segunda-feira, 19 de janeiro de 2015

Yemen, o verdadeiro alvo...

Como já foi dito aqui neste blog, interessa menos se o atentado ao Charlie Hebdo, revista francesa de humor, foi uma ação deliberada dos serviços secretos dos EUA, França e aliados, se aconteceu por omissão destes, propositalmente, ou enfim, se foi uma (in)feliz coincidência...

O fato é que a situação dramática cai como uma luva para vários grupos, dentre eles os de extrema-direita da Europa, o combalido governo do premier francês Hollande, e at last, but not at least, os EUA...

Todas as "investigações" apontam para ramificações al-qaedistas no Yemen...

E afinal, que porra é o Yemen? Fui procurar no mapa...Este pequeno paiseco fica entre o mar Vermelho e o Golfo de Aden, que por sua vez desemboca no Mar da Arábia, no Oceano Índico...

Dê uma olha você mesmo, aqui.

Uma posição ultra-estratégica, que é a outra ponta da ligação do Mediterrâneo com o Índico e Pacífico...

Uma das joias do Império estadunidense, alvo da cobiça das quatro irmãs do petróleo...

Não satisfeito, fui dar uma olhada no sítio da Al Jazerra, aqui, sobre o Yemen...

O que temos por lá é mais do mesmo: Um governo fantoche a serviço dos EUA, duramente combatido por grupos radicais, dentre os quais se destaca os Houthi, uma facção xiita aliada ao Irã, que nasceu em 1990 com viés moderado, e que foi se tornando cada vez mais violento, à medida que as forças dos governos-fantoches apertavam o cerco...

Pasmem: A agenda dos Houthi traz temas que poderiam figurar na pauta de qualquer partido ocidental:

"(...)"Our demands are like the demands of the Yemeni people who seek a decent life, a good economy, security, stability, freedom of expression," (...)" (Nossas demandas são as do povo yemenita que procura por uma vida decente, economia estável, estabilidade e liberdade de expressão)

Mas então por que raios aquele país está explodindo em convulsões?

De acordo com o relato da Al Jazeera, fortes combates entre o Houthi e as tropas do governo tornaram a capital do pequeno país, Sanaa, em um monte de escombros, e as informações ainda dão conta de que não há controle estatal...

Ora bolas, o roteiro nos é muitíssimo conhecido:

Do conflito surge um governo teocrático, tão ou mais violento que os anteriores, mas que se posiciona contra os interesses ocidentais, que por sua vez, em nome da "restauração" do equilíbrio da sensível região, desembarcarão as forças multinacionais (EUA e aliados) no Yemen, aumentando em escala exponencial o alcance militar da disputa...

Assim teremos o aumento da produção desta fábrica de ressentidos terroristas, legitimados pelo sofrimento daquela população, que entre tiranos estrangeiros e os seus próprios assassinos, tendem a ficar com estes últimos... 

Esqueçam a lenga-lenga sobre direitos humanos, etc...

A questão não é essa...

Arábia Saudita, e sua monarquia absolutista, mantém um rigor teocrático e leis islâmicas que fariam o ISIS parecer o Partido Democrata...

Israel trata seus palestinos piores que os cães...

A questão é: De que lado você está?

Você é aliado ou alvo?

Nenhum comentário: