiotas aplaudindo ou defendendo a empresa mafiosa dos marinho, quando ela berra aos quatro ventos sobre as suspeitas de propriedade de apartamento triplex, e espertamente silencia sobre a mansão em Paraty, adquirida com emprego de empresa de fachada em paraíso fiscal estrangeiro...

E o DARF, minha gente? Como essa empresa mafiosa pode falar em desvio sem mencionar esse escândalo de proporções épicas...

Com certeza, cassar a concessão da empresa dos marinho não fará a corrupção acabar, mas ao menos vai nos permitir enxergar que ela está inclusive em quem gosta de cagar regras de moralidade (para os inimigos)...

Se queremos começar a passar esse país a limpo, sugiro uma devassa fiscal em TODAS as empresas de comunicação desse país, identificando os verdadeiros donos, suas contas e empresa mantidas em paraísos fiscais, os esquemas de bônus de volume, a fraude da aferição de circulação que fixa os preços para a divulgação de anúncios estatais, as relações promíscuas com agências publicitárias e verbas estatais, propriedade cruzada, e por aí vamos...

No tocante ao Lula, vejamos o que publicou o blog do Nassif a respeito da repercussão do sequestro do ex-Presidente...

Podemos chegar a algumas conclusões óbvias: O evento deu um palanque ao Lula. A maioria achou exagerada sua "condução" (sequestro), e acredita em sua inocência...Isso depois de meses a fio de exposição contrária...

Está claro o que eles temem...

Vox Populi: maioria desaprova Moro e operação contra Lula

Levantamento foi feito com base em 15 mil questionários respondidos
Jornal GGN - Um levantamento realizado pela empresa de pesquisa de opinião, Vox Populi, com cerca de 15 mil pessoas, mostrou que 56% desaprova a inclusão do ex-presidente Lula nas investigações da Lava Jato.
A pesquisa também aponta que 43% desaprova o trabalho do juiz Sérgio Moro, contra 22% que aprovam, mas acreditam que as ações do magistrado são exageradas, e 34% que aprovam sem ressalvas.
A pesquisa ainda está aberta e você pode participar. Clique aqui.
Veja o resultado com 15 mil questionários válidos:

1) Qual o seu sentimento em relação ao fato de que o ex-presidente Lula foi incluído na investigação da Lava Jato?

Gostei, eu aprovo   41%

Não gostei, não aprovo  56%

Não sei responder  3%

2) Qual a avaliação que você faz do trabalho do juiz Moro nesse processo da Lava Jato?

Aprovo, ele está fazendo um excelente trabalho 34%

Aprovo, mas ele tem exagerado em algumas medidas  22%

Desaprovo  43%

Não sei responder   1%

3) Com qual das frases você se identifica mais?

Não vejo problema algum na forma como foi feita a condução do Lula para depor na Polícia Federal  34%

Achei um exagero a forma como o ex-presidente Lula foi levado a depor pelos agentes da Polícia Federal  65%

Não sei responder  1%

4) Você acredita na inocência do ex-presidente Lula?

Sim, acredito nele  57%

Nao, ele é culpado  34%

Não sei responder  8%

5) Depois que o ex-presidente depôs na Policia Federal ele concedeu uma entrevista coletiva na sede do PT em São Paulo que foi transmitida pela televisão. Você assistiu à entrevista dele?

Sim, assisti tudo   63%

Sim, assisti partes da entrevista   25%

Não, mas fiquei sabendo  11%
 

sábado, 5 de março de 2016

Astor Piazzolla - "Concierto para Bandoneón" (1985)





Simplesmente genial...

Não vai haver golpe!

Não adianta substituírem os tanques e fuzis de 64 pelo autoritarismo dos mandados judiciais ilegais ou as inquisições ministeriais inconstitucionais...

Lula não é Vargas e não é Jango...

O PT não é o PTB...

Aqui não é Honduras ou Paraguai.

Mesmo que a violência venha vestida de toga, a resistência será proporcional...

Chega de apanhar covardemente e calados!

Se mexerem com o mandato da Presidenta, ou com os direitos fundamentais do Lula, vão ter o que estão pedindo...

Crônica de um amor covarde. por Xico Sá...

Não tenho muita paciência para Xico Sá e os outros três imbecis que o acompanham em programa de canal fechado...

Mas nada é absoluto e nem tudo é relativo, aprendi com certo tempo e muita porrada no focinho...

Então, hoje quando lia a edição do El País, quase vomitando com a escrotidão anti-PT que é, por motivos mercadológicos e ideológicos, multinacional (sim, o capital não leva desaforo), me deparei com esse texto...

Vale uma olhadela:

“Amigo, ela simplesmente chamou um Uber e foi embora, sem choro e nem vela”, conta um chapa, a quem fui socorrer esta semana no consultório sentimental do balcão do Príncipe de Mônaco, (ai de mim) Copacabana.
Os enamorados ou enrolados modernos pingam o ponto final nas suas histórias com extrema praticidade. Pode até doer como nos tempos de Romeu & Julieta —ninguém sabe ler o que se passa em um rosto sem a maquiagem borrada pelas lágrimas do exagero. A praticidade, todavia, me intriga.

Meio indie

“Ela chamou o Uber com aquela arrogância de mina moderna, saca?”, queixa-se o amigo. Não tive como não rir da frase do desalmado, um jovem igualmente prafrentex na casa dos 30, meio indie, barba russa, meio zen, lesado mesmo.
No que pensei na bela independência das mulheres. Cada vez mais atendo, no balcão das dores de cotovelo, homens perdidos diante de mulheres que se acham. Sintoma de uma época.
Tese de sociologia dos costumes à parte, a preguiça sentimental impera. Ninguém tem mais paciência para o drama amoroso. Diante da menor dificuldade ou ensaio de barraco, já era, chama o Uber, vou de táxi, cada um na sua toca do tatu metafísico com mil pensamentos imperfeitos.
Diante da menor dúvida amorosa, o ser humano emburaca mal sabe donde.
Nem aquela bela transa da treta os casais brigados estão aproveitando mais. Nem aquela da raiva! Sabe aquela trepada quando tudo parecia perdido!
Tudo muito prático, diante do menor conflito, cada qual vai ver seu seriado predileto no Netflix. E o que era um ensaio de amor se rende aos muxoxos dosemoticons.

Que fraqueza

E assim, com essa praticidade moderna toda, perdemos o melhor da vida. Se você acha que transa com alguém por alguns encontros, algumas noites perdidas, só rindo
Noves fora o amor líquido, aquela onda escorregadia, ninguém é de ninguém etc, há uma leseira medonha diante da possibilidade amorosa. Qualquer briguinha nego ou nega já caem fora, dão o ninja, o vazare. Que fraqueza.
Que erro, que fracasso, a dramaturgia amorosa exige paciência, um vagar mínimo, um encontro, olhos nos olhos, um homem e uma mulher reinventando suas narrativas particularíssimas, verdades lentas como se, vai saber, sequer se conhecessem à vera. E quem diz que se conhecem?
E assim, com essa praticidade moderna toda, perdemos o melhor da vida. Se você acha que transa com alguém por alguns encontros, algumas noites perdidas, só rindo. Você simplesmente nunca comeu ninguém, sério. Que nada, meu jovem, a verdadeira pornografia (você pode chamar de erotismo, tudo certo) exige intimidade suprema. O sentido do cheiro, do gosto dela na barba, de modo a você passar o dia todo cheirando os dedos e sabendo quanto significa uma mulher de verdade a balançar no trapézio do juízo.
Ela balança no trapézio... Está entre você e a humanidade.
Você a ampara, mesmo que ela não careça nada, ela avoa, você a segura pelo braço como naquele quadro russo do Chagall, minha ideia de amor, com ou sem ideia de modernidade.

Jogo das coincidências

Tudo bem, é só chamar um arrogante Uber e ir simbora, mas, peraí, chance alguma de dramatizar mais um pouco? De saber pelo menos que um veio de Jacarezinho, Paraná, e outro nasceu em São José do Rio Preto?
Por que não chamar aquele taxista que sabe um pouco da sua vida e vai saber que você está triste pra cacete. Ele vai sintonizar na Alpha Fm, SP, e vai tocar, óbvio, uma música que fala muito da pouca vida dos pombinhos juntos, Elton John, essas pérolas.
Ele vai cutucar com alguma pergunta indesejável, tipo indiscrições da bandeira 2. Sem essa da frieza do chofer do Uber, que jamais se mete na existência...
Bom mesmo é Johnny Rivers, Do you wanna dance, pra lembrar quando a gente descia do Sul de Minas ouvindo a Band Vale.
Por que ir embora? Sequer completaram o jogo das coincidências, quando o amor realmente começa. Você gosta disso, eu daquilo. Sim, Bowie, Nina Simone, batemos. Vixe, melhor ainda, ela não é golpista na política, embora seja bastante crítica!
Por que não se conhecerem melhor?
Por que não ouvir aquele disco “Alucinação” do Belchior?
Por que não deixar o Barry White sussurrar na cabeceira daquele motel de beira de estrada?
Por que não ver juntos, no próximo domingo, o terceiro capítulo de “Vynil” (HBO), a série mais sensacional sobre os anos 70?

Rejeição

Chega de preguiça sentimental, minha gente.
Vocês nem têm motivo para dar errado, chega de finalizar precocemente o amor que poderia render pelo menos um samba-canção mela-cueca.
Como assim essa despedida maluca. Para que um casal se despeça, o casal há de ter construído uma ideia mínima de pombolândia.
Há de ter ouvido pelo menos aquela da Daiana Ross e do Marvin Gaye, sabe, nossa trilha, “Love twins”?
Né?
Como essa gente se larga sem ao mínimo se dá chance de uma rejeição de verdade?
Poxa, mal você revelou o seu defeito mínimo de alcova. Só quando conhecemos todas as imperfeições do outro conseguimos amar minimamente.
O conhecimento do auge é para os fracos de alma, os bons amam pelas coisas supostamente erradas.
Em vez de pedir um táxi ou um Uber, vamos experimentar a ideia de dormir juntos, mesmo que, no princípio, isso signifique uma insônia para dois, aquela insônia que você, nossa, pensa “que merda”, devia ter ido embora, mas você foi ficando, agora é tarde, só resta observar como ele(a) respira. Eis uma bela ideia de blues para as noites futuras.
Xico Sá, escritor e jornalista, é autor de “Se um cão vadio aos pés de uma mulher-abismo” (editora fina flor), entre outros dez livros Na tv, é comentarista do programa “Papo de Segunda” (GNT).

Mandado de coerção: A jaboticaba da Ditadura do Paraná!

Como é de conhecimento público, esse blogueiro atua na área de segurança pública desde 2003...

Claro que em se tratando de questões jurídicas, são possíveis vários entendimentos sobre o tema, mas eis os meus, alicerçados em alguns anos de experiência e observação (publiquei parte desse comentário no debate do blog do Roberto, alterando alguns itens e frases para melhor compreensão nesse espaço):


Sobre mandado de condução coercitiva.

Essa peça não existe, juridicamente falando, eu repito, não existe, assim como não existe até hoje previsão legal para o MP investigar, o que há é uma precária interpretação extensiva da Lei Orgânica do MP, que não tem força para alterar o Código de Processo Penal, e muito menos a CRFB/88, onde estão definidos os limites e atribuições da investigação, mas isso é outro longo debate.

Assim como também não há a peça policial chamada VPI (Verificação de Procedência da Informação), que nada mais é que uma adaptação/derivação do que diz o CPP, em seu artigo 6º.

Hoje, antes de se instaurar o Inquérito Policial, nas Delegacias Policiais do Estado do Rio de Janeiro, temos uma espécie de pré-Inquérito, que embora não tenha previsão legal, gera efeitos e pasme, responsabilidades administrativas aos servidores e repercussão na vida do (pré) investigado.

Então, voltemos a vaca fria nesse país onde a versão vale mais que o fato.

O tal "mandado de coerção" é uma invenção inconstitucional criada para ficar entre os decretos de prisões cautelares previstos em Lei (temporária, no Inquérito Policial; e preventiva, já no processo penal) e o registro da desobediência e/ou resistência do investigado.

Essa invenção deriva do que está expresso no artigo 260 do CPP, onde:



Art. 260. Se o acusado não atender à intimação para o interrogatório, reconhecimento ou qualquer outro ato que, sem ele, não possa ser realizado, a autoridade poderá mandar conduzi-lo à sua presença.
Parágrafo único. O mandado conterá, além da ordem de condução, os requisitos mencionados no art. 352, no que Ihe for aplicável.

Em outras palavras, na falta de uma expressão manifesta da Lei, criou-se uma "peça" ou um "ato" que não está escrito em lugar algum, senão na interpretação extensiva, que é VEDADA em termos penais.

O artigo diz que a Autoridade PODE, mas não DEVE, logo, por conclusão lógica, o PODER é discricionário e aplicado a cada caso, e não VINCULADO a um ato obrigatório e com previsão legal.

Resumindo: Só haveria mandado de condução coercitiva se a LEI dissesse isso.

Não há, repito, mandado de "condução coercitiva".

Se o investigado se negar a comparecer, tem que haver a inauguração de procedimento policial sob o título de desobediência (artigo 330 do CP) ou resistência (artigo 329 do CP), caso o investigado opuser meios violentos para impedir o cumprimento da ordem de intimação.

Se na oportunidade da entrega do mandado (se for para ouví-lo no mesmo dia), ou se o Juiz determinar a sua presença em data posterior e o envolvido se negar a comparecer, aí sim tem que ser levado pela força policial, e uma vez no distrito policial ficará preso em flagrante até que assine o term o circunstanciado (Lei 9099/95).

Esse é o rito, e nada mais pode ser feito.

Não se conduz quem não se negou a comparecer e pior, quem não foi sequer intimado.

"Condução coercitiva" é, como foi o caso, prisão ilegal!

Nas delegacias, só conduzimos o cara depois de três mandados não atendidos (um costume, porque não há previsão legal, repito). É o bom senso.

Quando há fato concreto (FATO CONCRETO) que autoriza a conclusão de que o cara vá obstar/fugir/ameaçar testemunhas durante o Inquérito (Lei 7960, artigo 1º e incisos) ou por em risco a ordem pública ou processo (artigo 312 e 313 do CPP), o decreto é de prisão.

"Mandado de coerção" é nossa nova jaboticaba.

Quanto ao resto, creio que tudo já foi dito.

PS: A coerção como foi feita está prevista na Lei 4898 de 65, que versa sobre o abuso de autoridade.


sexta-feira, 4 de março de 2016

Tiro no pé...

A palhaçada produzida pela PF (com direito a policiais uniformizados e prontos para "guerra"), com o aval do partido do ministério público e da seção da GESTAPO paranaense, outrora conhecida como Tribunal Regional Federal parece ter chegado ao seu auge...

Quem teve tempo e estômago de ouvir ou ler algo sobre a imundície produzida pela revista "quanto é" deve estar com vergonha alheia...

Um festival de suposições sem qualquer lastro probatório...Um amontoado de fofocas dignas de madames de salão...

Ainda assim, as "garbosas instituições" saíram a campo para cumprir seu papel...que papelão, hein?

No fim, conseguiram o que parecia impossível: Despertaram a militância do PT e dos partidos aliados...

Adiantaram a campanha de 2018...e com certeza, vão perder, de um jeito ou de outro...Não há chance de Lula não ser candidato, porque qualquer condenação ou obstáculo judicial baseada nesse festiva de mentiras deverá ser repelido por todos os meios...TODOS os meios...

Não há como defender a Democracia para esses animais...