domingo, 22 de fevereiro de 2015

Falando sério...

Há uma demanda urgente no país...Acabando de ler o livro de Jorge Ferreira e Angela Castro Gomes sobre o golpe de 1964, pude enfim conhecer, dentre tantas outras coisas sobre o Brasil de ontem e de hoje, duas lições fundamentais:

01- Definitivamente somos um país inclinado a golpes, e no Brasil todos eles nasceramm como movimentos de ruptura dos acordos da elite, ainda que em 1964, (parte das) forças de esquerda também tenham optado por romper com a via institucional...

02- Golpes acontecem quando os setores que têm a responsabilidade institucional de manter as coisas no rumo (geralmente os moderados) ficam isolados entre os extremos, e/ou quando a correlação de forças pende tragicamente para um dos lados...parece óbvio, mas é preciso relembrar essa premissa para não cometer erros de avaliação...

Foi o caso em 64, e já escrevemos isso aqui... quando comentamos sobre o livro da Editora Civlização Brasileira pela primeira vez...

Não há no Brasil de hoje um ambiente deflagrado como ontem, não há um desarranjo econômico como o vivido por Jango, com inflação na casa dos 100% ao ano, desemprego, greves, desabastecimento (em parte, por sabotagem), etc...Não há, exceto os débeis mentais, grupos políticos estabilizados em torno da ideia de fratura institucional, nem à esquerda, nem à direita...

Não há personagens como Brizola, Arraes, Julião, ou do outro lado, como Lacerda, Barros, por outro lado, não há moderados do calibre de JK, Tancredo ou San Thiago Dantas...

O que não quer dizer que haja conforto para esperar a situação se deteriorar, ou que devamos desacreditar no potencial golpista e conservador de boa parte da sociedade, inclusive dos cretinos que mais se beneficiam da melhoria de vida do povo...

Vejam vocês que, ironicamente, donos de jornais e de outros meios de comunicação deveriam estar felizes com a oportunidade de termos, hoje, 7 milhões de universitários, ao invés dos históricos 800 mil que tínhamos antes de 2003...

Que mais e mais pessoas estejam a comprar TV com conteúdo melhor (ou menos pior), acessando dados e informações na rede mundial, enfim, que as pessoas tenham se transformado em consumidores potenciais de informação, quando até bem pouco tempo não tinham o que comer...Inclusive para criticar e questionar governos, seja lá de que matizes forem...

Mas, ironicamente, o pessoal da comunicação não parece acostumado ou inclinado a melhorar o que produzem, e aí gritam...Que ironia, não? Gente que vende conteúdo reclamando de um governo que aumentou sua base de "consumo", e por que será?

Talvez a teoria bonneriana responda: "São todos Hommer Simpson"....

Porque a informação neste país que desejam é luxo de poucos, que devem, depois de vestir a informação do figurino ideológico mais apropriado, diluir para a massa ignara, como se tangessem bois...De cima para baixo, e goela abaixo...

Essa tarefa é mais importante para os donos da mídia que possibilitar um debate amplo e plural...Esta é a síntese "genética" dos grupos de mídia, sejam eles grandes oligopólios, sejam jornalecos-botequins do Norte Fluminense: Manipular a realidade, torturá-la para que confesse seus interesses...

Não se enganem, eles não rasgam dinheiro...Hoje a mídia não vive de seu público, ou dos anunciantes, mas de verba pública e gorda dos orçamentos públicos, inclusive dos governos que amam odiar...Irônico, não?

Voltando ao livro, é assustador ver semelhanças com o ontem, como o papel do PSD, semelhante ao "centro" político que hoje funciona do PMDB, as contradições...

Também é preocupante reconhecer (eu não sabia), que nem em 64 houve um consenso tão rígido dos grupos de mídia como há hoje...O livro revela que JB, Correio da Manhã, Última Hora, e outros, e até, pasmem, o globo e a folha de sp, mantinham linhas mais próximas do equilíbrio, e que só se dispuseram a radicalizar de vez nos últimos momentos, o que não os absolve, ao contrário...

No entanto, hoje há um controle, uma censura privada e prévia que impede que TODO e QUALQUER grupo econômico de mídia seja capaz da mais leve reflexão ou consideração positiva sobre atos do governo, e mais, como se não bastasse tal desequilíbrio anti-democrático, precipitam-se sobre a ilegalidade (impune), quando caluniam e assassinam reputações, enquanto sonegam do público aquilo que cometeram seus protegées...

E no caso da globo, ela mesmo é uma organização criminosa dedicada a sonegação fiscal!!!

Nossa tarefa é esvaziar a indústria do ódio...É algo que tenho que dizer a mim mesmo, afinal, odiar é sempre mais fácil...

O compromisso dos que querem um país melhor passa pela árdua tarefa de encontrar dentre os delirantes golpistas aqueles que estejam dispostos a algum tipo de diálogo...Não podemos abandonar a política....

Isso não implica em baixar a guarda ou deixar de demarcar o campo necessário, colocando os cretinos sempre em seu devido lugar, o esgoto da História...

Porém, a mais completa e solene indiferença é o antídoto certeiro a campanha de ódio que promovem, tentando encurralar o país...

Vida longa aos mervais e outros boçais do gênero...Que assistam de pé, soltos e gordos a mudança desse país...

Como ninguém é de ferro, a síntese do que representa a mídia e seus jornalistas de coleira...

Image result for charges sobre jornais ou jornalistas

2 comentários:

Anônimo disse...

Caro Douglas, assim que puder leia isso:

http://www.revistaforum.com.br/rodrigovianna/forca-da-grana/banco-hsbc-financiamento-trafico-ao-escandalo-das-contas-secretas-na-suica/

Anônimo disse...

http://www.cartacapital.com.br/economia/entenda-o-caso-dos-vazamentos-do-hsbc-7392.html