sábado, 12 de setembro de 2015

A Bandeira Vermelha...

Jeremy Corbyn é o novo líder do Partido Trabalhista na Inglaterra, o Labour Party...

Em um sistema parlamentarista, a liderança partidária compõe um cenário relevante na definição da atuação do partido, e influencia dramaticamente os rumos da relação deste com o Parlamento, e com o próprio governo, que neste caso, está em outro espectro ideológico...

Há muito tempo, o ambiente político britânico estacionou naquilo que se costumou chamar de crise de representatividade, onde todas as bandeiras convergiram para um centro político dominado por dogmas econômicos...

Desde Tony Blair, e sua inquietante subserviência a agenda externa dos EUA, junto com a trágica submissão a agenda neoliberal, o inglês tem a impressão de que as eleições se sucedem, e as coisas tendem a inércia...

Nem a crise subprime de 2008 foi capaz de abalar este estranho equilíbrio, que nada tem a ver com a crença ou estabilidade política calcada nos fundamentos macroecômicos ortodoxos, mas sim na (in) capacidade dos sistemas representativos em escapar ao sequestro promovido pelo capital...

Sim, isso se passa no Brasil, na GBR ou EUA, passando por Alemanha, Portugal ou Grécia...

Ao que tudo indica, a eleição do outsider Corbyn é uma leve sacudida para a esquerda, e surpreendeu vários "analistas", e indica que os trabalhistas parecem acordar de seu longo e tenebroso período de hibernação...

Na comemoração, Corbyn cantou um tema socialista chamado A Bandeira Vermelha...

Veja a matéria aqui e aqui... 

Talvez fosse a hora de uma guinada semelhante no PT...Quem sabe?

Nenhum comentário: