sábado, 17 de janeiro de 2015

Esquerda volver...

Cenários eleitorais são parecidos e diferentes ao mesmo tempo.

Cada instância requer um olhar acurado sobre as variáveis, mas há referências parecidas, quase universais.

Há um certo consenso nos setores comprometidos com o avanço das políticas sociais do governo capitaneado pelo PT, de que o partido precisa ocupar um lugar mais à esquerda, re-estabelecer seus laços orgânicos com os movimentos sociais, sob pena de permitir que apenas o caráter excessivamente pragmático continue a encurralar a presidenta Dilma...

Esta é uma tarefa do PARTIDO, que não pode se confundir com a ação de governar, onde sustentamos o ônus da governabilidade, embora as duas instâncias se influenciem em relação recíproca de causa e efeito.

Aqui em Campos dos Goytacazes não é muito diferente, embora por razões óbvias não nos caiba o ônus (e o bônus) de governar...

Se não definir uma feição mais à esquerda, propondo a quebra de certos paradigmas locais, o PT seguirá sendo mais do mesmo, e pior, um pouco de quase nada, considerando o peso e capital político dos seus pares da oposição... 

A ousadia não se resume a trocar acusações sobre falsos moralismos e desvios éticos.

O que é necessário é criar formas de comunicação com a população mais carente, estabelecer propostas que reformem este modelo cansado e ineficaz, trabalhando com o medo e a esperança...

Sim, a população tem medo de que ruim com os patetas da lapa, pior sem eles...E não sem motivos, haja vista que cada "alternativa" que ganhou espaço se revelou muito pior, ainda mais se considerarmos que eram dissidentes da estrutura que diziam querer mudar...

Portanto, nossa matéria-prima só pode ser baseada na esperança, na crença que haverá um meio de tirar esta cidade do atoleiro no qual está metida até o nariz...

Empregos de baixa remuneração, serviços de baixa qualidade, dependentes de receitas do petróleo, encruzilhada fiscal-orçamentária, cidade privatizada e fragmentada, total ausência de participação popular e letargia cívica...

Não é possível tocar esta empreitada sem entender que haverá a hora de demarcar campo, e dizer que certos "aliados" são indesejáveis, haverá outras horas de compor, haverá pontos a negociar e outros inegociáveis...

A resposta para achar o tom certo é a política...o cotidiano...a disputa pelo imaginário coletivo...Mas a posição é evidente: esquerda volver...

O maior partido de esquerda mundial não pode se diluir no meio das cópias falsificadas do garotismo.

7 comentários:

Anônimo disse...

Mas será que existe vida orgânica dentro do PT municipal hoje?

Outra coisa, como será que é possível reorganizar, restabelecer conceitos e princípios, e mesmo refundar o PT municipal sem a colaboração dos quadros mais antigos e preparados, que há tempo já deixaram a vida partidária?

Anônimo disse...

Não vejo muita esperança no PT de Campos não. O único vereador do partido, que inclusive não tem história nenhuma dentro do partido, tem pouco diálogo com a população e os demais militantes são muito preocupados com a defesa do governo da Dilma, mas se esquecem de debater os problemas da cidade de Campos. Vejo muito pouca ou quase nada, as manifestações dos militantes do PT e seus simpatizantes sobre as inúmeras ações, intervenções e o legado do governo da Rosinha Garotinho pra Campos. Eles não discutem a cidade.

douglas da mata disse...

Não, infelizmente não existe.

Há uma lacuna deixada pelos quadros mais antigos e com vivências diferentes (não ouso em chamar de "mais preparados").

Como há uma inércia em relação ao processo de oxigenação e renovação dos quadros, o que sempre foi uma característica do PT, que aqui em nossa cidade, envelheceu sem amadurecer.

Mas sua pergunta é pertinente e tem alvo certo: Precisamos (ao menos eu preciso) fazer um mea culpa pela acomodação.

Anônimo disse...

Talvez o PSOL de Érick Schunk seja o único que possa romper com isso tudo...

Anônimo disse...

Uma nova geração de jovens militantes de esquerda em Campos, é isso que precisamos! Esperamos e acreditávamos tanto que a Uenf nos proporcionasse isso com mais rapidez. Está demorando, mas as eu acredito ainda nisso. Acho que só isso nos salvará!

douglas da mata disse...

Caros amigos, vamos por partes:

O PSOL, independente de quem o lidere em nossa cidade, é portador da pior mensagem da (anti)política atual, a do moralismo hipócrita.

O PSOL é hoje linha auxiliar dos conservadores no cenário político nacional, e aqui não é diferente. Vocaliza a classe mé(r)dia frustrada e decadente, aquela que odeia a classe "C".

Concordo que o governo Dilma e sua defesa são mais importantes para os militantes e simpatizantes petistas no momento. É natural, já que o PT local não seduz para a discussão da cidade.

E mais: não adianta reproduzir aqui, no debate contra o garotismo, os mesmos métodos que sofremos no plano nacional. É incoerente, e por isso a população se afasta.

douglas da mata disse...

Caros amigos, vamos por partes:

O PSOL, independente de quem o lidere em nossa cidade, é portador da pior mensagem da (anti)política atual, a do moralismo hipócrita.

O PSOL é hoje linha auxiliar dos conservadores no cenário político nacional, e aqui não é diferente. Vocaliza a classe mé(r)dia frustrada e decadente, aquela que odeia a classe "C".

Concordo que o governo Dilma e sua defesa são mais importantes para os militantes e simpatizantes petistas no momento. É natural, já que o PT local não seduz para a discussão da cidade.

E mais: não adianta reproduzir aqui, no debate contra o garotismo, os mesmos métodos que sofremos no plano nacional. É incoerente, e por isso a população se afasta.