sexta-feira, 1 de agosto de 2014

A futura cidade do Açu e os acordos Caracu...

Não se enganem. Com a expansão dos negócios no atual distrito do Açu, é bem provável que haja movimentos de fragmentação territorial e política por motivos óbvios.

A distância geralmente é alegada para justificar certo desprezo administrativo e sendo aquela localidade de menor densidade demográfica (eleitores e VOTOS), e propensa a gerar mais problemas que divisas (haja vista o estupro fiscal chamado de incentivos e outros favores do Erário para "atrair" investidores), não é de todo improvável que setores da comunidade local, instada pelos oportunistas de sempre, considerem a possibilidade de emancipação em futuro próximo.

Parêntese: Não há pesquisa (ainda) neste sentido, ao menos que eu tenha conhecimento, mas tenho a intuição que os fluxos migratórios demoram a transferir seus registros como eleitores aos "eldorados" onde se instalam, tanto por descompromisso e falta de laços com a localidade (e até certo desprezo), como nostalgia em manter laços com a terra natal.Isto causa graves assimetrias no esquema representativo destas cidades ocupadas, haja vista que pessoas que depositam ali seus esgotos, consomem água, entopem hospitais, tornam o trânsito caótico, e o ar irrespirável, não participam das escolhas e deliberações democráticas destes locais.

Não é raro que estas distorções tragam transtornos irremediáveis ao arranjo institucional destas cidades e as novas cidades que elas originam...

Tudo isto com apoio logístico e financeiro dos capitalistas que se instalaram ali, uma vez que estruturas administrativas recentes são sempre mais "maleáveis" ao assédio do dinheiro, usado para pressionar e facilitar a superação das resistências normativas (leis, regulamentos, licenças, restrições, etc), chamadas pejorativamente de "entraves burocráticos".

A expressão acordo Caracu é useira e vezeira, e a rima traz o desfecho óbvio para quem está na ponta mais fraca do pacto, neste caso, as populações do Açu. É, eles entraram e estão entrando com o c*...

No início, foram os agricultores do Açu (V Distrito), desterrados e exilados de suas terras, chamados de entraves ao "desenvolvimento", justamente porque desejam um tipo de desenvolvimento que não desconsiderasse as raízes e as culturas locais, decantadas ao longo de gerações, mas que foram varridas do mapa, à força das milícias oficiais "alugadas" pelo Estado do Rio de Janeiro aos donos do "tutu".

Depois foi a água salinizada, problema esquecido, por enquanto, mas que ronda como uma nuvem negra a região, pressionada pela demanda paulista por água do esquálido Paraíba do Sul, que por sua vez poderá ser novamente desviado para alimentar as plantas industriais da retro-área do porto, e os fluxos migratórios que fluirão em busca de empregos.

Assim teríamos 3 desvios: Sistema Guandu (RJ), o de São Paulo, e para o Açu. Sem contar a questão da geração de hidroenergia...também suspensa, temporariamente...

Nesta tocada, é bem possível que a nova Igreja de Nossa Senhora da Penha seja reconstruída na curva da Lapa, e finalmente teríamos uma "orla marítima" em Campos dos Goytacazes...

Exageros à parte, outro golpe duro contra o Açu é a invasão do mar em sua faixa de areia...

Não é possível que milênios após os egípcios construírem pirâmides, depois dos incas e outras populações andinas pendurarem civilizações em penhascos, dos romanos e suas estradas e aquedutos, tudo sem laptops, autocads, etc, e engenharia, a geofísica, e outros ramos da ciência não consigam prever e estabelecer mitigações para os impactos resultantes das intervenções geoeconômicas.

Na verdade, estas ciências e seus cientistas, pagos a soldo alto, sabem que o resultado seria um só: devastação, e que para minorar danos seriam necessárias medidas caras, logo, desprezadas para não encarecer custos...

Triste...

A futura cidade do Açu já nascerá sem futuro...




2 comentários:

Anônimo disse...

Quem não se lembra do Lula, abraçado com o Eike em visita furtivamente oficiosa a essa região?!

douglas da mata disse...

Pois é amigo (a), veja bem que a sedução do conto do capitalismo-empreendedor-desenvolvimentista não poupa ninguém...

Creio que ninguém imagina que Lula é infalível, ou que nunca tenha feito "apostas erradas"...

Aliás, só não erra quem não faz porra nenhuma...

De todo modo, não foi o governo federal que entubou dinheiro no Açu, é bom lembrar...