sábado, 25 de julho de 2015

Reflexões sobre o PT...

O blog reproduz o texto do Eduardo Guimarães em seu Blog da Cidadania sobre as impressões causadas pela entrevista do Prefeito de São Paulo, o petista Fernando Haddad, considerado por muitos como um novo paradigma dentro do PT...

Exageros à parte, até porque não há nada de "novo" que não traga em si uma boa parte do "velho", eis o texto:

Em entrevista a blogueiros, Haddad mostra como o PT pode reagir

Buzz This
Post to Google Buzz
Bookmark this on Delicious
Bookmark this on Digg
Share on FriendFeed
Share on Facebook
Share on LinkedIn

haddad

Na última quinta-feira, o prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, reuniu-se com blogueiros e ativistas digitais na sede do Centro de Estudos da Mídia Barão de Itararé. Durante a entrevista, manifestou profundo inconformismo com o que considera uma “guerra” da mídia contra sua administração e demonstrou confiança na possibilidade de se reeleger.
Haddad também elencou medidas de sua administração que considera exitosas e até “revolucionárias”, citou falhas da administração tucana do Estado de São Paulo e reclamou da perda de recursos de sua administração por conta das “jornadas de junho” (de 2013) e da falta de apoio do governo federal.
O prefeito ironizou a mídia. Diz que só parou de bater incessantemente nos corredores de ônibus após ele começar a construir as ciclovias, que considerou imprescindíveis para uma metrópole como São Paulo, a exemplo do que ocorre em outras grandes cidades europeias e norte-americanas.
Ainda ironizando os adversários midiáticos, Haddad respondeu a críticas que fazem às ciclovias, de que são pouco usadas e de que custaram 33 milhões de reais; afirmou que são muito mais usadas do que, por exemplo, a ponte Estaiada, inaugurada em 2008 pelo então prefeito Gilberto Kassab, e que custou 184 milhões de reais.
haddad 1

O prefeito lembra que a mídia cita o custo de 33 milhões de reais das ciclovias como se fosse alto sem fazer comparações com obras como a de uma simples ponte, que diz que beneficia pouco uma única região e custou quase seis vezes mais, enquanto que as ciclovias se estendem por toda a capital paulista, beneficiando muito mais pessoas gastando muito menos recursos.
Lembrou, ainda, que o monotrilho que o governo Alckmin está construindo em São Paulo, chamado de “Linha 15 – Prata”, percorre um trecho de menos de três quilômetros entre as estações Vila Prudente e Oratório, funciona só cinco horas por dia e permanece bastante ocioso, pois os trens saem das estações com intervalos médios de 10 minutos e circulam praticamente vazios.
A informação mais impressionante que Haddad deu sobre o monotrilho de Alckmin é o custo, que já ultrapassa 6 bilhões de reais e que está em testes há cerca de um ano. Segundo o prefeito, se ele gastasse essa fortuna em uma obra de três quilômetros, que só funciona 5 horas por dia, não poderia nem sair à rua sem ser linchado, pois a mídia estaria falando do assunto todo santo dia.
Sobre a mídia, Haddad explicou que os piores e mais incessantes ataques à sua administração ocorrem via rádio, sobretudo CBN e Jovem Pan. Deu a entender que fazem uma lavagem cerebral na população mais humilde.
haddad 2
Sobre a redução da velocidade nas marginais do Tietê e de Pinheiros, o prefeito manifestou inconformismo com a ação civil pública impetrada pela Ordem dos Advogados do Brasil de São Paulo na última segunda-feira. Disse que telefonou para o presidente da OAB-SP para reclamar de não ter sido sequer consultado pela entidade antes de ela entrar com a ação.
Haddad manifestou inconformismo com o nível de desinformação da mídia, da OAB e de parcela da população com uma medida adotada em grandes metrópoles dos países desenvolvidos e que garante que irá produzir efeito oposto do que pensam.
O prefeito afirma que a redução da velocidade nas marginais irá aumentar a velocidade porque trafegar a 50 km por hora reduzirá o índice de acidentes. A teoria é a de que com menos acidentes, não haverá interrupção do tráfego e, assim, a velocidade média irá aumentar.
Haddad ainda manifestou perplexidade com a gritaria contra uma medida que, segundo afirma, reduzirá em apenas 4 minutos o tempo de percurso de um veículo pela marginal do rio Pinheiros estando o tráfego livre.
A parte mais interessante da entrevista, porém, foi no aspecto político. Haddad tratou da eleição de 2016 e demonstrou confiança em que é possível, sim, reeleger-se apesar do massacre midiático e dos seus baixos índices de popularidade, que atribui ao bombardeio que começou nos primeiros meses de sua administração com as manifestações do Movimento Passe Livre em junho de 2013, que passou a atacá-lo por elevar as tarifas de ônibus em 20 centavos.
O prefeito diz que suas dificuldades políticas poderiam ser menores se recebesse mais apoio do governo federal. Diz que tem recebido muito menos recursos do PAC do que o Rio de Janeiro, por exemplo.
Ainda assim, Haddad acredita que sua popularidade está baixa hoje porque ele não tem condições de mostrar suas obras para a população e, assim, o discurso contra sua administração predomina sem contraditório.
Como exemplo, diz que o programa “Braços Abertos” reduziu em 80% o número de usuários na Cracolândia paulistana e que, apesar de ser um programa que está sendo copiado no mundo inteiro e de nunca ter havido uma administração da capital paulista que logrou tal redução, o programa é criticado pela mídia por não ter conseguido redução de 100%.
Para Haddad, quando tiver oportunidade de ir à TV, no horário eleitoral, ano que vem, será capaz de fazer a população paulistana “refletir” e acredita que quando isso acontecer será quebrado o monopólio da informação.
O prefeito lembra que o julgamento do mensalão foi marcado, em 2012, para coincidir com as eleições municipais e que, apesar do forte antipetismo de São Paulo, foi possível dialogar com a população.
Haddad acha que a possibilidade de a cidade voltar às mãos da direita, com reversão de programas sociais e adoção de agenda conservadora, fará com que mesmo a oposição de esquerda se aglutine em torno de sua administração para evitar retrocessos na capital paulista.
Este blogueiro ficou surpreso com o nível de confiança do prefeito de São Paulo na possibilidade que tem de se reeleger e, sobretudo, com sua disposição para travar o debate político no ano que vem, pois esperava encontrar um Haddad combalido diante do massacre que o PT e suas administrações em todos os níveis vêm sofrendo.
Contudo, não se pode ignorar que Haddad é um grande debatedor. Fala extremamente bem, tem dados na ponta da língua e é um político extremamente carismático, apesar de iniciante.
Em fevereiro deste ano, em debate na Rádio Jovem Pan com o proto historiador Marco Antonio Villa, o prefeito saiu-se extremamente bem, como pode ser conferido no post Haddad ensina como o PT deve travar a guerra da comunicação.
Este blogueiro perguntou ao prefeito se pretende fazer sua campanha à reeleição na ofensiva contra seus críticos e a resposta foi positiva. Haddad está animado, pronto para o embate e, ao longo das duas horas em que se deixou entrevistar, demonstrou que tem recursos intelectuais e realizações a exibir. Quem o subestima certamente irá se surpreender.

12 comentários:

Anônimo disse...

“Para Haddad, quando tiver oportunidade de ir à TV, no horário eleitoral, ano que vem, será capaz de fazer a população paulistana “refletir” e acredita que quando isso acontecer será quebrado o monopólio da informação.”
“Haddad acha que a possibilidade de a cidade voltar às mãos da direita, com reversão de programas sociais e adoção de agenda conservadora, fará com que mesmo a oposição de esquerda se aglutine em torno de sua administração para evitar retrocessos na capital paulista.”
“Este blogueiro ficou surpreso com o nível de confiança do prefeito de São Paulo na possibilidade que tem de se reeleger e, sobretudo, com sua disposição para travar o debate político no ano que vem, pois esperava encontrar um Haddad combalido diante do massacre que o PT e suas administrações em todos os níveis vêm sofrendo.”

Penso um pouco diferente. Acho que se ele deixar para fazer o debate político (contundente) diário somente no ano que vem, vai ser atropelado pela oposição, pois já vão estar formados no senso comum paulistano os ideais da direita de pensar a cidade e consideradas verdades as críticas de seus opositores.

Anônimo disse...

Prisão de Dirceu serve como cortina de fumaça para esconder atentado contra Instituto Lula
Prisão de Dirceu pode ter sido para encobrir atentado ao Instituto Lula e promover ato contra Dilma

Anônimo disse...

Estive em São Paulo no nosso feriado de São Salvador. Só um idiota acha que quem mora a mais de 4 ou 5km do trabalho usa bicicleta. E olha que o trabalhador em São Paulo deve morar bem mais longe que isso. E não to falando da classe mais baixa, da classe média mesmo. Dizer que as ciclovias são mais usadas que a ponte estaiada é uma bobagem tão grande que não merece resposta. O prefeito deve morar em Fortaleza. Estive lá por dois dias úteis. As ciclovias estão vazias e tem duas pistas, de sentidos contrários. Devem diminuir as vias em uns dois metros e meio, ou seja uma faixa de rolamento de veículos. Bom, se depender de voto de taxista, vai ter uns 10. Tá fudido. Aposto que não se reelege. Ganho fácil.

douglas da mata disse...

Bem, fudido está você e estamos nós, se imaginar que é possível continuarmos a construir cidades e sociedades onde o veículo particular seja a referência principal.

Fudidos estamos nós se acreditarmos que medidas que indiquem uma mudança cultural e estrutural tão grandes (utilizar menos o veículo particular) possam ser medidas ou avaliadas em termos imediatistas ou eleitorais.

Em resumo: fudidos estamos todos se prevalecer a lógica (fatalista) de idiotas como você.

É justamente isso que o texto traz: apresentar o prefeito como um gestor capaz de enfrentar questões impopulares, e não agradar quem tem mais ressonância na caixa social de repercussão, rejeitando o apoio político imediatista para adotar interveções de Estado, e não apenas de governo.

Idiotas como você vivem a vociferar contra a política e os políticos, dizendo que tudo é feito para que sejam reeleitos e se mantenham no poder a qualquer custo. E aí, quando vem um cara disposto a quebrar esses paradigmas, você diz que ele está fudido.

Então eu digo: vá se fuder, você, cretino!

Anônimo disse...

Bom, eu não sei onde você me viu vociferar contra política e políticos. Também não me interessa porque sua mente doentia inventa coisas constantemente. Também não sei de onde tirou a idéia que ser contra as asneiras que esse imbecil está falando e fazendo em São Paulo é ser a favor de veículo particular, como se só existisse essa opção. Vamos deixar assim então. Veículo particular como solução principal pra transporte em grandes cidades realmente é uma loucura. Então a única opção é a genial idéia do idiota do Haddad de construir ciclovias em toda a cidade. Ó...tá dando super certo. As ciclovias estão cheias e o povo está super satisfeito. A ponte estaida está vazia e os corredores que antes podiam ônibus e táxis agora táxis só após as 20h. De novo, está dando super certo, ônibus pra caramba e taxistas super satisfeitos em ficarem engarrafados até as 20h. Ah, não se esqueça, começou em quase toda a cidade a velocidade máxima de 50km/h. Rapaz, você não sabe que sucesso tá sendo, a população tá super satisfeita. Tá quebrando paradigma pra cacete. É um gênio o cara. Parabéns. Tá no caminho certo. Sendo do PT, Dilma dando uma bela ajuda no cenário nacional e com essas idéias revolucionárias...já tá reeleito!!!

douglas da mata disse...

Aqui está, nos excrementos que você deixou por aqui, onde "imaginei" sua defesa dos veículos particulares (justiça seja feita, você também incluiu os de aluguel, mas que também são de passeio, ou seja, o problema muda pouco):

"(...)Devem diminuir as vias em uns dois metros e meio, ou seja uma faixa de rolamento de veículos. Bom, se depender de voto de taxista, vai ter uns 10. Tá fudido. Aposto que não se reelege. Ganho fácil(...)"

Leia de novo, cretino imbecil, o texto, porque não lhe responderei de novo...

Dar super certo? O que é dar super certo? O que falamos e repisamos aqui é que o prefeito teve a coragem de mexer em um assunto tabu: o reinado absoluto do motorista sobre todos os demais seres humanos...

E você continua preocupado com votos, popularidade e eleições...Vá tomar no seu cú, meu filho...!

Por certo a ampliação de ciclovias não é medida isolada, mas é de longe a que pode ser adotada em tempo mais rápido, até porque, o Metrô não é atribuição da prefeitura...

Os ônibus já revelaram seus limites de eficácia...mesmo com a intervenção das faixas excluivas(que também gerou reclamações dos idiotas...como você)...

Ou seja, babacas como você imaginam que é possível planejar uma cidade com múltiplos interesses em conflito, que se expandem e se (auto) devoram, e que possamos varrer tudo para baixo do tapete sempre, desde que os babacas possam "andar mais rápido"...

Em tempo:

A redução de velocidade aumentou em média em 4 a 5 minutos o tempo gasto pelo motorista para trafegar 20km, quando o tráfego está livre, pois quando está interrompido ou lento, a velocidade já é pequena...

Cada acidente, além da vida que é incalculável (por tempo ou por dinheiro), atrasa o trânsito em horas, justamente nas vias que estavam livres, portanto...

Cada 10 km/h de redução diminui em 30% o risco de mortes, e a não ser que a cavalgadura julgue que as vidas são descartáveis ou desimportantes, eu não entendi o comentário...

Ahhhh, deve ser coisa de quem não acha que o veículo particular deva prevalecer sobre as outras formas de transporte....

De resto, guarde suas análises do cenário político (e de engenharia de tráfego) do tipo jornal nacional para você, cretino, e como já disse, aproveite é vá se fuder, mas vá de bicicleta (sem selim) e não use ciclovia, vá pela rua para termos a sorte de que seja atropelado!

Anônimo disse...

Sim, mexeu num tabu, perfeito. Só que mexeu mal e piorou. Só isso filhinho. Simples assim. Sem análises mais profundas e indo direto ao resultado. Melhorou porra nenhuma pra pedestre e pra motoristas, sem comentário. Tiro o pé. O próximo paradigma a ser quebrado é adotar jegues como você e ele (sem piadas, por favor) como meio de transporte.

douglas da mata disse...

Jegue é um animal com utilidade, já o idiota é um subtipo de existência que não serve para nada...

O filho da puta insiste: Ele, do alto de toda sua "sapiência", consegue determinar (sentenciar?) que uma iniciativa com dois ou três meses já deu errado...uai, então por que não elegermos o Mágico de Oz ou o Holdini para prefeituras? Fica fácil assim, um passe de "mágica" e a plateia estúpida (formada por gente do naipe no nosso comentarista) aplaudem de pé cada maquiagem urbanística ou novo viaduto ilusionista (com mil faixas de rolagem) que saia do "nada"...

Estão errados europeus, chineses e todos os demais que tentam incluir o modal bicicleta como alternativa complementar, certos estão os idiotas como ele...

E ainda nos lasca: "sem análises mais profundas e indo direto ao resultado"....Uau, é o melhor "prefeito" do Brasil, meu deus, por que se escondes no anonimato? És a solução para todos os males...Se apresente, ó guia genial dos povos, e nós te seguiremos...

ELE (assim mesmo, como grafamos deus), já sabe que tudo deu errado, que piorou tudo e que tudo ficará uma merda...E tudo isso ele notou em dois ou três dias que esteve na capital de SP...Puta que o pariu, para que perder tempo (foram dois anos de debates com a sociedade civil e órgãos envolvidos), para que estudar engenharia de tráfego, para que perder tempo?

Chamem o "gênio anônimo"...

Aleluia, senhor, aleluia!

Bem, já que você citou quebras de paradigmas, eu vos digo: Eu estou disposto a carregar quem quer que seja no lombo, no dia que você falar algo que preste...

Anônimo disse...

Ok. Já falamos de mais. Esperemos...

Anônimo disse...

Só uma cavalgadura como você e uma anta como Haddad podem achar que bicicleta pode ser solução pra transporte de massa numa cidade como São Paulo. E ainda cita Europa e China...puta que pariu. Cultura não se importa sua besta. Cultura não se copia idiota. Você acha que tem pouco tempo pro resultado né? Vamos fazer o seguinte. Você senta em cima do seu rabinho no cantinho da baia que você mora e esperemos...Assim que se cristalizar o insucesso do Haddad a gente volta ao assunto. Ah...é pra esperar quanto tempo? Uns mil anos? Acho que até o fim do mandato dele ta bom né?

douglas da mata disse...

Bem ser colocado no mesmo patamar do Haddad, grato pelo elogio.

A bicicleta, assim como nenhum outro modal isolado, é solução exclusiva, quadrúpede..os sistemas de tráfego compreendem a conexão de vários modais, e lógico, um imbecil como você não perceberia isso nem que essa verdade caísse como um piano em sua cabeça oca...

A ação de gerir uma cidade (e seus conflitos) é além de tudo sinalizar simbolicamente (essência da ação política e da representação) quais são as prioridades.

Cultura não se importa, culturas se influenciam, se modificam mutuamente, a partir de referências hierárquicas promovidas pelos seus agentes, que ora se enxergam de forma distinta na escala hierárquica que imaginam existir entre tais estamentos culturais...

A não ser que o nazistóide imagine um mundo hermeticamente separado por culturas e nacionalismos distintos...

Se não fosse assim, como explicar nossa matiz cultural elaborada na matriz estaduninense?

Como explicar a lógica higienista na reforma urbana de Pereira Passos (as grandes avenidas, os boulevards, inspirados na Europa)?

Pois é, neste sentido, é peculiar o ato humano de olhar outras experiências e imaginar que possam ser adaptadas ao seu cotidiano...

Resumindo para você, seu cretino imbecil e incapaz: Copiar o jeito chinês e europeu é burrice, mas copiar o modelo dos EUA centrado no carro é normal?

Continua medindo a dimensão das medidas adotadas pelo prefeito paulista pelo "sucesso" ou "fracasso", repercutido, como sempre é conveniente aos coxinhas debilóides, por pesquisa de opinião publicada...

Não dá, já me diverti demais, desopilei o fígado e por aqui eu encerro com você...seus comentários acabam aqui...

Detalhe: aqui na baia onde moro não dá tempo para sentar: tenho que cobrir sua mãe, suas filhas e sua patroa...

Eduardo disse...

Podemos trocar a prefeita Rosinha pelo Haddad para administrar Campos? Eu aceito...