sexta-feira, 9 de outubro de 2015

Elza Soares - Beba-me - 2007





Elza, definitivamente Elza...

É difícil comparar estilos e vozes, mas com certeza, raramente ouviremos algo parecido com Elza Soares...

Legatária de uma divisão de vozeirões qu'eu incluira as recentes Alcione e Leni Andrade, e as pretéritas Elis e Elizete (A Divina), Elza parece que rasga a si mesma cantando...

Cada nota é um grito que reafirma sua história, se apropria do que é alheio (as composições) e nos oferece maravilhosos e sofridos clichês:

Elza canta a pobreza que marca seu passado, o preconceito e sofrimento pela ousadia de amar um anjo torto (Garrincha), e parece equilibrar permanentemente uma lata d'água na cabeça, enquanto ostenta pernas torneadas em alguma escadaria de alguma favela...

Elza é isso, é um "clichê saborosamente original"...



Salve Elza!



Nenhum comentário: