sexta-feira, 6 de novembro de 2015

Edith Piaf Non Je Ne Regrette Rien [Live]



É impossível determinar se a língua francesa foi feita para que Edith cantasse ou se Edith só é o que é por causa do idioma dos comedores de brioche...



Mas o fato é que em raras ocasiões ocorre tal simbiose, e assim nascem os hinos informais, que simbolizam eras, cenas e povos...



Engraçado que quando ouço esta música, o que me vem a mente é o filme O Resgate do Soldado Ryan, quando os soldados estadunidenses esperam os inimigos alemães nos escombros daquilo que foi uma pequena cidade francesa...



Um clichê sobre o dilema da revelação de alguma ternura entre homens que estão no epílogo de suas vidas...



Apropriadíssima a escolha da trilha...



Aliás, onde quer que se queira imaginar o clichê francês, do drama-intelectual-romântico, a trilha tem que ser Madame Pìaf...



E nada como um bom e velho clichê...


Nenhum comentário: