quinta-feira, 11 de junho de 2015

As pandemias e as escolhas...

Não há nenhuma normalidade no fato da indústria farmacêutica mundial, o negócio que se equipara ao tráfico de drogas em lucratividade, investir zilhões de dólares em algumas doenças e desconsiderar outras...

Não é o bem estar da Humanidade que conta...É o lucro...

Assim, temos montanhas de dinheiro na busca pela cura da calvície ou na descoberta das "fontes da juventude" (vide Viagra), ou na cura de doenças que atingem proporcionalmente uma parcela bem reduzida da população (geralmente a mais rica, e que pode pagar caríssimos tratamentos), enquanto doenças pandêmicas assolam o resto da população (a parte mais pobre)...

Fui levado a estas reflexões durante minha leitura matinal dos jornais ingleses (The Independent)...

Assim como os desastres naturais (quer seja os que guardam relação direta com a ação humana, como enchentes, ou aqueles aleatórios, como terremotos), os mais atingidos são os mais pobres...

A distribuição dos benefícios da tecnologia não é universal, é seletiva, é um instrumento poderoso de dominação de classes...

Seja na África onde os senhores tribais aliados ao capital internacional escolhem quem comerá ou não, enquanto você chora emocionado e deposita alguma doação para alguma ong-quadrilha mundial, também na saúde pública mundial e nas ferramentas de diagnóstico e tratamento há intensa segregação baseada em um simples e crudelíssimo conceito: Só investimos nas doenças que darão retorno...

Os Estados Nacionais enfraquecidos assistem a tudo perplexos, e equilibram seus orçamentos apertados nesta roda viciada: Quanto mais gastam em saúde, mas deixam de atender a maioria...

Por isso a concentração de tratamentos de alta complexidade nas regiões mais ricas, enquanto nas mais pobres há ausência de tudo, e uma simples "olhada" do médico resolveria 60% dos casos (fonte: OMS)...

Sem massagem: Os médicos são cúmplices desta máquina de morte chamada indústria fármacomédica...Um dos sintomas mais claros dessa relação promíscua é o exército de propagandistas da indústria que se entulha nas portas dos consultórios, oferecendo "propinas" disfarçadas em singelas "amostras" e até o financiamento de seminários e supostas viagens de "interesse científico"...

As prostitutas de jaleco adoram esses mimos...

Há, claro, médicos que resistem, mas esses estão quase em extinção, sendo achados dentre os clínicos (médicos de segunda categoria) e outros generalistas (os párias da medicina "especialista")...

O jornal inglês trouxe outra revelação assustadora e que deve ser olhada com atenção...

Pesquisadores descobriram que determinados tipos de mosquito podem trasmitir uma doença letal, e que funciona como tantas outras de espectro bacteriano, onde o sintoma principal é uma febre, e se confunde com sintomas de outras doenças conhecidas...

Leia aqui se desejar...

A grande questão é que mosquitos são vetores geralmente associados a trópicos e pouca sanidade pública, justamente a geografia da pobreza...

Ou você imagina que é vontade divina que doenças como malária ainda matem em pleno século XXI, diante de todos os avanços em genética, sorologia, imunoterapia, etc?


Nenhum comentário: