quinta-feira, 4 de setembro de 2014

Albert Camus tem razão...

É atribuída a Camus a célebre frase: "O suicídio é o único problema filosoficamente sério"...

Desde que ouvi esta sentença, nunca mais conseguir enxergar outro problema que merecesse uma reflexão filosófica mais apurada...

Parece que nos dias atuais, mais e mais gente se inclina a decidir: "vale ou não vale à pena esperar"...

Sim, porque viver é só esperar algo que é certo, e aparentemente não tem data, ou melhor, não tem uma data que possa ser prevista...

O paradoxo: Ao mesmo tempo que esta incerteza inspira esperança, pode ao mesmo tempo, inspirar descrença...

A inevitabilidade é benção e maldição...

Sistemas filosóficos, religiosos, crenças políticas, seitas e outras formas de abstração procuram nos convencer que vale o esforço de esperar, definhando aos poucos, com as formas e faculdades subtraídas pela ação do tempo...

Mercados se ouriçam para prover fármacos e intervenções cirúrgicas capazes de modificar aparências, dando a (falsa) impressão de que o corpo resistirá a infantilidade de negar a fatalidade e precariedade da vida...

E ainda assim, mais e mais gente se mata...Ou será que de tanto consumir, acabamos nos consumindo...?

Sei lá...não sou chegado a espiritualizações, ateu que sou...

Duas matérias trazem alerta da OMS sobre uma pandemia de suicídio pelo mundo...Uma pessoa a cada 40 segundos toma a última e mais importante decisão de sua vida...


Ontem mesmo, em conversa com um amigo do trabalho, ele me disse outra frase instigante: "Caramba, a busca da felicidade se tornou uma doença fatal..."

É fato...nunca tanta gente se matou e morreu acreditando que falho em buscar um rótulo...que muda a cada exigência das demandas de mercado...pobres sísifos que somos...

Enfim, para nosso consolo, tenho quase certeza de que se deus existisse, ele também já teria se matado...

Nenhum comentário: