quinta-feira, 25 de junho de 2015

Erga omnes ou Inter partis (*)...?

Seguem alguns ilustríssimos integrantes do Parquet a deitar falação sobre o que não sabem, ou pior, sobre o que imaginam que sabem...

Em uma cidade-muito-longe-daqui, este ilustre integrante do órgão ministerial, anti-petista declarado, argumenta que Lula sabia de tudo (na ação 470), e mais, diz que Lula poderia ter influenciado o julgamento da ação 470, como reclamou que Dilma deveria fazê-lo para, supostamente, poupá-lo...

Vamos pular a parte da inocuidade de citar mídia como fonte confiável, aliás, vício comum a certos integrantes do Parquet, ávidos por holofotes, e por este motivo, tendenciosos a sobrevalorizarem conteúdos das empresas de comunicação que lhes servem de palanque anti-política...

Vamos pular também as considerações pessoais do funcionário público, que pelo seu cargo, deveria apenas opinar em processos e nos limites dos autos, nunca fora deles ou em plataformas de comunicação...

Pulemos, por fim, a evidência cristalina que o ex-presidente não é reú, investigado ou citado em nenhuma ação ou procedimento administrativo inquisitorial...

Consideremos apenas a lógica do ilustríssimo integrante do Parquet:

Ora, se é certo que Lula sabia de tudo, como poupar o executivo municipal da-cidade-muito-longe-daqui, dizendo em portaria de Inquérito Civil que o chefe do executivo nada sabia quando do rombo do ex-secretário de Fazenda ao manipular os recursos do fundo de pensão dos servidores públicos municipais, e outras verbas, em transações, digamos, "nada ortodoxas"?

O pior disso tudo é o silêncio covarde do PT, de sua comissão executiva municipal desta cidade-que -fica-muito-longe-daqui, frente a tamanha ofensa...

De certo que Lula não está acima da lei...e se fez, que pague...

Mas e os outros, fica tudo inter partis, ou devemos pensar erga omnes?

Será que o pessoal do PT desta cidade remota tem rabo preso, e por isso silencia?

Ainda bem que não moramos nesta cidade...




(*) Erga omnes: cujo efeito se opõe a todos.
      Inter partis: só produz efeito entre as partes litigantes.

Nenhum comentário: