sábado, 5 de dezembro de 2015

pezóide e o seu CAOs....

Mais aí embaixo tratamos das considerações de Wilson Ferreira para o que ele chama de CAOs, um processo que domina os meios de comunicação, fartamente utilizado como ferramenta política de consenso fabricado, junto com a tese da Espiral do Silêncio...

No Estado do Rio de Janeiro não é diferente, até porque o (des)governador goza do beneplácito dos principais meios de comunicação, sabe-se lá a que preço, mas acima de tudo porque o setor midiático regional enxerga nele, senão um representante de seus interesses e de seus sócios, ao menos um aliado inconteste das elites fluminenses...

A medida que a "crise" orçamentária do Estado vai se diluindo nos noticiários, vamos enxergando a estratégia de criar uma versão que espanque a realidade até modificá-la ou fazê-la se (auto)realizar...É o CAOs do pezóide...

O corte dos salários dos servidores é medida apenas para realçar o drama pretendido: Os vencimentos representam pouco no montante total das despesas de custeio da máquina pública, como é sabido por todos...

Mesmo assim, os servidores foram surpreendidos pelo confisco (que dizem ser temporário) ilegal e inconstitucional de seus vencimentos, quando o "aviso" se deu três ou quatro dias antes do pagamento...

Não houve, e nunca haverá por parte do (des)governador "transparente" (como chamaram alguns cretinos) nenhuma informação do que significaria essa medida para os cofres públicos e porque chegou-se ao número cabalístico de 2.000 reais...
Muito menos se disse porquê outros poderes foram poupados da medida...

Agora, o (des)governador alega estar em busca dos créditos fiscais sonegados, e é visto implorando aos empresários sonegadores que paguem o que devem...

No meio do seu périplo, o (des) governador espalha a notícia de que a retração da atividade econômica teria causado maiores dificuldades aos "pobres" empresários, logo, veicula a ideia de que estariam fazendo um "sacrifício" cívico...

Cívico ou cínico?

É preciso dizer que em tempos de alegada crise , os empresários tomam duas medidas, consideradas como  emergenciais: Tentam aumentar o valor de suas mercadorias e serviços, e quando não há espaço para uma manobra nesse sentido, partem para sonegar descaradamente o que devem, como forma de criar um "colchão" para futuras contingências...

Sabedores que os débitos fiscais sempre são tratados pelos governos como moedas podres, cujo resgate implica na concessão de toda sorte de descontos e prazos, os empresários-canalhas elaboram o "crime perfeito", tudo ancorado na velha e boa chantagem de que se não for desse jeito, não tem outro jeito, ou seja, demissões, fuga, etc...

É aqui que a porca torce o rabo, ou a "crise" se autorrealiza:

Antes mesmo da coisa piorar, empresários antecipam a "tutela" de seus interesses, retendo o que devem, aí sim, criando uma crise fiscal que por si, justifica tudo, inclusive perdoar a sonegação que lhe deu causa...

Claro que essa canalhice é um gesto tipicamente "humano", mas os governos têm do dever constitucional de impedir a progressão desta autorrealização, mas ao contrário, como têm o rabo preso até a medula com esses setores, fingem que nada está acontecendo, até que a porra toda estoura (nas mãos dos mais fracos, sempre)...

Seguem repetindo que é a "crise" que provoca queda na arrecadação...

Fica a pergunta:

Se a "crise" não é nova, se todos os prognósticos apontavam esse desfecho, por que o (des) governador não executou ou cobrou dos empresários o que deviam antes?

Por que deixar a coisa chegar a esse nível?

Interessante é assistir o silêncio sepulcral dos Procuradores e Deputados...Uai, se tem gente devendo ao Estado, a ponto de sacrificar suas atividades-fins, não está o mandatário incorrendo em grave improbidade administrativa (e/ou crime de prevaricação, no mínimo), ao favorecer devedores contumazes e já declarados sem qualquer medida coercitiva?

Será que a tal "crise" com o confisco não serve justamente a tese da emergência para "lavar" impostos sonegados com generosos descontos da bacia das almas?

Por que o (des) governador trata sonegadores como cidadãos e os servidores como cachorros?

Será que o silêncio do Parquet e Deputados é resultado da estratégia do (des)governador em poupá-los do confisco?

É possível que dentre os maiores devedores e beneficiados com programas de renegociação estejam doadores de campanha do (des)governador e dos deputados de sua base de apoio, ou até mesmo da "oposição", curiosamente silente?

 Vai saber...

17 comentários:

Anônimo disse...

Palmas para o arauto das descobertas. Estamos diante de duas descobertas - a pólvora e a roda. É claro que o silêncio estadual, municipal e principalmente federal é decorrente dessa escória que em que se transformou a política, adoecendo todo o tecido eleitoral. Esticam a veia do pescoço e se anunciam como paladinos da moral, da boa gestão pública,aqueles que tem o remédio para curar desde a economia como a unha encravada. No entanto depois de 12 anos vermelhos, não esboçaram um movimento sequer em direção às reformas, sejam políticas, tributárias e das demais leis que regem o País. Preferiram fazer média com o bolivarismo colombiano, cubano, venezuelano e outros anos. Ação entre amigos. Desde o confisco de um próprio da Petrobras até os investimentos a troco de nada bancados pelo BNDES, lá fora e pros amigos do poder aqui de dentro. Aliança com o capitalismo de todas as formas com as Empreiteiras e quando esse vem mostrar a fatura dão uma de cabaças. Querem o que? Todos indistintamente perderam a moral para cobrar. No final é toda essa água barrenta, verdadeira molecada, em uma autêntica briga de rua, como se estivessem tomando conta de uma quitanda. Voce é um cara honesto, cidadão de grande porte. Só que limitou a sua capacidade periférica de observar as coisas, se confundindo com uns imbecis petistas que segundo voce para atravessar uma rua não o fazem sem que alguém lhe dê as mãos. Os mesmos que fecharam o partido e o incharam com todo o tipo de paraquedistas e parasitas e na sua ausência fizeram o que fizeram com a sigla. Tenho uma dúvida se alguém entrar com uma ação civil pública pedindo o fim da sigla que o TRE nao tem motivação para fazê-lo. Fez-se uma aliança com alguém inconfiável e os interesses do momento podem levar a um impeachment, o que acaba se tornando moral e lícito na cabeça dos seus interesses. Está parecendo pesadelo, mas é fim de festa.

douglas da mata disse...

Primeiro grave e irreversível erro: Reduzir a política e seus processos a uma questão de moral...daí decorrem os outros, como nivelar todos como se fossem as mesmas coisas.

Não é possível desconhecer os estragos feitos pelos arranjos e alianças globais do capitalismo ao redor do mundo, sequestrando todas as matizes políticas para impor sua agenda...Esse blog nunca se furtou a esse debate, incluindo aí o PT como parte desse probelam, mas sempre rejeitando a visão calhorda de colocá-lo como princípio, meio e fim da situação que enfrentamos...

No mundo todo o capital mantém os sistemas representativos como refém:

- Foi assim quando bush jr inventou guerras, mentiras e videotapes para cevar o complexo militar-industrial-petrolífero dos EUA, à bordo do corolário da ultra-direita (moralista) cristã;

- Foi assim com a quebra de 2008, quando um festival de irregularidades e ilegalidades, eufemisticamente chamadas de desregulamentação, levaram o mundo ao caos programado do capital...desde esquemas de correntes Madoff, atá maquiagem de balanços (caso Enron) e manipulação descarada (como no caso da Eurolibor)....tudo para engordar algumas contas em detrimento do sofrimento de milhões de pessoas...

- É assim quando empresas respeitadíssimas dos países que vomitam regras de respeitabilidade (leia-se França e Alemanha) corrompem nossos sistemas representativos e as licitações do Metro de SP;

O que esperava o imbecil aí de cima, que revogássemos o capitalismo local e instaurássemos a revolução bolchevique tupinambá?

Que fechássemos o Congresso?

Vá para puta que te pariu...

Depois segue repetindo a cantilena (falsa) do BNDES e da Petrobras, pincela alguns elogios individuais ao blogueiro (como se isso tivesse alguma importância) e caga o resto todo, ao centrar fogo no alvo de sempre: O PT.

Todos os problemas do PT (e de todo sistema político) devem ser resolvidos COM MAIS POLÍTICA E MAIS DEMOCRACIA e não com fechamento de partidos e/ou com a judicialização da política já partidarizada, via os "impolutos" do TSE, com gilmar dantas mendes, golpes travestidos de impeachments, e por aí vão...

Muito menos com a disseminação da crença de que é tudo igual e nada tem jeito.

Xô cretino, longe daqui...vá dar o cú ao capeta...

vovô sincero disse...

O vice Michel Temer vem sendo apontado pelo arco político governista como sendo " O capitão do golpe", na expressão do entusiasta neopededista Ciro Gomes, detentor de um naco considerável de cargos na esfera estatal. Esta análise sobre o papel de Temer na abertura do processo de impeachment vem sendo compartilhada por uma vasta parcela da blogosfera " chapa branca", reforçada pela decisão do ministro da Aviação Civil, Eliseu Padilha, pemedebista que assumia a função de sub articulador político do governo, além de ser o responsável pelo cronograma de privatização dos aeroporto brasileiros. Temer foi alçado à condição de articulador político do governo no Congresso Nacional por indicação do próprio Lula, que pessoalmente chancelou a decisão de Dilma em retirar o petista Mercadante da condução das negociações com os partidos aliados e o parlamento. Temer e seu bando mais mafioso do PMDB (que agrupa Eduardo Cunha e outros bandidos), refestelou-se do banquete estatal oferecido a ele pela presidente Dilma, nomeou ministros e preencheu quase todos os cargos vacantes do segundo e terceiro escalão da república. Acabada a farra das indicações Temer retornou às suas "atribuições constitucionais" no Palácio do Jaburu, aconselhando Dilma a empossar o ex-governador da Bahia Jaques Wagner como novo ministro da Casa Civil. A

vovô sincero disse...

Até então o governo comemora exultante o fechamento de um ciclo de crise, encerrada com a prestimosa ajuda de Temer e sua quadrilha. Com uma base parlamentar "saciada" de cargos Dilma conseguiu derrotar a chamada "pauta bomba", aprovando na sequência das votações do Congresso ainda mais medidas do draconiano ajuste fiscal que retiravam direitos dos trabalhadores e aposentados, até aí a "lua de mel" entre o mercado, governo e o PMDB parecia que duraria um pouco mais. Mas o quadro da "estabilidade" temporal começou a se deteriorar na medida em que Cunha passou a ser acossado pelo Ministério Público, Janot e sua equipe, acusado pelo presidente da Câmara de ser um instrumento do governo contra adversários, por sinal uma " tese" sem qualquer base real. Para piorar a situação o próprio Janot em parceria com ministros do STF mandaram o líder do governo no Senado para a cadeia, deixando Cunha ainda mais temeroso de uma iminente prisão diante do vendaval de denúncias contra ele. Precisando aprovar a CPMF, uma exigência dos rentistas para que o governo garanta o superávit fiscal, Dilma vacila em selar um novo acordo com o "enforcado" Cunha no Conselho de Ética da Câmara, a crise política volta a atingir temperatura máxima... Farejando o cheiro da carniça, e ainda arrotando as iguarias que o Planalto lhe presenteou, Temer resolve "liberar" seu comparsa para atacar Dilma com a ameaça do impeachment. Com o "tiro" Temer pode atingir dois alvos, se triunfar o impedimento da "chefe" o vice vira "imperador" da república ,se fracassar a rasteira (o que no momento é a variante mais provável) o rodízio do banquete público será renovado, com Dilma novamente a seus pés pedindo socorro. Esta segunda alternativa parece ser o cenário que vai se desenhando, Dilma já declarou que seu vice é "absolutamente leal", apesar de todas as evidências da trama com Cunha e os tucanos, enquanto Temer declara que ficará "neutro" cumprido sua função constitucional que "não inclui barrar o processo do impeachment" , segundo suas próprias cínicas palavras. Enquanto segue a barganha geral das frações burguesas salivando o controle do botim estatal em plena fragilidade completa da Frente Popular, o estafeta dos rentistas, Levy, afirma que o processo de impeachment não afetará os planos do "ajuste". Para a esquerda planaltina o processo do impeachment é a oportunidade de ouro para resgatar a legitimidade de Dilma em plena recessão econômica que seguirá impassiva segundo os interesses do mercado financeiro. Afinal o mandato de Dilma (eleita sob um estelionato político contra os trabalhadores) está sendo atacado por criminosos e deliquentes da política nacional, não importa se até ontem eram "bons companheiros". Em tempos de fraude política para todos os lados é preciso que se declare em alto e bom som: Dilma está sendo chantageada por elementos de sua própria base de apoio, não há nada de progressista em seu mandato que tenha "detonado" a ira das classes dominantes. Portanto estamos diante de uma guerra fratricida no campo de nossos inimigos de classe, onde o palco da "batalha" são as instituições podres do regime da democracia dos ricos. Getúlio e Jango (ambos governos nacionalistas burgueses) sofreram um golpe de estado porque contrariaram minimamente interesses do imperialismo e das oligarquias que o representavam no país, Dilma atravessa intensa turbulência justamente por servir aos amos de Wall Street e se aliar ao esgoto da política burguesa nacional. Se tanto apetece a Dilma e Lula suas relações políticas com os chacais que vivem do sangue da classe trabalhadora, agora não podem reclamar que lobos da direita "gostam de carne"!

douglas da mata disse...

vovô sincero, não concordo que velhice seja sinônimo de senilidade, o que no seu caso, se confirma.

Os extensos comentários, que podem parecer alguma profundidade, requentam o remerreme das ultra-esquerdas imbecilóides, irmãs siamesas das forças golpistas que dizem antagonizar.

Primeiro: Expressa o mesmo desprezo pela necessidade de fazer política (e aliança) com o qe a realidade impõe, e não com o que julgamos ideal.

Tenho certeza que Dilma e o PT gostariam de ter como parceiros 503 vovôs sinceros, ou seus correligionários da vanguarda, mas fica a pergunta: Qual seu peso relativo na sociedade?

Entendendo a Democracia como um processo de causa e efeito recíprocos, e até justificando a eleição de conservadores como um cacoete permanente dos sistemas representativos capturados pelo capital, há de se perguntar de novo: O que fazer? Fechar o Congresso? Quem elegeu cunha? Quem criou e cevou figuras como temer?

Depois o vovô (in)sincero comete uma série de erros históricos (e graves):

Coloca que Getúlio e Jango de conspiradores de sua base, por suposta oposição aos interesses do capital.

Imbecil esquece que um golpe não é um processo monolítico ou hegemônico e se de fato, houve forças orgânicas golpistas (que foram na época e o são até agora) houve forças que oscilaram, se omitiram, e outras, como os eternos cretinos da ultra-esquerda (sempre os há) que contribuíram indiretamente para o acirramento e isolamento do governo varguista e janguista, deixando-os a própria sorte.

Vargas foi solapado por vários correligionários e forças que até então marchavam ao seu lado, inclusive seu vice Café Filho (ler a biografia de Vargas, por Lira Neto).

Jango idem, onde o PSD fazia o papel de PMDB da época.

O vovô senil esquece das medidas que Dilma adotou e que são consideradas sacrilégios ao deus-mercado, como a taxa de juros reduzida em 2011 (que fez desaparecer mais de 70 bilhões da banca) e as mudanças promovidas no regime de exploração do petróleo (alvo desde a mudança no governo Lula), os investimentos sociais que redesenharam a estrutura social brasileira (tímida, é verdade, mas inédita para os senhores da casa grande).

O cretino vovô não consegue explicar o seguinte:

Se Dilma e o PT servem a casa grande com tanto afinco e cedem a cada chantagem, qual é o motivo de ataques diuturnos desde a sua posse?

Dilma "vacila" em fazer acordo com cunha?

O vovô bocó se contradiz, ora, se ela fez tanto para se equilibrar até aqui, por que não fazer mais um acordo?

O débil mental parece que não leu o conteúdo da carta de temer, e se leu não entendeu o gesto de desespero ali revelado, que não autoriza nenhum ser de bom senso a dizer que dilma estaria aos pés do signatário.

Muito menos o beócio vovô não vê a uva, e nem vê nada, a ponto de considerar as declarações de Dilma em relação ao canalha temer são a prova de que o colocou em seu devido lugar e que o desmascarou. São declarações de escárnio institucional, próprias a quem vê o inimigo se debater, e lava as mãos, como a dizer: "se estás na merda, não fui eu que te coloquei aí, mas foda-se".

A tese da guerra fratricida é pueril e ingênua.

Infelizmente, vovô boboca, a realidade é bem mais complexa que termos governos alinhados com esse ou aquele espectro ideológico, como querem aduzir os dementes da extrema direita.

O vovô zérruela imagina que um governo eleito em sistema representativo dentro do capitalismo global de hoje definiria seu programa e executaria sua agenda progressista de forma linear. E que qualquer coisa longe disso é uma traição ou estelionato.

Foram esses cretinos (como o vovô) que trucidaram o sonho socialista através das burocracias estatais que sugavam os trabalhadores em nome do Politburo.

Anônimo disse...

Não existe sonho socialista sem burocracias estatais que sugam trabalhadores. Não é culpa do vovô. É, e foi inevitável em todos os sonhos socialistas. Nenhum resistiu, morreram todos. Está no cerne da questão, na natureza do ser humano. Não vai dar certo NUNCA. É claro como a água. Só burros ou sonhadores que podiam acreditar numa esparrela dessa. Como você não é burro, só pode ser sonhador. Acorda.

douglas da mata disse...

Bem, eu responderia assim:

Só cretinos e/ou cínicos argumentam utilizando a assertiva: "natureza do ser humano"...

Mas que caralho é esse? Determinismo biológico? Que categoria científica chegou a esse primado? Lombroso?

E aí, diante de todo conhecimento humano, de toda a História, vem nosso "jênio" comentarista e decreta o fim dos tempos: "Não vai dar certo nunca".

Eu juro que ia responder de forma séria, mas não dá...só me resta escarnecer esse imbecil...

Anônimo disse...

Saber o que é natureza do ser humano é observar desde a hora que acorda até a hora de deitar quem te cerca. Com um QI acadêmico mínimo necessário, e uma certa vivência (ter mais de 15 anos) é possível prever algumas reações do ser humano quando comparado e "igualado" aos outros. Bem, não vamos muito longe, vamos ser objetivos. Até hoje, onde esse sonho deu certo? Vou responder. Em lugar nenhum. É fato. Responde de forma séria...por favor. Mas responde à minha pergunta, não tergiversa. Onde deu certo? Por enquanto o imbecil sou só eu. Pra ficar bem claro. ONDE O SONHO SOCIALISTA DEU CERTO? Em Cuba? Na Venezuela? Você acenou com uma resposta séria.

douglas da mata disse...

Esquizóide disforme, primeiro é preciso você abandonar a tolice conceitual para entrar em um debate como esse...

Não, não há uma "natureza" humana, e é justamente o contrário, o que nos faz humanos é nossa imprevisibilidade, quando nos tornamos previsíveis, como querem os donos do capital e os sacerdotes do mercado, e como acredita você, começamos a nos desumanizar...

Talvez você se conforme com a tese da "natureza humana", e siga para o seu trabalho, todo dia, observando as cenas se repetindo ao seu redor, banalizando coisas que deveriam de trazer alguma revolta ou asco...

Eu não...

Outro erro conceitual grave:

Onde deu certo? Em lugar nenhum, talvez, mas em lugar nenhum mesmo, porque a merda capitalista que você defende não foi muito além do que as burocracias estatais que você insiste em chamar de socialismo.

Mas ainda assim, é uma vergonha que esses países tenham melhorado os níveis de vida da população mais pobre, quando nenhum regime capitalista havia conseguido antes.

Apesar de toda a crise (provocada pela sabotagem estadunidense aos preços do petróleo) na Venezuela, e claro, aos erros do seu governo, não há a menor possibilidade de comparação da situação dos mais pobres com a que viviam antes da chegada de Chávez ao poder.

Assim como em Cuba.

A pergunta então, não é deu certo, mas sim: Deu (mais) certo ou (menos) errado para quem?

Anônimo disse...

Bem, vamos fingir que você não escreveu isso. Deu tão certo em Cuba que os caras se lançam no mar do Caribe numa bóia de trator, enfrentando tubarão, tempestade e o escambal pra chegar nos EUA. E nunca soube de um que tenha chegado e quisesse voltar. Eles não tem escolha. Aliás lá em Cuba eles não escolhem nada, Fidel ficou no poder de 1976 até 2008 e passou a "presidência" pra seu irmão. E mais, com vida nababesca, ilhas particulares, iates, etc, etc. E os imbecis como você acham lindo. De vez em quando um atleta cubano vai competir em outro país e nunca mais volta. Por que será não? O cara tem a opção de pegar o aviãzinho e voltar pra sua linda terra natal. E o que faz? Abandona tudo e fica nos detestáveis países capitalistas. Acho que não passam fome lá em Cuba...ah ta! Quem admira Fidel e a ditatura (talvez uma das mais longevas) cubana não deveria nunca mais escrever a palavra democracia, eleição, voto, liberdade de imprensa. Mas coerência é uma coisa impossível de se esperar de um cara como você.
Já na Venezuela, que paraíso. Ta faltando tudo, as prateleiras estão vazias. Os principais opositores são bem tratados...na prisão, quando não são assassinados. E novamente imbecis como vocês acham lindo. Aliás acham lindo Cuba e Venezuela porque não moram lá, certamente. Mas nesse último país a oposição reagiu na última eleição. Se Maduro, invocando o espírito de Chaves não prender ou matar todo mundo.

Anônimo disse...

Caramba...cometi uma injustiça com Fidel. Ele está no poder desde 1959, 49 anos apenas. E só saiu porque ficou velho. Que maravilha. Que homem esplêndido, que país abençoado, que regime pra ser copiado por todos.

douglas da mata disse...

Uai, então se esse é o critério para definir sucesso, por que os EUA fizeram um muro de placas de aço de mais de 5.000km para impedir os primos mais pobres do capitalismo de entrar lá?

Caralho, o capitalismo não é o sistema das oportunidades e da livre circulação de bens e pessoas? Mas que pessoas, não é mesmo?

Pois é, em 30 anos de Muro de Berlim, foram cerca de 800 mortes lamentáveis, fugindo da Cortina de Ferro"...

Em 10 anos do muro ao sul do Rio Bravo, foram mais de 4000 mortes (Fonte: Universidade de Houston).

Por que a Europa joga os africanos capitalistas (só querem uma oportunidade) no Mediterrâneo ou os acolhe em campos de concentração?

E o que falar do tratamento aos presos (sem acusação, processo ou julgamento)em Guantánamo dado pela pátria campeã da Democracia, seu cretino imbecil?

Margareth Tacther levou 20 anos no poder, e os conservadores talvez 30 (Tatcher e John Major) e você celebra a "democracia inglesa"? Ah, lá pode?

Se alguma eleição venezuelana tivesse a mais leve sombra do que aconteceu na Flórida em 2000, com o governador jeb bush fraudando vergonhosamente o resultado para derrubar o democrata Al Gore você estaria cacarejando como uma galinha velha...

Vá tomar no seu cú, beócio...você não tem a menor ideia do que excreta pela boca...

Ou melhor, vá fazer programa em Hollywood Boulevard babando os ovos dos gringos, el patróns...e leve a família para "aumentar as vantagens competitivas e agregar valor aos serviços"...

Para você já está bom já teve espaço e atenção demais...

Anônimo disse...

É isso aí. Exatamente o que falei. Todos fogem da merda do socialismo impossível e correm pro capitalismo. Perfeito! Todos querem é o Hollywood Boulevard, claro! Os primos querem entrar nos EUA, os alemães da antiga Alemanha Oriental correram pra Alemanha Ocidental com a queda do muro ( e não o contrário!). Os cubanos querem chegar ao EUA. Milhares fugiram da cortina de ferro, que aliás não existe mais, viraram capitalistas também. Milhares fogem de seus países pelo Mediterrâneo e querem entrar na Europa CAPITALISTA. Você falou melhor do que eu gostaria. Nada a mais a declarar. MUITO BOM. Melhor impossível. Entendeu agora???

douglas da mata disse...

Uai, o cretino surtou...Ninguém tem dúvida que as pessoas buscam lugares que julgam mais confortáveis.

O problema do capitalismo, que a cavalgadura não enxerga, nem sob tortura, é que não há riqueza para todos.

Resultado: Caiu o muro de Berlim, mas permanece o muro da vergonha nos EUA, o muro da Palestina, e tantos outros muros invisíveis que matam os pobres aos milhões antes de conseguirem alcançar o "sonho capitalista".

O que o filho da puta não menciona é que essas levas de gente fogem da pobreza gerada pelos países ricos nos países pobres (assimetrias) e acabam por virar escravos nos subempregos da Europa e dos EUA.

Digo e repito: Proporcionalmente, durante os anos da Cortina de Ferro e desde 1959, em Cuba, saiu muito menos gente daqueles países socialistas que os que fugiram da pobreza dos países periféricos do capitalismo.

Resumindo: ninguém nega que o capitalismo gera riqueza, o problema é a brutal concentração dela e a exclusão de bilhões de pessoas...são essas que batem a porta do "mundo perfeito" capitalista, e são tratados como portadores de uma doença incurável: A pobreza.

Anônimo disse...

Concordo com tudo. O paraíso não existe. Estou com você. O melhor caminho conhecido é o capitalismo. Precisa de ajustes apenas.

douglas da mata disse...

Existe outra doença tal e qual incurável: A burrice.

Não há ajuste algum possível no capitalismo, porque o sistema se baseia, justamente, na concentração exponencial de renda a partir de diferenças de classe.

Em suma: Países ricos ficam cada vez mais ricos explorando os mais pobres, e intervindo, diretamente ou não, nas políticas econômicas dos mais pobres para garantir a satisfação de seus interesses (dos mais ricos).

Dentro dos países, os mais ricos exploram infinitamente os mais pobres e acumulam mais e mais riqueza, o que, em determinado momento, se reverte em força de influência para determinar que os Estados garantam seus privilégios a revelia dos direitos da maioria pobre.

É assim que funciona, e assim que sempre funcionará, e toda vez que representantes eleitos buscam fazer ajustes (dividir o bolo a riqueza), a reação de idiotas como você trama golpes e quarteladas.

Chega imbecil, vá levar sua madame para dar o brioco em Hollywood Boulevard, ou em Amsterdã...quem sabe você consiga sair da condiçãod e cucaracho miserável para classe pobre alta no "paraíso capitalista"?

Anônimo disse...

É isso aí!