quinta-feira, 19 de novembro de 2015

Homens, répteis e outros colóquios de ninar bovinos...

Para os semoventes, não há diferença entre mortos e tragédias, eles mesmos incapazes de distinguir seu destino antes de serem abatidos...


Não há emoção entre os semoventes, mas também não há razão alguma...Apenas comem, dormem, cagam e morrem...

O ser humano, este sim, sofre porque pensa, sofre porque compara, sofre porque mede a si e os outros (uns medem os outros pela sua régua diminuta, é verdade)...

Então, quando algum cretino disser a você que os mortos se equivalem, que as tragédias são a mesma coisa, ignorando causas e efeitos, afastando a reflexão sobre a dimensão humana e sua ação seletiva (sempre dando mais carga dramática a morte de uns em detrimento de outras tantas), desconfie...

Quando alguém te der uma camiseta Eu sou Charlie (Hebdo), ou te convocar para alguma vigília lacrimejante pelos mortos de Paris, saia correndo...

Quando alguém lamentar a tragédia de Mariana, jogue um bocado de lama na cara do safado e diga: Não é tragédia de Mariana é CRIME DA SAMARCO!!!!

O fundamentalismo emotivo que toma conta de nossa mídia imbecilizante tem só um objetivo: impedir que você analise , encadeie e contextualize os fatos...

Porque no fim das contas, a mídia imbecilizante é sócia, e está consorciada àqueles que provocam essas tragédias...os que lucram com elas...

Por isso que ao invés de estimular a capacidade cognitiva da sociedade, a mídia prefere o choro fácil, a comoção bastarda e barata, as imagens chocantes...

Preferível estimular a histeria contra atos violentos que pensar sobre suas causas...fenômenos sociais não estão dissociados de interesses que os movem...como sempre dizemos....

Como explicar que são os países ricos (como EUA e seus capachos europeus) que semeiam cada ato terrorista dos quais são alvos, e que estes atos acabam por facilitar a coesão política em torno de líderes deste sistema decadente (capitalista)...?

Como explicar que a chamada "guerra ao terror", assim como a famigerada "guerra às drogas" são retumbantes fracassos, em se tratando dos resultados que dizem perseguir, mas por outro lado, são enormes sucessos para a indústria bélica, para determinados grupos políticos e até para a mídia empresarial, que lucra horrores com estes banhos de sangue?

Como explicar que acidentes não acontecem, mas são provocados, e nos casos como o da mineradora SAMARCO, estes pequenos holocaustos são resultado direto da ação capitalista, que proclama a si mesmo como símbolo de eficiência através dos seus jornalistas de coleira...?

Como explicar que a quase totalidade dos mortos no Brasil (assassinados), em números que contariam 300 atentados em Paris, nunca mereçam mais que duas ou três linhas na mídia comercial: "morreu fulano, tantos anos, pardo, tantos tiros, encontrado na rua tal, e de acordo com a polícia, vítima de acerto de traficantes"...?

É mais fácil (e lucrativo) recorrer a (falta de) lógica dos irracionais, ampliar ódios e manipular emoções...

E chorar um pouquinho, porque ninguém é de ferro...


Nenhum comentário: