domingo, 17 de maio de 2015

Nem deus salva o mercado municipal...

Sentado do alto de sua onipotência, deus deve estar de saco cheio:

De um lado, a sanha demolidora e privatista da dinastia da lapa, avançando sobre o bem público como se fosse seu inventário familiar...

De outro, as viúvas do garotismo, intelectuais de botocúndia, arquitetos tabajaras e mídias de aluguel, propondo ou o imobilismo bolorento conservacionista radical, ou o shopinização do mercado e seu entorno...

É demais até para deus, não acham...?

Um comentário:

Anônimo disse...

Tenho acompanhado pouco o debate sobre o mercado municipal.