domingo, 18 de outubro de 2015

O jogo verdadeiro por detrás de cunhas e imbecis da imprensa!

O blog do Miro repercute a fala do Ministro-exu-tranca-cofre-Levy...500 empresas devem (sonegaram) quase de 400 bilhões de reais...

Quase seis vezes a meta do arrocho fiscal que desabará sobre a cabeça dos trabalhadores brasileiros...

Isso é parte do que está atrás das cortinas de fumaça espalhadas diuturnamente pela mídia, divulgando "escândalos" por encomenda, com auxílio dos juízes-estrelas, delegados-pop-star, promotores-celebrities...

Deixar o Estado brasileiro exatamente como ele é, e sempre foi: aos ricos, mais riqueza, aos pobres, pobreza e pau no c*...

Leia o texto:

domingo, 18 de outubro de 2015

500 empresas devem R$ 392 bilhões à União

Por Márcio Zonta e José Coutinho Júnior, no site do MST:

O Ministério da Fazenda divulgou uma lista com as 500 empresas que mais devem à União. Juntas, as dívidas somadas chegam a mais de R$ 392 bilhões. Caso 17% desse valor voltasse aos cofres públicos de uma vez, já alcançaria os R$ 66 bilhões da meta do ajuste fiscal deste ano, que vem cortando investimentos de diversas áreas sociais, como saúde e educação. Além disso, o rombo nas contas públicas de 2014, que é de R$ 32,5 bilhões, também poderia ser compensado com parte do montante das dívidas.

A Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional (PGFN) informou, por meio de nota, que a divulgação da lista faz parte da gestão do ministro da Fazenda Joaquim Levy de “promover um incremento da recuperação de créditos inscritos em Dívida Ativa da União, na busca pela justiça fiscal", e que "o objetivo é dar a máxima transparência aos dados da Dívida Ativa da União”.

Primeiro lugar

A mineradora Vale é a maior devedora, com R$ 41,9 bilhões em dívidas. Desta quantia, o pagamento de R$ 32,8 bilhões está suspenso por decisões judiciais. A empresa deve cerca de R$ 17 bilhões a mais do que a segunda devedora da lista, a empresa Carital Brasil LTDA, antiga Parmalat, com R$ 24,9 bilhões de dívidas.

Apesar de dever para a União, a Vale recebe investimentos estatais para continuar operando no país. Estudo da Federação de Órgãos para Assistência Social e Educacional (Fase) aponta que, para minerar na Amazônia, a Vale obteve 70% do valor de R$ 506,96 milhões que foi distribuído para as mineradoras que atuam na Amazônia, via Superintendência do Desenvolvimento da Amazônia (Sudam), entre 2007 e 2012. Esse montante foi injetado na mineração altamente lucrativa do ferro e cobre nas minas de Carajás.

Segundo o governo do Pará, por consequência da Lei Kandir, criada em 1996 pelo então presidente Fernando Henrique Cardoso, a Vale está isenta de pagar tributos às operações relativas à circulação de mercadorias e serviços (ICMS). Isso já subtraiu dos cofres públicos do estado R$ 25 bilhões.

De acordo com o Centro de Educação, Pesquisa e Assessoria Sindical e Popular (Cepasp), os acionistas da empresa em diversas partes do mundo embolsaram US$ 4,5 bilhões, no ano de 2013. A mineradora ainda aprovou uma segunda parcela de US$ 1,74 bilhão, chamada de remuneração mínima, ao mesmo grupo, paga no fim de 2013, além de um valor adicional de US$ 500 milhões.

“O Estado brasileiro deveria tomar uma atitude mais contundente para com os devedores do próprio Estado, começando pela Vale, ao cobrar a dívida através das ações que a mineradora distribui”, afirma Jarbas Vieira, do Movimento pela Soberania Popular na Mineração (MAM).

Bancos

Entre os que receberam essas quantias da Vale, está a JP Morgan Chase & Company. O Banco J.P. Morgan S.A. figura na lista de devedores da fazenda em 79º lugar, com dívida de R$ 841 milhões.

Os bancos, setor que tem lucrado muito este ano, mesmo com a crise econômica, também registram dívidas na Receita. Bradesco, Santander e Itaú juntos somam R$ 7,900 bilhões em dívidas.

O lucro do Bradesco no primeiro semestre de 2015 foi acima de R$ 8,7 bilhões; sua dívida com a Receita é a sétima maior da lista, em mais de R$ 4,8 bilhões. Somado com a dívida de R$ 408 milhões da filial Bradesco Financiamentos S.A., em 222º lugar na lista, o banco deve um total de R$ 5,279 bilhões.

O Itaú, por sua vez, teve lucro de R$ 11,7 bilhões, e deve, por conta da Itaucard S.A., braço responsável pela emissão e administração de cartões de crédito, a 44ª maior dívida na lista; R$ 1,35 bilhão.

Já o Santander, que teve lucro de R$ 3,3 bilhões, tem duas dívidas, a do Banco Santander Brasil S.A. está em 69º lugar, com R$ 978 bilhões, e a da Santander Leasing S.A, que é a 353ª maior, com R$ 288 milhões, que totalizam R$ 1,266 bilhão em dívidas.

Confira a lista das 10 empresas mais devedoras (em bilhões)

1 - Vale: R$ 41,9

2 - Carital Brasil Ltda: R$ 24,9

3 - Petrobras: R$ 15,6

4 - Industrias de Papel R Ramenzoni S/A: R$ 9,7

5 - Duagro Adm e Participações: R$ 6,5

6 - Viação Aérea São Paulo (Vasp): 6,2

7 - Banco Bradesco: 4,8

8 - Varig: 4,6

9 - American Virginia Ind e Comércio Exp. De Tabacos Ltda: 4,1

10 - Condor Factoring Fomento Comercial: 4,1

4 comentários:

Anônimo disse...

È triste verificar que continuamos toscos, ideologicamente adestrados por filosofias que só interessavam aos "mundos" daqueles que o construíram para neles comodamente e interesseiramente viverem. E aí sem esboçarmos sequer uma saidinha à rua para protestar temos que nos conformar em pagar uma conta deixada através de projetos sem sustentação da contra partida de sua sustentação a não ser o imposto e o lombo do povo. E esse farto fornecimento de kits conceituais, fornecidos por muitos heróis e pensadores do povo, que na sua maioria experimentaram o nababo e a riqueza (e quando se espicha os olhos sobre a história, vemos Morales, Maduros, Lulinhas e Lulões, Chaves, Fidel Castro e outros frequentadores de Foruns Paulistas), continuamos com as cabeças enterradas até a espinha. É bem mais fácil dizer que 93% da rejeição lulo/dilmista é fruto de um golpe da elite, um golpe da mídia, que o roubo na Petrobras e nos cofres públicos do Brasil, permitido e até incentivado por quem tinha as chaves e quando os tungas responsáveis são presos não passa de tribunal da inquisição dos Mendes e Barbosas e de todos aqueles que não pensam igual aos que devem fidelidade a quem os indicou. É decepcionante. Chega a dá nojo. É a última vez que entro nesse aterro sanitário filoso/ideológico. E como é do seu costume, não precisa mandar a mim e o meu tio. Já estamos indo pra casa do c.....tomar no c... e o mais que puderes nos orientar. Vamos com um certeza daqui um pouco muitos já estarão naturalmente fora do poder e longe das chaves e haverá a possibilidade de seres avestruzes como nós conseguirmos olhar para o horizonte.

Estou aqui em nome do meu tio PIXULECO DA SILVA

douglas da mata disse...

Que nada, ainda bem que temos o conforto de saber que TODA corrupção e o patrimonialismo em relação ao Estado e seus recursos foram inventados durante a era PT, e agora, com a justa prisão e o justo julgamento de todos petistas, o país vai se desenvolver, ou melhor, voltar ao desenvolvimento que experimentava antes do PT.

Nosso BraZil era respeitadíssimo, o FMI nem vinha por aqui, tínhamos um PIB muito maior que o de hoje, e afinal, o que são 40 milhões fora da miséria?

Arf, essa gente desbocada e farofeira que lota aeroportos e nos incomoda em nosso habitat natural, não é mesmo?

E agora ainda se arrogam e arrostam orgulho porque conseguiram diploma de terceiro grau...e abuso, compraram um carrinho a prestação...

Vejam que empáfia, não conseguimos nem mais uma escrava doméstica de bons dentes e rabo empinado por meio salário mínimo...

Como vou iniciar meu filho na vida sexual? Como vou desafogar a "dor de cabeça" da patroa?

Argh, prostíbulos são muito impessoais...e caros...

Bom saber que toda essa prosperidade proporcionada pela nossa elite, nos 500 anos antes de Lula, e que era divulgada pela nossa corajosa e democrática mídia (que só apoiou golpes e escondeu torturas e suplícios porque foi "forçada") não tinha nada de ideologia, ou kits conceituais, era a "palavra de Deus" ou a "natureza das coisas", brotavam do chão e nos orientavam como um bálsamo.

Ou a livre mão do mercado livre (S/A).

Reconfortante saber que os mais ricos continuam sem pagar seus impostos, e continuam a se queixar como se fossem os únicos a pagá-los, e mais, me dá enorme satisfação de saber que é justamente o mais rico que tem mais atenção do Estado, embora menos precise dele e mais o odeie!

Bom saber que o capitalismo só nos legou líderes e governantes que sempre olharam para o povo e para nossos direitos democráticos, como Salazar, Franco, Hitler, Mussolini, nossos generais de 64, chegando até bush jr...

Lindo ver que a democracia que querem para Cuba não resistiria dois minutos em Guantánamo (uai, aonde? Em Cuba?).

Emocionante assistir a recepção calorosa da Europa rica com os pobres que sua própria riqueza, extraída em séculos de exploração e domínio, ajudou a produzir.

Já por aqui é sempre bom assistir a nossa Justiça imparcialíssima, de barbosas e moros, condenando uns, e fingindo que outros não existem...

Mensalão mineiro? O quê?
Metro de SP? Quem?
Dados "sigilosos" de Alckimin? Como???
Banestado? O que é isso?

Privataria? No cú de quem?

Estamos juntos, Pixuleco é meu herói...

Anônimo disse...

Concordo. A imprensa (por ter interesses em comum) não noticia quem realmente são os verdadeiros devedores do estado brasileiro. Diz que essas megas empresas são quem “produz riqueza” e “gera emprego” para população e tenta diariamente convencer os inocentes que o Estado está falido porque concede a miséria do bolsa família para meia dúzia de indigentes. Mas porque a união não aperta o cerco contra essas empresas? Porque não para de dar incentivos e fazer graças com essa gente? O governo também não tem culpa?

douglas da mata disse...

Tem, e muita.

A opção pela acomodação desses interesses, embora seja resultado dos limites do capital político que disporá qualquer governo que tente mexer neste vespeiro, não pode ser desculpa para a omissão!

É como eu digo sempre: Dilma está apanhando pelos motivos errados, até porque, concordar que o problema principal é outro (e não o que nos empulham nas TVs) significa mudar uma série de posturas (ou imposturas) com as quais estamos acostumados, todos nós, sem exceção.

O PT pecou por ignorar a demanda por essas mudanças e pelo debate para essas mudanças quando tinha capital para tanto.