quinta-feira, 8 de outubro de 2015

Dilma, seus "novos" torturadores e o presidencialismo de coalisão...Ou de coação?

Conceitualmente, os que se dedicam a sangrar todos dos dias o mandato da Presidenta Dilma não são muito diferentes dos que arrancaram seu "couro" nos porões da ditadura...

Representam os mesmos interesses, e pretendem o mesmo: sufocar a ordem democrática para impor uma agenda derrotada nas urnas...

A questão que os separa é o tipo de violência empregada: antes física, hoje simbólica...

Essa tática, que hoje parece tão bem sucedida, falhou quando tentada com Lula, e sempre esteve na pauta do ressentido ffhhcc...

Naquela época, quando cogitaram um golpe quando estourou a questão dos Correios (com o indicado pelo canalha roberto jefferson recebendo três mil reais de suborno, que virou depois a ação 470), ffhhcc advogou a tese (vencedora) que melhor seria deixar Lula no cargo e desmoralizá-lo até o fim...

Não deu certo, pelo menos, não de todo, embora tenhamos que considerar que ali teve início do desmonte do PT e de sua legitimidade como maior partido de esquerda do mundo, e que implementava a maior mudança estrutural em um país capitalista, sem um único tiro ou derramento de sangue...

Em nenhuma outra economia, houve tamanha mobilidade social e inclusão, com efeitos que garantiram ao Presidente Lula um considerável capital político para eleger-se novamente, e ajudar a eleger sua sucessora por dois mandatos...

No entanto, a formidável engenharia proposta por Zé Dirceu, Genoíno e outros, que poderia alavancar uma base parlamentar progressista e sensível as reformas imprescindíveis nos pilares do Estado Brasileiro deu lugar a uma série de improvisos decorrentes da demanda permanente de (auto) defesa pelo assédio da mídia comercial, que semeou diariamente o ódio contra a sigla partidária...

Como resultado, a base parlamentar do PT diminuiu e aumentou sua dependência em acordos obscenos para garantir estabilidade em um monstrengo chamado presidencialismo de coalisão, mas que poderia ser chamado de presidencialismo de coação...

Mas engana-se quem acha que os desígnios dos tucanalhas é apenas um golpe institucional...Se ele vier, é claro que dele se aproveitarão, porém, o buraco é muito mais embaixo, e a chantagem não tem (apenas) relação com os bolsos dos parlamentares que exigem vantagens diretas do governo ou sonham com vantagens maiores com a troca dele...

Essa lógica é complementar, não excludente, pois na hierarquia dos eventos que se encadeiam, está a "mão invisível" do mercado acima de tudo e de todos...

Em 2008, culminando em 2010, período que Lula pilotou uma bem sucedida distribuição de renda calcada no fluxo positivo de caixa proporcionado pelas exportações (ao contrário de todos seus sucessores, que usaram estes ciclos para concentrar ainda mais a renda nacional), o capital financeiro baseado nos EUA estava dilacerado e politicamente acuado, o que deu ao Presidente uma folga para agir...

Ao contrário do que parece, e o que dizem os colonistas quando repetem os mantras de que o que é bom para os EUA é bom para o mundo, o declínio dos EUA (em 2008) trouxe muito menos impacto ao Brasil que sua tentativa de ressurgimento agora, desde 2013...

Eu usaria a seguinte metáfora: os EUA são como um grande veículo, que para ligar sugam a energia de todos os demais, em um tipo de "chupeta"...

Por isso atacam empresas de petróleo ao redor do planeta, para garantir suprimento barato e seguro...

Não por outro motivo aumentam o "preço" de sua moeda (com a subida ou aceno da subida dos juros nominais pelo FED), exportam inflação que impede a retomada da diversificação industrial, garantindo que fiquemos apenas como vendedores de soja e minério...

Hoje, a aparência de maior coesão da oposição e torno da ideia do golpe, mas que repete a ideia cardosiana de sangrar o mandatário, é fruto de um contexto econômico muito mais hostil, e de um refinamento na campanha moralista, que angariou certos "valores" que a tornaram muito mais eficiente:

- O centro judiciário da Inquisição não é o STF, mas um juízo monocrático, onde os debates não existe, e a ação partidária do juiz (Moro) ganha contornos de heroísmo vigilante, um tipo de batman de toga;
- Com o outro batman, o joaquim, embora sua figura de selfmade man negro de origem pobre funcionasse até certo ponto, acabou por diluir-se nos seus arroubos e chiliques públicos, transmitidos ao vivo, o que no caso da Lava-Jato não ocorreu...Some-se a isto a diferença simbólica entre um juiz negro e outro branco;
- A PF entrou de cabeça no espetáculo circense, alimentando as chamas da disputa que existe no órgão, que por sua vez são aumentadas pela frustração das demandas salariais e outras questões relativas às carreiras...
- O fator "Cunha", que parece religiosamente convencido de que ele é o "quinto elemento" da República Brasileira, direcionado a impor sua agenda (e de seus patrões) ainda que se ofereça em sacrifício pelos esqueletos que esconde em seu armário, e que serão revelados pelos seus opositores...

Estão errados os que imaginam que escândalos lhe farão recuar...Ao contrário, ele (Cunha) sabe que a conta para cada estocada que leva é trazer um elefante maior e mais fedorento para a sala do governo, ou de quem lhe ameace;

- A questão de gênero: o fato de ser mulher só não é considerado pela hipocrisia dos que dizem que não há conflitos de gênero, raça ou de classe nesse país...Se Lula enfrentava (e enfrenta) o problema da origem, Dilma sofre na pele a sua condição feminina...Todos seus adjetivos pejorativos, inclusive dos "aliados" e alguns petistas e integrantes do governo que conheço, dizem respeito a "incapacidade" de Dilma de ceder...

Ora bolas, o que em Dilma é cabeçadurice,  no homem é "personalidade"...

Para quem não se lembra, desde a mais tenra aurora de seu mandato, a Presidenta teve que "ser humanizada, ou feminilizada" de acordo com o que o senso comum considera, seja "cozinhando" com apresentadores debilóides que conversam com bonecos idiotas, seja recebendo no palácio para incluir temas domésticos na entrevista...

Em outra frente, sua "solteirice", melhor dizendo, sua singularidade, foi cobrada veladamente dia-a-dia nos editoriais cretinos, ora quando se dizia que a Presidenta era um fantoche do Lula, ou "traidora", quando pretendia dar rumo próprio ao seu governo...

Como se a aprovação masculina, ou a presença de um "dono" pudesse afiançar seu projeto político..

Ainda assim, a Presidenta tem trazido o país com integral respeito à institucionalidade, ao Estado de Direito e às liberdades de expressão, conduzindo os debates com uma dignidade que não é vista em seus interlocutores...

O país nem de longe lembra as crises anteriores, quando esmolávamos de joelhos alguns caraminguás ao FMI e aos países ricos, entregando em troca nossa alma, nosso caráter e até o buraco do c*....

Hoje se discute se o BNDES emprestou ou não dinheiro a outros países e a empresas que tornaram-se multinacionais...

Critica-se a Petrobras por comprar refinarias nos EUA...Uai, quando é que se ouviu falar em Brasil comprando empresa nos EUA, e do setor do petróleo?

Rosnam quando o país senta com outros players (China, Rússia, etc) para debater a desdolarização do comércio internacional e do sistema financeiro internacional, com a criação de bancos mútuos que escapem aos organismos viciados que atendem aos interesses hegemônicos...

Reclamam crescimento de um PIB de quase U$ 3 tri (com dólar a 4 reais), enquanto antes de 2002 nosso PIB rastejava em U$ 900 bi (com dólar a quase um real)...

E por fim, a surreal discussão, que uns dizem "técnica", outros dizem "política", mas eu chamaria de cretina, é rejeitar contas do governo porque ele resolveu usar recursos de bancos públicos para subsidiar programas sociais ou para socorrer o caixa do sistema previdenciário...

Tenham paciência, e o dinheiro dos bancos utilizado para garantir as inversões cambiais ou o pagamento dos juros? Aí pode?

Pois é...

Por uma ironia trágica da História, assim como no passado, Dilma vai continuar apanhando por fazer a coisa certa...








2 comentários:

Anônimo disse...

É a lógica do mundo. Não tem trouxa nessa relação. Enquanto houver idiotas, o capital vai comandar, patrão será patrão e empregado será empregado. Quando se ousa diferente carece-se no mínimo de inteligência e eficiência. Veja o que se deu no Brasil. O PT tinha tudo para se alongar enquanto proposta de poder. Coincidentemente o mundo, já globalizado, pondo por terra a tentativa dos movimentos trabalhistas em se contrapor a esse movimento avassalador que pôs fim às barreiras comerciais, experimentou um momento bom na Economia. Ninguém pode se iludir. O movimento das privatizações foi inevitável e o capital quando se desloca para outros centros mundiais não é para prestar caridade. Visa sempre o lucro. O PT foi contra. Naquela época só tinha telefone, e assim mesmo poucos, só quem tinha condições para tal. Veio a privatização e hoje até eu e o "carroceiro" temos. Agora é ao contrário, esculhambaram a Petrobras e a solução é a venda dos seus ativos. Aquele era o momento de austeridade, não se apavorar. Mas não como dizem, quem nunca comeu melado, quando come se lambuza. Veja no que deu. O TCU e o TSE já apontaram o caminho e só com muita sorte esse governo acaba, com a sua história sendo jogada no lixo de uma categoria que teve a grande chance e lhe faltou capacidade para tal.

Pixuleco

douglas da mata disse...

Pixuleco, você é, definitivamente, um mentecapto...

Então, o capital só "comanda" quando tem idiotas?

Pois é, então o mundo inteiro em 2008, inclusive os hiper-mega-super-ultra "ixpertos" analistas e investidores e especuladores, como Leman (Brothers), BofA, Merryl Linch, AIG (seguros, a maior do mundo) podem ser considerados um "bando de idiotas"...

De fato eram: comandaram a maior quebra da História e afundaram junto...não sem antes torrarem trilhões dos orçamentos públicos...

Mas como? Fazem parte da maior nação do mundo, pátria do capital e do capitalismo?

Sua proposição acerca do fatalismo das privatizações e da suposta necessidade de austeridade são de dar vergonha alheia, e mostram total desconhecimento das engrenagens de fluxo e contra-fluxo de capitais...

A outra "pérola" é o "fim da luta de classes", ou o anacronismo dos chamados direitos trabalhistas...

O PT não experimentou um bom momento na economia porque cedeu a "avassaladora" onda neoliberal, seu monte de estrume, foi justamente o contrário, e por isso o PT está pagando caro, por ter desafiado a hegemonia capitalista estadunidense..

O PT apanhou o bônus das comoditties e investiu em inclusão social e distribuição de renda e na criação de um mercado consumidor que os "super espertos da austeridade" nunca foram capazes de fazer antes.

Abriu universidades, mandou alunos ao exterior, criou escolas profissionalizantes, trouxe médicos, construiu casas, e principalmente, sustentou o capitalismo quando essa merda estava afundando...

E agora um certino calhorda como você vem falar em "austeridade"...vá dar o cú ao capeta, meu filho...e sem lubrificante...

Reduzir a questão das privatizações a ter ou não ter telefone é coisa de gente desonesta intectualmente e/ou estúpid...

Como apenas aquele modelo de privataria tucanalha que tivemos fosse permitir o acesso aos bens...puta que pariu, vai ser burro assim lá na casa do caralho...

"Esculhambaram" a Petrobras, nossa mãe...que sandice!

A Petrobras tem sofrido ataques justamente por ter se tornado uma potência, uma das maiores do mundo e com tecnologia e reservas valiosíssimas, que só foram descobertas porque investiu em pesquisa, ao contrário do desmonte da era da "austeridade"...

Meu filho, sinceramente, minha paciência chegou ao fim, seus comentários não serão mais publicados...

Para ler ou ouvir (ou assistir) essa merda que você escreveu, basta ligar a TV...Aqui não! Ou traz algo que possa ser debatido, e não importa se contra ou a favor do governo, ou não será publicado...

Senso comum, aqui não!

Vá pastar entre os seus...