sexta-feira, 14 de agosto de 2015

Campos dos Goytacazes, o cinismo atemporal e o "futuro" que já foi vendido e passado...

Um das principais fenômenos que resultaram do processo de industrialização dos meios de comunicação de massa, com a criação de grandes conglomerados de produção de conteúdo, foi a permanente ameaça aos pilares do Estado Democrático de Direito, muito embora os porcalistas, sabujos dos barões da mídia, gostem de acreditar que são portadores da missão de defender as liberdades democráticas...

Em algum oportunidade ou outra, isso até pode acontecer, quase que por acidente, mas o fato é que a atividade empresarial jornalística sempre soterrou a busca pela verdade, ora pela promiscuidade econômica com seus "anunciantes", ora pela partidarização extremada desses veículos, o que se tornou ainda mais aguda em tempo recentes...

Por esse motivo, países com maior densidade e maturação institucionais exercem forte regulação sobre empresas de mídia, enquanto qualquer debate sobre o tema por aqui é considerado sacrilégio ou heresia grave...

Não é exagero dizer que todo golpe à Democracia, teve a cumplicidade cachorra da mídia comercial, seja na Alemanha pré-Hitler, seja no Agosto de Vargas, na redentora de 64, em todos os países latinoamericanos, ou enfim, até na terra dos "campeões da Democracia", quando em 2001, a imprensa vergonhosamente aderiu ao projeto neomacartista dos falcões de bush jr & dick cheney, e solapou anos e anos de conquistas e liberdades, para jogar o país nas trevas medievais e em guerras sem fim pelo petróleo...

Em Campos dos Goytacazes não é diferente...

Tentando emplacar slogans para vocalizar anseios políticos que pretende sequestrar, parte da mídia comercial local tem a pretensão de apresentar-se como vanguarda na defesa dos interesses dos campistas...

Façamos justiça: Boa parte desse espaço é proporcionado pela indigência política dos que se dizem "oposição", que se comportam como viúvas ressentidas que foram preteridas na rapinagem dos restos de recursos dos royalties,  recursos estes que trataram da mesmíssima forma quando tiveram chance...

"Não existe futuro" para Campos dos Goytacazes enquanto tivermos "essa oposição" confinada no curral editorial dos que se se beneficiam com o modelo predador que vigora em Campos dos Goytacazes...

Esse modelo que nos legou cidades sem espaços públicos, na promiscuidade das verbas públicas (principalmente as "mesadas" para a "comunicação social") com os interesses privados,  no predomínio desses interesses sobre a coletividade, enfim, na realidade que nos torna uma das cidades mais ricas e mais socialmente injustas do país...

Imaginar que tudo isso é obra dos patetas da lapa e seu napoleão é cinismo demais...Eles são apenas um dos sintomas, pois a doença somos nós...

É tudo obra nossa, um amplo consenso transclassista, alimentado pelo pior tipo de individualismo...

Somos uma terra de idiotas presunçosos com a pior elite do mundo...

Só podemos superar essa (triste) etapa histórica com essa compreensão, e identificando claramente que um outro futuro é possível, desde que deixem os estas forças anacrônicas para trás...

Não há como conjugar estas forças e um futuro virtuoso para essa cidade...

2 comentários:

Anônimo disse...

Concordo com você. E este consenso transclassista pega a todos pelo estômago. A elite frouxa, tudo faz por uma obra, um DAS, uma Carta Convite (são quase mil por ano e ninguém vê), um Pregãozinho direcionado, uma mesada para bendizer, um faz-me-rir para não maldizer... E todos mais, a espera de bençãos de toda sorte: da casinha ao cinquentinha; do cheque cidadão à camisa da seleção; do calçamento ao saco de cimento; do empreguinho sem concurso ao show de Thiaguinho com discurso...

Sim!

O primeiro passo é reconhecer e compreender isto. Mas todos nós legitimamos isto.
E o que vem depois daí? Como deixar para trás aquilo que somos nós mesmos?

abs

Anônimo disse...

É a Folha que só serve para enrolar peixe podre!