domingo, 26 de julho de 2015

O sol da paz e democracia europeia se põe em solo grego...Vem aí uma Nova Idade Média?

Há alguns dias este blogueiro escreveu algo sobre os riscos gregos à Democracia e a estabilidade mundial, onde abordamos que, embora a Grécia não possa ser considerada, per si, uma ameaça militar ao equilibrio geopolítico da esfacelada Europa, há de se considerar que os efeitos políticos da desconsideração das vontades populares trazem a crença nos Estados de Direitos, e consequentemente, na manutenção da paz...

Pois hoje, ao passar o olho nas notícias da Europa, encontrei na primeira página do The Independent um texto do Patrick Cockburn, onde ele aborda o mesmo tema sob viés parecido...

No caso europeu, é verdade que a figura de um ditador de bigodinho e uniforme militar torrando judeus em fornos pareça improvável...Porém o articulista afirma que o desequilíbrio e o autoritarismo, por várias vezes, se expressam de forma polida e com belos ternos que vestem doutorados em ortodoxia liberal...

Sabemos o que a História nos diz que projetos ultra-nacionalistas tendem ao choque...Paradoxalmente, embora se autodenomine de universal, o projeto liberal nada  mais é que o fortalecimento exagerado de alguns países sobre os demais...

São formas distintas de dominção: ou direta e militar, na força e na marra, ou pelos cânones das receitas liberais de gestão, sacrifícios fiscais e sociais, e claro...juros extorsivos e pagamentos em dia...

Não que haja qualquer ranço colonizado neste blogueiro a ponto de se considerar mais ou menos relevante quando um articulista inglês escreva utilizando premissas parecidas, nada disso...

Mas é animador saber que há um sentimento contra-corrente circulando em vários veiculos de várias dimensões, desde um blog insignificante de uma planície lamacenta, até a cidade que foi o centro do império onde o sol não se punha...

No texto há mais inflexões sobre a questão alemã, e os paralelos inevitáveis com as instabilidades que percorrem o mundo árabe e nas áreas mais remotas da Europa, como Ucrânia...

Se interessar, clique aqui e leia...

sábado, 25 de julho de 2015

As melhores do Bezerra da Silva





O porta-voz da crônica dos morros...



Minha homenagem aos "bois" e a todos os demais que imaginam que nunca o serão...

Reflexões sobre o PT...

O blog reproduz o texto do Eduardo Guimarães em seu Blog da Cidadania sobre as impressões causadas pela entrevista do Prefeito de São Paulo, o petista Fernando Haddad, considerado por muitos como um novo paradigma dentro do PT...

Exageros à parte, até porque não há nada de "novo" que não traga em si uma boa parte do "velho", eis o texto:

Em entrevista a blogueiros, Haddad mostra como o PT pode reagir

Buzz This
Post to Google Buzz
Bookmark this on Delicious
Bookmark this on Digg
Share on FriendFeed
Share on Facebook
Share on LinkedIn

haddad

Na última quinta-feira, o prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, reuniu-se com blogueiros e ativistas digitais na sede do Centro de Estudos da Mídia Barão de Itararé. Durante a entrevista, manifestou profundo inconformismo com o que considera uma “guerra” da mídia contra sua administração e demonstrou confiança na possibilidade de se reeleger.
Haddad também elencou medidas de sua administração que considera exitosas e até “revolucionárias”, citou falhas da administração tucana do Estado de São Paulo e reclamou da perda de recursos de sua administração por conta das “jornadas de junho” (de 2013) e da falta de apoio do governo federal.
O prefeito ironizou a mídia. Diz que só parou de bater incessantemente nos corredores de ônibus após ele começar a construir as ciclovias, que considerou imprescindíveis para uma metrópole como São Paulo, a exemplo do que ocorre em outras grandes cidades europeias e norte-americanas.
Ainda ironizando os adversários midiáticos, Haddad respondeu a críticas que fazem às ciclovias, de que são pouco usadas e de que custaram 33 milhões de reais; afirmou que são muito mais usadas do que, por exemplo, a ponte Estaiada, inaugurada em 2008 pelo então prefeito Gilberto Kassab, e que custou 184 milhões de reais.
haddad 1

O prefeito lembra que a mídia cita o custo de 33 milhões de reais das ciclovias como se fosse alto sem fazer comparações com obras como a de uma simples ponte, que diz que beneficia pouco uma única região e custou quase seis vezes mais, enquanto que as ciclovias se estendem por toda a capital paulista, beneficiando muito mais pessoas gastando muito menos recursos.
Lembrou, ainda, que o monotrilho que o governo Alckmin está construindo em São Paulo, chamado de “Linha 15 – Prata”, percorre um trecho de menos de três quilômetros entre as estações Vila Prudente e Oratório, funciona só cinco horas por dia e permanece bastante ocioso, pois os trens saem das estações com intervalos médios de 10 minutos e circulam praticamente vazios.
A informação mais impressionante que Haddad deu sobre o monotrilho de Alckmin é o custo, que já ultrapassa 6 bilhões de reais e que está em testes há cerca de um ano. Segundo o prefeito, se ele gastasse essa fortuna em uma obra de três quilômetros, que só funciona 5 horas por dia, não poderia nem sair à rua sem ser linchado, pois a mídia estaria falando do assunto todo santo dia.
Sobre a mídia, Haddad explicou que os piores e mais incessantes ataques à sua administração ocorrem via rádio, sobretudo CBN e Jovem Pan. Deu a entender que fazem uma lavagem cerebral na população mais humilde.
haddad 2
Sobre a redução da velocidade nas marginais do Tietê e de Pinheiros, o prefeito manifestou inconformismo com a ação civil pública impetrada pela Ordem dos Advogados do Brasil de São Paulo na última segunda-feira. Disse que telefonou para o presidente da OAB-SP para reclamar de não ter sido sequer consultado pela entidade antes de ela entrar com a ação.
Haddad manifestou inconformismo com o nível de desinformação da mídia, da OAB e de parcela da população com uma medida adotada em grandes metrópoles dos países desenvolvidos e que garante que irá produzir efeito oposto do que pensam.
O prefeito afirma que a redução da velocidade nas marginais irá aumentar a velocidade porque trafegar a 50 km por hora reduzirá o índice de acidentes. A teoria é a de que com menos acidentes, não haverá interrupção do tráfego e, assim, a velocidade média irá aumentar.
Haddad ainda manifestou perplexidade com a gritaria contra uma medida que, segundo afirma, reduzirá em apenas 4 minutos o tempo de percurso de um veículo pela marginal do rio Pinheiros estando o tráfego livre.
A parte mais interessante da entrevista, porém, foi no aspecto político. Haddad tratou da eleição de 2016 e demonstrou confiança em que é possível, sim, reeleger-se apesar do massacre midiático e dos seus baixos índices de popularidade, que atribui ao bombardeio que começou nos primeiros meses de sua administração com as manifestações do Movimento Passe Livre em junho de 2013, que passou a atacá-lo por elevar as tarifas de ônibus em 20 centavos.
O prefeito diz que suas dificuldades políticas poderiam ser menores se recebesse mais apoio do governo federal. Diz que tem recebido muito menos recursos do PAC do que o Rio de Janeiro, por exemplo.
Ainda assim, Haddad acredita que sua popularidade está baixa hoje porque ele não tem condições de mostrar suas obras para a população e, assim, o discurso contra sua administração predomina sem contraditório.
Como exemplo, diz que o programa “Braços Abertos” reduziu em 80% o número de usuários na Cracolândia paulistana e que, apesar de ser um programa que está sendo copiado no mundo inteiro e de nunca ter havido uma administração da capital paulista que logrou tal redução, o programa é criticado pela mídia por não ter conseguido redução de 100%.
Para Haddad, quando tiver oportunidade de ir à TV, no horário eleitoral, ano que vem, será capaz de fazer a população paulistana “refletir” e acredita que quando isso acontecer será quebrado o monopólio da informação.
O prefeito lembra que o julgamento do mensalão foi marcado, em 2012, para coincidir com as eleições municipais e que, apesar do forte antipetismo de São Paulo, foi possível dialogar com a população.
Haddad acha que a possibilidade de a cidade voltar às mãos da direita, com reversão de programas sociais e adoção de agenda conservadora, fará com que mesmo a oposição de esquerda se aglutine em torno de sua administração para evitar retrocessos na capital paulista.
Este blogueiro ficou surpreso com o nível de confiança do prefeito de São Paulo na possibilidade que tem de se reeleger e, sobretudo, com sua disposição para travar o debate político no ano que vem, pois esperava encontrar um Haddad combalido diante do massacre que o PT e suas administrações em todos os níveis vêm sofrendo.
Contudo, não se pode ignorar que Haddad é um grande debatedor. Fala extremamente bem, tem dados na ponta da língua e é um político extremamente carismático, apesar de iniciante.
Em fevereiro deste ano, em debate na Rádio Jovem Pan com o proto historiador Marco Antonio Villa, o prefeito saiu-se extremamente bem, como pode ser conferido no post Haddad ensina como o PT deve travar a guerra da comunicação.
Este blogueiro perguntou ao prefeito se pretende fazer sua campanha à reeleição na ofensiva contra seus críticos e a resposta foi positiva. Haddad está animado, pronto para o embate e, ao longo das duas horas em que se deixou entrevistar, demonstrou que tem recursos intelectuais e realizações a exibir. Quem o subestima certamente irá se surpreender.

quinta-feira, 23 de julho de 2015

Garotos Podres - Rock De Suburbio LIVE!







Oi! Tudo bem?
Tudo bem...
Fora o tédio que me consome todas 24 horas por dia!
Fora a decepção de ontem, a decepção de hoje e a
desesperança crônica do amanhã!
Tenho vontade de chorar, raiva de não poder!
Quero gritar até ficar rouco, quero gritar até ficar
louco!
Isso sem contar a ânsia de vômito, reação a tal
pergunta idiota!
Fora tudo isso... tudo bem!

Link: http://www.vagalume.com.br/garotos-podres/oi-tudo-bem.html#ixzz3giXMRhp1

Pudim de chuchu com calda de vingança: a receita.

Ingredientes:

Duas colheres de chá de desconfiança
Meia dúzia de humilhações
300 g de infidelidades
Um punhado de raspas de ambição
Meio quilo de egocentrismo
3 unidades de desgaste da relação

Modo de fazer:

Junte todos os ingredientes no liquidificador das vaidades, bata bem até formar uma massa homogênea.

Unte uma forma e leve ao forno em temperatura sempre alta.

Calda:

Coloque um pouco de açúcar e manteiga com lágrimas de crocodilo e cozinhe até fazer ponto de fio.

Depois de tudo pronto, leve ao freezer e sirva gelado, como convém...



Brincadeiras à parte, um dos nossos leitores pediu que escrevêssemos algo sobre a questão "pudim"...

Sinto que vou decepcioná-lo, ao menos no aspecto pessoal do assunto, ou seja, o que é "pudim", se considerarmos que já houve defecções muito mais importantes no grupo dos patetas da lapa no passado?

É bom lembrar que o irmão do napoleão da lapa é um dos seus maiores adversários...E nada impede que sua lista de deserções possa incluir filhos ou sua esposa em futuro próximo...

Isso não tem nada a ver com uma característica pessoal do napoleão da lapa, embora isso conte, mas é o resultado direto de quem envolve os seus nos assuntos da política, dos negócios, ou melhor: em qualquer outro ramo da vida...

Mas quando a "traição" ganha dimensões de "questão de Estado", há algo de menos na ação política dos envolvidos...

Pessoas se juntam e se separam por variados motivos, uns mais nobres e outros nem tanto, dependendo da ótica de quem avalia, que fique claro...

O case "pudim" é mais uma "invenção" de setores que não têm nada para oferecer a população campista: nem a oposição, nem a situação e muito menos a mídia cretina local, dedicada a repercutir factóides, quando ela mesma não os cria...

Poderia ser pudim, o primeiro-filho-mingau (branco e mole), a primeira-filha, um ou outro secretário do núcleo duro...

Sabemos que a "traição" só é relevante, se for de quem está mais perto...Anos e anos de fidelidade canina trazem algumas sequelas para os que contam com algum resto de amor próprio...Certas horas estas cicatrizes tendem a ficar insuportáveis para quem as olha no espelho...

O problema não é se "pudim" desandou ou não...

O (nosso) problema é esta cidade permanecer refém de alternativas que não são alternativa alguma...

Se "pudim" é "melhor" o que a oposição manipulada pelo governador pezão vão tirar do forno, então a coisa vai mal, muito mal...ai de nós...

Quanto ao caso concreto, o "pudim", fica nosso chute, dentre tantos outros: Ninguém deixaria vazar um boato destes, sem desmentidos se: 

Não quisesse mandar recado da sua insatisfação, para aumentar o "preço" para acordos futuros, ou para mudar de lado, valorizando-se com a repercussão de seu ato como prova de seu peso relativo...

O certo é que salvo as partes diretamente envolvidas, niguém sabe o que acontecerá...


Bem, eu tenho a impressão que seja o que for, uma coisa é certa: essa cidade vai continuar a mesma merda...

sexta-feira, 17 de julho de 2015

Os riscos gregos ou: A Democracia morta em seu berço.

Está gravado na História o fato de que os deslocamentos dos eixos centrais do poder capitalista têm força suficiente para provocar conflitos sangrentos de escala global...

Isso não isenta de responsabilidade histórica as intervenções do campo chamado socialista quando em atividade, como no Afeganistão, no sul da Ásia e na África...

Mas a natureza global do capitalismo, e principalmente sua incrível capacidade de mater-se longevo, apesar de sua finitude como sistema de organização da produção, é que dão dramaticidade universal destes conflitos entre nações, e pior, fermentam o surgimento de fenômenos políticos baseados na irracionalidade...justamente o que alimenta o choque nacionalista...

Foi assim com Hitler, e sua entourage...Foi assim com cada regime ditatorial implantado para resguardar os interesses capitalistas ao redor do planeta...Enquanto era uma solução germânica-doméstica para desintegrar forças democráticas e de esquerda, o mundo todo fingiu que não estava nem aí...

O pior foi quando o apetite cresceu...

Repete-se a tônica na Grécia...Claro que gregos não têm estrutura para construir uma potência militar, mas o seu pequeno exemplo pode contaminar outros forças em outros blocos de países...

A Alemanha e sua suposta prosperidade não são para sempre, até porque os EUA não têm grana para bancá-los por muito tempo...

O governo grego de orientação esquerdista herdou o legado do fracasso do mercado em seu país, e se apresentou como uma força capaz de mediar os conflitos, atuando de forma paralela ou na contra-mão das orientações econômicas ortodoxas, impostas pela Aleuromanha...

Renovou as esperanças mundiais, no campo progressista e democrático, de que seria possível resistir...

Encurralado, buscou uma saída popular direta, onde referendou-se a noção de que a Grécia não se ajoelharia...

Não vamos entrar aqui no debate enfadonho se é ou não possível resistir as "leis do mercado"...

Esse debate é falso...e esconde uma premissa anterior, ou mellhor, uma escolha anterior: Definir o quanto de sacrifício será dado a cada estrato da sociedade...Em outras palavras mais rudes: quem vai pagar o pato...

O resto é palhaçada e prestidigitação dos "especialistas de TV" e economistas de (merda) encomenda...

No entanto, a insistência do capital em ignorar os clamores populares, representados nos mandatos e no resultado dos referendos, abre espaço para alternativas grotescas e perigosas...

A desilusão popular de que suas alternativas não são consideradas, seja com o golpe economicista greco, seja com as tentativas de golpe no Brasil, por exemplo, trazem uma sensação de inutilidade das formas democráticas de resolução de conflitos, o que conhecemos mais largamente como Estado de Direitos...

Aí nascem as experiências totalitárias...

O flerte (inicial e recorrente) das forças econômicas com estas alternativas de ódio e de desconstrução da política já revelou seu potencial homicida, mas parece que a memória não é um traço caro à Humanidade...ou quando é, sempre se apresenta como seletiva...


COMPAY SEGUNDO(La Musica Tradicional Cubana)





Viva la Isla...

quinta-feira, 16 de julho de 2015

A ditadura ministerial, a monarquia judicial e a geni.

Alguns dias atrás, quando da decisão (atacada e derrubada) pelo afastamento de secretários municipais, escrevi dois textos, um chamado Tempos Estranhos, que desdobrou em Caudilhismo Ministerial...

Agora vem a notícia da interposição de Ação Civil Pública da seção local do MPF, em face de gestores locais e nacionais do sistema de saúde...

Repito o meu raciocínio daquele texto.

É grave o momento...

Muito mais grave que a falta ou ausência de recursos ou má gestão deles na saúde, ou em qualquer outra área dos serviços públicos... e por um motivo simples:

Não cabe a órgãos sem voto decidir e fiscalizar aquilo que é próprio dos sistemas representativos...

Ora, porra, se o povo escolhe governantes que mantêm o sistema público de saúde sub-financiado, parasitado por empresas privadas e prestadores privados (médicos) de saúde, que devoram bilhões e bilhões do SUS sob a forma de deduções fiscais e outros favores fiscais, quem é o MPF ou o Judiciário para substituir o mandato popular? Quem lhes delegou este poder? Em qual eleição?

Ora, se o povo mantém no poder representantes que concordam com o lobby da máfia de jaleco, que mantém pouquíssimas, disputadas e caras faculdades, apenas para formar uma casta de profissionais com reserva exlusivíssima de mercado, ganhado rios de dinheiro, ao invés de aumentar a oferta de profissionais para níveis, digamos, cubanos, por que deverá o MPF e o Judiciário pretenderem interferir na vontade popular?

Uai, se o povo mantém representantes que fingem não ver que um dos principais problemas da saúde é a industrialização/especialização da medicina, patrocinada pela máfia farmacêutica e dos equipamentos médicos, enquanto 60% dos problemas de atendimento  da rede primária se resolvem com uma simples consulta, ou seja, uma pequena sala com um médico, por que devemos aceitar a tutela autoritária de funcionários públicos sem voto?

Opa, se o povo não quer, através de seus eleitos, ver problemas na promiscuidade de interesses de médicos que são, ao mesmo tempo, gestores públicos e empregados ou proprietários de empresas de saúde, por que o MP(F) e/ou o Judiciário devem fazê-lo em nosso nome (do povo)?

Imagine um  Procurador da República que advoga para empresas...É mais ou menos o mesmo conflitos de um secretário ou gestor público de fundos de saúde que é filiado a uma cooperativa médica, ainda que não seja diretor dela, como é comum...

Enfm, se o povo finge não entender que o problema da saúde é FINANCIAMENTO, e mantém governantes que, dentre outras coisas, ignoram que devem cobrar o reembolso dos planos de saúde os atendimentos feitos na rede pública aos seus clientes, por que cargas d'água devemos judicializar questões que devem ser resolvidas com amadurecimento político e das instituições, e não com bravatas midiáticas?

Sim, porque ações como essa do MPF são, como aquela decisão que afastou os secretários, pura pirotecnia...

Como não atacam as causas do problema, teremos uma ACP a cada período...E a cada uma delas, mais longe da solução ficamos, precariamente satisfeitos com o paternalismo judicial que nos conforta...

Mas atacar causas de problemas é coisa perigosa...Tem gente que é mesmo muito perigosa, e eu entendo isso...

E em tempo, como ficou mesmo aquele caso da Chevron, o vazamento de óleo, e a suspeita de que o "acidente" se deu porque a Chevron andava "chupando", ou tentando chupar óleo de poços "vizinhos", comprando poços baratos (e secos) ao lado de poços do Pré-Sal?

Quanto mesmo foi a multa da empresa? Quantas merrecas?

Mas bater na política, na gestão pública e nos políticos é como bater na Geni...

Maldita Geni...


Para descarregar o ambiente, repetimos a piada:

Já virou piada: Um pastor de ovelhas estava cuidando de seu rebanho, quando surgiu pelo inóspito caminho uma Pajero 4×4 toda equipada.
Parou na frente do velhinho e desceu um cara de não mais que 30 anos, terno preto, camisa branca Hugo Boss, gravata italiana, sapatos moderníssimos bicolores, que disse:
– Senhor, se eu adivinhar quantas ovelhas o senhor tem, o senhor me dá uma?
– Sim, respondeu o velhinho meio desconfiado.
Então o cara volta pra Pajero, pega um notebook, se conecta, via celular, à internet, baixa uma base de dados, entra no site da NASA, identifica a área do rebanho por satélite, calcula a média histórica do tamanho de uma ovelha daquela raça, baixa uma tabela do Excel com execução de macros personalizadas, e depois de três horas, diz ao velho:
– O senhor tem 1.324 ovelhas, e quatro podem estar grávidas.
O velhinho admitiu que sim, estava certo, e como havia prometido, poderia levar a ovelha.
O cara pegou o bicho e carregou na sua Pajero.
Quando estava saindo, o velho perguntou:
– Desculpe, mas se eu adivinhar sua profissão, o senhor me devolve a ovelha?
Duvidando que acertasse, o cara concorda.
– O senhor é Promotor, diz o velhinho…
– Incrível! Como adivinhou?
– Quatro razões:
– Primeiro, pela frescura;
– Segundo, se meteu onde não devia;
– Terceiro, usou recursos, conhecimento e serviços de outros profissionais, para resolver um problema em benefício próprio.
– E quarto, nota-se que não entende merda nenhuma do que está falando: devolve já o meu cachorro!

segunda-feira, 13 de julho de 2015

Agenda Sindical.

GREVE PÚBLICA

UFF CAMPOS DOS GOYTACAZES

PROGRAMAÇÃO DA SEMANA

Segunda-feira, 13 de julho
9h -Reunião dos Técnicos
18h –Reunião dos Estudantes

Terça-feira, 14 de julho
9h –Assembleia Sintuff
14h –Reunião de Docentes
18h –Filme Educação Proibida
CAHIS/Rafael Maul

Quarta-feira, 15 de julho
9h –Café com os Terceirizados
15h –Oficina Coletivo Bárbaras
17h –Reunião do Comando de Greve

Quinta-feira, 16 de julho
16h –Aula Pública sobre Ajuste Fiscal
Comando Local e Unificado de Greve -Campos

Homenagem aos coxinhas....





Garotos Podres - Cancões Para Ninar - Álbum Completo - Full Álbum





Bom dia, boa segunda-feira...boa semana...Nada como o otimismo punk para começar uma jornada feliz...

quinta-feira, 9 de julho de 2015

Gregos e patetas da lapa.

A sociedade grega deu uma bela resposta a banca, assim como antes já fizeram a Rússia e a Argentina em outros tempos...

Não há nenhum estúpido habitante da Economilândia que se arvore a dizer que se a Argentina ou Rússia tivessem seguido as receitas do FMI, há alguns anos atrás, estariam hoje em situação relativa melhor que estão, ainda que consideremos todos os problemas...

Pergunte a espanhois e portugueses o que custou seguir as regras do FMI...

Bem, os imbecis tupiniquins, sejam os bobocas do economês da mída local, ou os cretinos das pocilgas editoriais nacionais, como miriam pitonisa leitão, sabem o que nos custava rezar da cartilha do FMI na década de noventa do século passado...

Mas eles "esquecem"... 

Qualquer que seja a dificuldade da chamada economia real, a dúvida é sempre política, a saber: Quem vai pagar o pato? Banqueiros e a elite, ou os trabalhadores...

A partir desta escolha (POLÍTICA) é que se traçam as diretrizes da Economia, e claro, as "certezas econômicas", que justificam tudo...

Depois, é só espancar a realidade até que a versão, ou o wishfull thinking vire fato...

É assim que funciona a roleta financeira, girada em  conjunto pelos cafetões do capital, os "especialistas" e chantagistas da mídia...

Mais ou menos como querem nos fazer crer os patetas da lapa, que se a Prefeitura não vender os (nossos) fundilhos, e o que há dentro deles, estaremos condenados à bancarrota...

Pode até ser...

Mas o que eles não dizem, e nunca dirão, é que mesmo que entreguemos nossas almas a um mefisto agiota qualquer, ainda assim quebraremos...

Então, se é para quebrar, pelo menos salvemos os interesses de quem realmente interessa: os mais humildes...

Cada centavo de juro pago antecipadamente será um medicamento a menos nos hospitais, ou um prato de merenda a menos para os alunos da rede pública...

Se a Prefeitura não tem grana, chamem os maiores credores e falem assim: 

"Olha, sentimos muito, mas daqui para frente, o pagamento é parceladíssimo e sem juros"...
"Quem quiser bem, quem não quiser, amém...Vá à Justiça..." 

Para os serviços essenciais, é pagamento das dívidas aos poucos, sem interrupção dos contratos e serviços, porque se trata de interesse público relevante sobre os interesses privados e dos (des)equilíbrios contratuais...Como medida saneadora, todos os contratos de execução futura deverão ser pagos em dia, junto com pequena amortização dos contratos passados...

Esse é o risco de quem contrata com a Fazenda Pública, e a municipalidade tem que exercer esse poder de pressão antes de entregar o cú e as pregas para banqueiros...

Quem comeu a carne, agora tem que roer os ossos...

Se é emergência, por que é o Erário e a população que vão pagar a conta?

No entanto, eu tenho quase certeza que os "defensores dos pobres" vão miar como gatinhos na frente do pessoal que tem grana e créditos a receber, afinal, é de lá que vem a grana para doações de campanhas...


domingo, 5 de julho de 2015

Maysa - Ne me quitte pas





E para fechar a noite...Uma tonelada de dor de cotovelo...

Elis Regina - "Atrás da Porta" - Ensaio - MPB Especial





Há tempos me devo publicar algo da "Pimentinha"...



A carga emocional que ela carrega me impede de comentar qualquer coisa...



É tanta dramaticidade que dá até para pegar com a mão...



Cortem os pulsos, ou se joguem sem para-quedas...

sábado, 4 de julho de 2015

O caudilhismo ministerial.

Comum às análises da Sociologia, Ciências Políticas e outros ramos das Ciências Sociais, o caudilhismo, de forma superficial, sempre se caracterizou pelo protagonismo exacerbado de seus líderes, que substitui combalidas instituições e formalidades por sua vontade, funcionando como uma espécie de "pai" dos seus liderados...

Algumas vezes são responsáveis diretos pelo enfraquecimento do vigor político da sociedade...ou pelo seu aprisionamento em categorias "emocionais" de manifestação coletiva...

Como tais, os caudilhos não raro recorrem a violência física e simbólica para impor aquilo que acredita ser o "bem de todos"...

Podem ser eleitos ou não...

São populares, claro que são...

É mais ou menos como o Judiciário e o MP são vistos hoje...Diria, sem medo de errar, que trocamos o modelo clássico de caudilhos, aqueles que nos acostumamos a ver na segunda metade do século passado, pelos caudilhos de toga...

No texto anterior, Tempos estranhos, falamos mais ou menos nesse assunto...Replicou esse texto um comentarista com uma ótima piada, e resumiu tudo com grande bom humor.

Trago a piada a condição de texto da desta página:

Já virou piada: Um pastor de ovelhas estava cuidando de seu rebanho, quando surgiu pelo inóspito caminho uma Pajero 4×4 toda equipada.
Parou na frente do velhinho e desceu um cara de não mais que 30 anos, terno preto, camisa branca Hugo Boss, gravata italiana, sapatos moderníssimos bicolores, que disse:
– Senhor, se eu adivinhar quantas ovelhas o senhor tem, o senhor me dá uma?
– Sim, respondeu o velhinho meio desconfiado.
Então o cara volta pra Pajero, pega um notebook, se conecta, via celular, à internet, baixa uma base de dados, entra no site da NASA, identifica a área do rebanho por satélite, calcula a média histórica do tamanho de uma ovelha daquela raça, baixa uma tabela do Excel com execução de macros personalizadas, e depois de três horas, diz ao velho:
– O senhor tem 1.324 ovelhas, e quatro podem estar grávidas.
O velhinho admitiu que sim, estava certo, e como havia prometido, poderia levar a ovelha.
O cara pegou o bicho e carregou na sua Pajero.
Quando estava saindo, o velho perguntou:
– Desculpe, mas se eu adivinhar sua profissão, o senhor me devolve a ovelha?
Duvidando que acertasse, o cara concorda.
– O senhor é Promotor, diz o velhinho…
– Incrível! Como adivinhou?
– Quatro razões:
– Primeiro, pela frescura;
– Segundo, se meteu onde não devia;
– Terceiro, usou recursos, conhecimento e serviços de outros profissionais, para resolver um problema em benefício próprio.
– E quarto, nota-se que não entende merda nenhuma do que está falando: devolve já o meu cachorro!


quinta-feira, 2 de julho de 2015

Tempos estranhos.

Todos sabem que este blog não é simpático a dinastia da lapa e seus patetas, ao contrário...

No entanto, nutrir desprezo pela gestão municipal não significa abrir mão do bom senso.

A decisão do juiz que determina afastamento de secretários municipais é grave, e mais grave ainda é o silêncio da população, da sociedade civil e enfim, da mídia cretina (dessa última, nada poderia se esperar).

Assombra até o tom de comemoração dos chamados "opositores".

Não conheço os autos, e portanto, minha opinião se baseia em princípios de Direito e do Estado Democrático.

A Constituição veda, expressamente, qualquer restrição de direitos, supressão de patrimônio, violação de domícilios e todas as demais garantias contidas no artigo 5º, sem uma sentença condenatória definitiva.

É claro que como princípio materializado em direito positivo, há espaço para exceções, e estas se dão quando o direito e as garantias do indvíduo (e a manutenção/proteção destes) afrontam o direito da coletividade, em um nível que a não decretação da medida cautelar permitiria uma lesão  a esse direito coletivo de forma irreversível...

Sistemas jurídicos, via de regra, trabalham com esta medição entre o que é mais grave, ou o que deve ser sacrificado, para orientar as decisões e sentenças...

Ora, é óbvio que a não prestação devida de informação a Autoridade Judicial é um problema, principalmente a segurança jurídica e o funcionamento da atividade judicante. 

A questão é que o mero afastamento, neste caso, não garante que a suposta lesão ao Erário cesse, na medida que à mandatária executiva caberá indicar novos secretários, e nada nos desautoriza a imaginar que eles (os antigos e afastados) não cumpriram as ordens judiciais justamente porque cumpriam as determinações de quem neles depositou confiança: a prefeita, e que os novos deixarão de cumprir o que ela manda...

Portanto, a medida judicial pelo afastamento é mera pirotecnia.

Caberia sim, e não sei se foi decretada, a busca e apreensão, com todos os efeitos que ela produz, nas dependências do órgão que deveria guardar tais informações, e a responsabilização cível e criminal dos agentes delegados (secretários e outros) que deixaram de cumprir o mandado judicial por informações...

Mas há um detalhe ainda mais dramático para o nosso cotidiano e para o futuro.

O juiz está imiscuindo-se em papel que não é dele...Ao poder político (a Câmara) cabe esta fiscalização, e em última instância, ao poder originário que os institue nos mandatos, ou seja, os eleitores.

Remédios, ações e dispositivos institucionais de toda sorte estão disponíveis para esta fiscalização, devendo as medidas judiciais de força serem a última razão...

A medida é um tiro no pé, e explico:

Se o juiz substitui a prefeita em seu ato discricionário de nomear e exonerar auxiliares, como se estes agissem por sua conta e risco, afastará dela a responsabilidade pelos atos praticados em NOME dela.

Cada coisa em seu lugar.

Juiz não foi eleito para mandar exonerar secretários.

Há outros meios de obter as provas e documentos? Claro que sim, contando o Judiciário com a força do Estado (manu militari) para fazer cumprir o que requisita.

A exoneração surtirá o efeito desejado? Não se sabe, e este campo de incerteza não é permitido como resultado de medidas tão excepcionais.

Sofremos mais um duro golpe do Judiciário na Democracia.

A medida de afastamento nos parece uma punição antecipada...E punição antecipada é capricho, vingança.

Do Judiciário e do MP se espera mais equilíbrio e menos protagonismo.

Mas como diz aquela historinha, todo mundo se cala (e alguns comemoram), até que o arbítrio bate à sua porta....

Aí será tarde demais.