sábado, 5 de setembro de 2015

Crise humanitária ou cinismo globalizado?

A ação deliberada da mídia mundial, para transformar a cobertura dos fluxos migratórios em cenas de comoção e compaixão (palavra repetida pelo cretino chico pinheiro, do telejornal bom dia brasil na última semana), é parte do jogo ideológico do capitalismo em sua retomada conservadora pós-crise...

Afinal, é bem mais fácil explicar o problema reduzindo-o a uma mera questão rejeição/pena das pessoas em relação às populações que buscam refúgio, seja movendo-se por causa das guerras provocadas e mantidas pelos interesses corporativos transnacionais, seja pela fuga da pobreza, resultado de índices de desigualdade jamais vistos em séculos de funcionamento do sistema capitalista...

Em vários países, sentimentos solidários ladeiam o ódio, e enquanto uns sonham com um novo holocausto, outros abrem suas portas imaginando que salvarão o mundo com suas remissões de culpa pequeno burguesas (parecido com propaganda do banco itaú)...

Não se emocionem...nós somos parte do problema, e para manter ou buscar um padrão de vida cada vez mais sofisticado, alguém terá que fuçar comida em um lixão como um urubu ao redor do planeta...

Não se assustem...quando mostram a fúria dos grupos xenófobos, a insensibilidade ensaiada dos líderes europeus, os grito de dor dos rejeitados, e os corpos espalhados por mares e praias, a mídia está apenas criando uma cortina de fumaça...

Não se enganem...os grupos radicais e violentos que atacam essas pessoas podem até ser censurados em público, mas são manipulados com técnica refinada pelas estamentos conservadores, chamados de democráticos, para criar uma sensação de impasse...

Até porque, o impasse é o que resta...O capitalismo global se alimenta de diferença e impasses...

Não há solução alguma para o problema, haja vista que sua causa, a desigualdade de riqueza entre as nações é a mola mestra do funcionamento do capitalismo, desde seu início até hoje, e chegou a patamares impensáveis, assim com chegou a níveis impensáveis o volume de riqueza gerado pelo mesmo sistema...

Não é coincidência que exista um  mundo muito mais rico que antes, e que haja muito mais pobreza que antes...

Engraçado que nenhum dos boçais que ostentem suas caras de asno nas bancadas de telejornais, ou vomitem seus textos nos chiqueiros editoriais, nunca tenha perguntado: Uai, com o capitalismo global o mundo não seria sem fronteiras para bens, serviços e PESSOAS?

Ahhh, pessoas...esse incômodo detalhe...

E assim, privatizaram tudo e tomaram riquezas de todos os países, sob o (falso) argumento de que o mercado prescindia e derrubaria todas fronteiras, e que a prosperidade gerada pelo fim dos entraves estatais daria conta de todos os problemas, em um círculo virtuoso que tornaria os Estados Nacionais cada vez menos necessários...

Pois é...então esses povos não têm o direito de sair da pobreza e buscar a prosperidade que insiste em habitar sempre os mesmos lugares?

O mundo capitalista global não é um fluxo permanente de busca por oportunidades e conforto econômico? Por que colocar homens armados nas portas dos paraísos?

Nessa hora a coisa muda, e o mais empedernido liberal e defensor do FIM do Estado prega ardorosamente o levantamento das fronteiras, a Soberania Estatal, enfim, a proteção daquilo que imagina ser um direito (natural) conferido pela nacionalidade, o espaço vital !!!!

A noção de espaço vital praticada hoje pelos líderes das nações ricas não difere muito daquela professada por Hilter...A diferença é sutil: Hitler aniquilou os indesejados em seu solo, já os líderes ocidentais procuram matar os indesejados em seu "ninho", terceirizando a ação de extermínio através de um intricando quebra-cabeças de grupos e conflitos étnico-religiosos...

É um mundo estranho, tornado ainda mais incompreensível pela atuação dos jornalistas de coleira...

Quanto menor a compreenão, maior a reação "emotiva"...

E depois, a racionalidade da bestialização...

O cenário (do horror) está pronto...Só falta um líder carismático, e voilá, vamos dar um jeito de acabar com este excedente de gente  com uma guerrazinha global...

Gente é um efeito colateral de fácil resolução para o capitalismo...

4 comentários:

Anônimo disse...

Lamento, amigo, mas fica adiado mais uma vez o apocalipse de ocidente:

http://www.bbc.com/portuguese/noticias/2015/08/150827_amor_siria_merkel_lab

douglas da mata disse...

Lamento amigo, mas você é um completo idiota.

Primeiro porque reduziu o problema a questão síria...O buraco é mais embaixo, e o maior (e mais perene) fluxo migratório vem da pobreza africana.

Claro, que sob as luzes do holofote, adolph merkel vá "amaciar" com os sírios, até porque, a desestabilização por lá se deu pela intervenção direta dos aliados estadunidenses e franceses.

EUA e França cobram agora a conta do alinhamento com a führer em outras questões, com a crise grega, e etc.

Segundo, és um idiota porque não enxerga que, de fato, o apocalipse já virou rotina, e imbecis como você sequer notam...por óbvio que não, com as viseiras que usa, fornecidas pela mídia cretina, isso seria impossível...

Bom, o que dizer para um beócio desses?

Ok, legal, merkel deu um jeito da crise migratória e tudo ficará bem...rsrsrs...que estúpido!

Anônimo disse...

ô, babaca, o apocalipse virou rotina nesses países de merda que você adora, cheios de ditadorzinhos, de populistas ou de demagogos, que no fundo odeiam seu próprio povo.

Nos países sérios nunca se viveu tão bem quanto agora, e ainda tem disposição e humanidade para receber os refugiados.

É claro que para idiotas como você, que torcem pelo fim do capitalismo, é melhor dizer que o mundo todo é uma merda. Mas só é uma merda uma parcela do mundo, e a culpa disso é de seus próprios governantes.

douglas da mata disse...

Engraçado, eu devo ser um babaca mesmo, olha só:

A mídia que alimenta "jênios" como você cita o problema como "a maior crise humanitária da História, desde a Segunda Guerra", pois vejamos:

- Nenhum dos países onde saem os fluxos são socialistas, ou têm sistemas econômicos de economia planificada;
- Se somarmos os fluxos migratórios de Cuba (acredito que esse é um dos países de "merda" que você se refere) ao para os EUA (desde 1954 até ontem), calcularmos a proporção atualizada frente a população cubana e a mundial, não dá 0.5% do que acontece hoje nos países periféricos do capitalismo.


Bem, "humanidade e acolhida"? Vamos fazer um rateio para pagar uma passagem e mandar o "jênio" para um campo de refugiados na Itália ou na Alemanha...

Mas o melhor do comentário do "jenial" foi dizer que o mundo está ótimo para uma parcela dele, só esqueceu de dizer que está bom para uma parcela de 5 ou 10% da população mundial, enquanto 90% chafurdam na miséria.

Vamos aos dados:

500 empresas detêm um PIB maior que 120 países do mundo.

1% das famílias do mundo detêm entre 40 e 60% da riqueza mundial.

2 bilhões de pessoas vivem abaixo da linha da pobreza, ou com menos de 1 dólar por dia.

Colocar a "culpa" nos governantes me fez encerrar a discussão...O "jênio" não tem a menor ideia do que significam os sistemas representativos e da submissão destes sistemas, e a própria Democracia, ao poder financeiro, que transforma governantes e representantes em meros "gerentes" das crises capitalistas.

Ele acha mesmo que tudo se resume a "culpas" ou escolhas ruins...

São conceitos sofisticados demais que um "burro" (ou babaca) como eu falhou em trazer a compreensão de tamanha "jenialidade".

Minha culpa, minha máxima culpa.

Por aqui eu recolho a minha babaquice.

Boa sorte, "jênio", seu mundo deve ser um lugar ótimo de se viver...