quinta-feira, 23 de julho de 2015

Pudim de chuchu com calda de vingança: a receita.

Ingredientes:

Duas colheres de chá de desconfiança
Meia dúzia de humilhações
300 g de infidelidades
Um punhado de raspas de ambição
Meio quilo de egocentrismo
3 unidades de desgaste da relação

Modo de fazer:

Junte todos os ingredientes no liquidificador das vaidades, bata bem até formar uma massa homogênea.

Unte uma forma e leve ao forno em temperatura sempre alta.

Calda:

Coloque um pouco de açúcar e manteiga com lágrimas de crocodilo e cozinhe até fazer ponto de fio.

Depois de tudo pronto, leve ao freezer e sirva gelado, como convém...



Brincadeiras à parte, um dos nossos leitores pediu que escrevêssemos algo sobre a questão "pudim"...

Sinto que vou decepcioná-lo, ao menos no aspecto pessoal do assunto, ou seja, o que é "pudim", se considerarmos que já houve defecções muito mais importantes no grupo dos patetas da lapa no passado?

É bom lembrar que o irmão do napoleão da lapa é um dos seus maiores adversários...E nada impede que sua lista de deserções possa incluir filhos ou sua esposa em futuro próximo...

Isso não tem nada a ver com uma característica pessoal do napoleão da lapa, embora isso conte, mas é o resultado direto de quem envolve os seus nos assuntos da política, dos negócios, ou melhor: em qualquer outro ramo da vida...

Mas quando a "traição" ganha dimensões de "questão de Estado", há algo de menos na ação política dos envolvidos...

Pessoas se juntam e se separam por variados motivos, uns mais nobres e outros nem tanto, dependendo da ótica de quem avalia, que fique claro...

O case "pudim" é mais uma "invenção" de setores que não têm nada para oferecer a população campista: nem a oposição, nem a situação e muito menos a mídia cretina local, dedicada a repercutir factóides, quando ela mesma não os cria...

Poderia ser pudim, o primeiro-filho-mingau (branco e mole), a primeira-filha, um ou outro secretário do núcleo duro...

Sabemos que a "traição" só é relevante, se for de quem está mais perto...Anos e anos de fidelidade canina trazem algumas sequelas para os que contam com algum resto de amor próprio...Certas horas estas cicatrizes tendem a ficar insuportáveis para quem as olha no espelho...

O problema não é se "pudim" desandou ou não...

O (nosso) problema é esta cidade permanecer refém de alternativas que não são alternativa alguma...

Se "pudim" é "melhor" o que a oposição manipulada pelo governador pezão vão tirar do forno, então a coisa vai mal, muito mal...ai de nós...

Quanto ao caso concreto, o "pudim", fica nosso chute, dentre tantos outros: Ninguém deixaria vazar um boato destes, sem desmentidos se: 

Não quisesse mandar recado da sua insatisfação, para aumentar o "preço" para acordos futuros, ou para mudar de lado, valorizando-se com a repercussão de seu ato como prova de seu peso relativo...

O certo é que salvo as partes diretamente envolvidas, niguém sabe o que acontecerá...


Bem, eu tenho a impressão que seja o que for, uma coisa é certa: essa cidade vai continuar a mesma merda...

3 comentários:

Anônimo disse...

Obrigado por sua opinião, Douglas.

Concordo que, se tudo der 'çerto' como está posto pela oposição e situação, estamos fudidos.
E você cria mais um bom apelido para o primeiro menino: o mingau.

abs

George Gomes Coutinho disse...

É... impressionante... A sensação entediante na política local prossegue implacável...

Esses dias estava olhando os textos antigos do "Outros Campos" e tenho a impressão que quase todos podem ser reeditados. A acomodação estrutural local, a falta de fatos novos, torna tudo o que foi dito há anos atrás incomodamente atual.

Desconfio inclusive que esta seja uma das possíveis razões do processo que fez murchar a blogosfera... Enfim...

Forte abraço camarada e prosseguimos na luta.. embora q em outras frentes.....

PS: Ainda estou esperando, com certa dose de otimismo da vontade, que pinte algo novo, criativo e edificante em termos de tomadas de decisão com impacto coletivo. Tarefa esta que a esquerda pensante local aparentemente não se engajou, onde faço aqui mea culpa...

douglas da mata disse...

Camarada George,

Prossigamos, até porque lutar é o nos resta.

Forte abraço.