domingo, 25 de outubro de 2015

Flamengo, uma vergonha!

Não é o resultado, de certa forma justo e esperado, em se tratando de uma disputa nos domínios do melhor team do certame nacional, o Sport Club Corinthians Paulista...Sem medo de aceitar (dói menos), o score poderia ter sido mais elástico, tamanha a desproporção entre a qualidade do esquadrão da terra da garoa e as deficiências do amontoado carioca...

Mas o football, nos ensinaram os antigos, é jogo onde nem sempre o melhor leva a melhor...

Bem, isso quando há brios que sejam maiores que a técnica...

É a postura, ou melhor, a impostura dos que envergam o manto sagrado que já cobriu a pele de Almir (O Pernambuquinho), de Nunes, Doval, Rondinelli, exemplos vivos de entrega e determinação...

Não há nada que lembre brios nas onze carcaças vazias que saíram do vestiário visitante...

O goalkeeper do alvinegro de Itaquera, o boca de gaveta Cássio, sequer sujou o uniforme...Não houve um shot em direção a meta que ele defendia...

Profusão de erros e passes errados, claudicante quarteto de backs, disputando a "honra" de saber quem é o pior...

Diziam os speakers da TV que o campo estava por demais encharcado, mas qual? Só os vestidos de vermelho e preto caíam, tropeçando nas suas inquidades e covardia que ficaram patentes...

O que falar de Pará? Afinal, o que é Pará?

Nem vou repisar a questão do enorme salário pago ao forward que se denomina Paolo Guerreiro, um peruano que bem poderia ser um produto contrabandeado na fronteira do Paraguai...Uma FRAUDE!

A única "guerra" a que se dedicou foi atingir os corintianos e reclamar de Vossa Senhoria, o referee...

Se Alan Patrick jogou algo nesses tempos pretéritos, e de fato, em alguns matches deu-nos a impressão (falsa) de reter alguma qualidade, hoje é apenas sombra esvanecida, um autêntico e burocrático zumbi a assombrar a tradição do bom football jogado por outros habitantes da meia-cancha rossonera há anos atrás...

Ironicamente, do lado adversário, brilharam  nomes que se não foram revelados na Gávea, como Renato Augusto, preterido e desperdiçado, também lá estiveram recentemente, como o forward Vagner Love e o center-half Elias...

Por estes mistérios nada misteriosos do football, fica o estarrecimento pelas escolhas sempre ruins na formação do cast flamenguista...

Nada se salva...

Se jogar o esporte bretão dependesse de licença ou autorização governamental, em nome da saúde pública, para poupar nossos olhos de tão rude e deprimente espetáculo, os players do Clube de Regatas Flamengo deveriam ser proibidos de entrar em campo para maltratar daquele jeito o objeto esférico...

Mas para não me julgarem como muito severo, e preservando-lhes o direito de sobrevivência, reservaria a tais boçais a tarefa pastar no quadrilátero de jogo, a fim de manter a cobertura vegetal aparada...e própria àqueles que entendem do riscado...

No entanto, para sorte destes covardes uniformizados, ainda bem que isso é só um jogo...

Nenhum comentário: