segunda-feira, 9 de dezembro de 2013

Chá das cinco...mas sem biscoitos...

Boa parte da disputa pela hegemonia política, e pelo controle ideológico de todas as classes, consiste na construção de imagens discursivas e mitos, desde as virtudes daquilo que determinado grupo defende(dependendo de sua posição relativa no tabuleiro - oposição/situação), sua relação com os grupos de interesse que disseminam tais mensagens (mídia), que resultam na capacidade de construção de sensos comuns, de fácil absorção e contaminação pelas mais variadas camadas destas sociedades e, claro, dentro dos aparatos estatais...

A reprodução deste conjunto de ideias dão contornos regulares e perenes da visão que um povo, ou uma nação, tem de si e das outras nações...

Claro que nem tudo é imagem, e uma boa parte do que se reproduz tem relação com a realidade, embora nem sempre toda realidade esteja disponível para que seja analisada...Geralmente nos servem a realidade aos pedaços...

É lugar comum o realce de nossas incompetências atávicas, nossos cacoetes e malandragens, nosso gosto pelo duvidoso, a tolerância com práticas anti-republicanas (seja lá que diabos este rótulo "republicano" signifique), nossa mania de chegar atrasados, nosso desleixo com temas primordiais, como a Educação, enfim, nossa vocação para o desastre histórico, realçados por um complexo de baixa estima e pela produção de uma malemolência subcultural, destinada a desejos exóticos e quase pornográficos...

Uma breve olhada nos "costumes alheios" revela-nos que até neste quesito somos "principiantes", onde temos escândalos como a corrupção desenfreada nos contratos do governo estadunidense (bush pai, bush jr) nas guerras por petróleo (Hallburton, UNITED DEFENCE, etc), as fraudes nas bolsas, o caso ENRON, as pirâmides (Madoff), a manipulação Eurolibor (variação para favorecer players que atuam em mercados derivativos de câmbio), corrupção da SIEMENS e ALSTOM ao redor do planeta, e principalmente com os tucanos de SP, paraísos fiscais, lavagem de dinheiro pelo Vaticano...ufa...etc, etc, e muito mais etc...

Tudo isto não nos desculpa, mas ao menos poderia tirar de nós o peso de acharmos que somos o povo mais ladrão do planeta...

Poderíamos, ao mesmo tempo, "descobrir" que os impérios econômicos e geopolíticos não foram construídos em disputas virtuosas e honestas, mas sim com saques, sabotagens, golpes, pirataria, manipulação e muiiiiita violência...! E assim o são até hoje...

Há uns dias eu li uma manchete no The Independent que tratava de um assunto impensável para alguns crédulos, gente que sempre confiou que a fome era um flagelo que apenas assolava povos incompetentes como nós, brasileiros, latinos, africanos e outros pedaços malditos da Ásia...

Com enorme preguiça de escrever sobre o assunto, li o texto rapidamente...

Mas é fato: A crise econômica e as medidas de austeridade promovidas pelos neoliberais na Inglaterra têm aumentado a fome, que se tornou problema de saúde pública naquele país...

Não consegui achar a matéria, mas vejam que na página de hoje do jornal inglês há outro texto sobre o assunto, e desta vez trata da ascensão dos mercados populares na Grã Bretanha, onde são vendidas por preços muito mais baratos os produtos com algum defeito na embalagem, um tipo de "xepa", muito comum nas feiras brasileiras quando se trata de hortaliças e verduras...

Chamam de "supermercado social", e você pode ler sobre o assunto aqui...

Não satisfeito, fui na janela de busca do jornal e escrevi duas frases para pesquisa:

Welfare cuts and hungry in Briton (algo como corte nos programas sociais e fome na Grã Bretanha) e;

Hungry as a public health problem in UK (Fome como problema de saúde pública no Reino Unido)...

Eis uma parte dos resultados que selecionei nos links abaixo:

Malnutrition cases in English hospitals almost double in last five years (casos de desnutrição em hospitais ingleses quase dobram nos últimos cinco anos) e;

Esta seção de textos que falam da fome na Inglaterra nos últimos tempos,  aqui...

Pois bem...quem lê, assiste e ouve nossa imprensa local e nacional, associada aos urubus da mídia internacional, tem a impressão que o nosso país está à beira do abismo, enquanto a Europa e os EEUU nadam em mar de prosperidade, condição que lhes permite dizer o que devemos ou não fazer com nossa economia e políticas internas (mormente as sociais, tidas como um envenenamento da já pouca disposição brasileira ao trabalho...).

A exceção da ditadura chinesa (que manda e desmanda o valor de seu câmbio, e revira de cabeça para baixo qualquer vila que esteja no caminho dos planos do partido e seus sócios ocidentais), nenhum país crescerá os 2,7% previstos para o aumento do PIB brasileiro...

Se isto já não fosse uma tarefa hercúlea em um capitalismo de abismo que vivemos, restam os indicadores sociais em franca melhoria...Desemprego em 5.7%, salários em alta, incentivos ao estudo superior, investimentos em larga escala em estradas, portos, aeroportos, etc...Mais um Pré-Sal de possibilidades...

E mesmo assim, ainda sonhamos em tomar chá com a rainha...Devemos levar os biscoitos?

De todo modo, para não dizer que não ouvimos nada do que os estrangeiros dizem a nosso respeito, trouxemos a entrevista do ultra-comunista Bill Clinton para o Pravda brasileiro, o grobo:


Bill fala sobre sua admiração sobre os feitos do governo Lula e Dilma, elogia programas de incentivo universitário, tece algumas sugestões, dentre outras considerações...

Será que os lulodilmopetistas compraram a espelunca editorial dos marinho com o dinheiro desviado do Bolsa Família?

Quem sabe...?

Do jeito que eles andaram sonegando impostos, e retendo direitos autorais, o preço deve até estar em conta...

4 comentários:

Anônimo disse...

Olá, da Mata. Primeiro quero deixar claro, que tem um outro comentarista te chamando de da Mata em post acima mas não fui eu. Mas vamos ao assunto aqui que está muito pertinente.
Concordo com sua pessoa no que tange a achar que o Brasil prospera e que o Reino (des)Unido não vai tão bem assim. Vejo prosperidade no nosso torrão, caro amigo. E por minhas leituras atuais, procurando discernir os tempos e as "tampas" que foram levantadas, posso crer mesmo que as Escrituras tem razão. Não, da Mata. Calma.Nada de cunho religioso aqui. É uma análise consciente d que quando uma nação, um povo, busca Deus através de Jesus Cristo ( com todas as idiossincrasias, sabemos que A Figura Jesus Cristo, é forte no Brasil, queiramos ou não isso.)
E aí, da Mata, é aquela coisa, está nas Escrituras que se um País não dá as costas para o Deus das Escrituras, esse país prospera. O Reino Unido, um país protestante, que deveria honrar seu Deus, caiu na infidelidade e portanto está recebendo o que jamais pensaria receber. Portanto, vejo sua palavra aqui, como algo pertinente. Cara, sou petista, quase ateu, mas homem de várias leituras e por que não dizer, humilde para aprender com a História.
Um abraço, Marcel

douglas da mata disse...

Marcel, com todo respeito: deus das escrituras é o caralho...

Quer dizer que o filho da puta do deus, só por diversão ou vingança, mata crianças inocentes de fome no país os qual lhe "virou as costas"...

Então o deus cretino delegou aos católicos ou a esta ou aquela denominação religiosa um "contato" direto com o "chefe", enquanto os protestantes vão arder no inferno?

Ah, Marcel, tenha santa paciência, meu filho...aqui não, por favor...

Anônimo disse...

ei, da Mata, pode discordar sem apelar, ou eh muito dificil pra voce compreender a lei da causa e consequencia.

douglas da mata disse...

Meu filho, veja como você é covarde e desonesto intelectualmente, aliás, traço comum aos fundamentalistas da fé...


Olhe só:

O primeiro cacoete é dizer que não se trata de justificar seus "argumentos" com religião, bla, bla, bla, mas vai justamente por este caminho, e nos tasca que um país é próspero porque acredita em um tipo de deus, e outro, sofre por acreditar em outro.

Uma legítima e perfeita TEO-idiotice.

Boa parte das mortes do mundo em guerras estúpidas, boa parte das torturas e violências se deram sob este argumento defendido por você.

Mas como você coloca as coisas dentro de uma perspectiva, digamos, "polida" ou sem palavrões, você acha que sua fala é menos violenta que a minha...(segundo cacoete)...

Mais ou menos como se eu lhe dissesse que vou derramar o meu bolo fecal sobre as suas têmporas, hemiface direita e esquerda e colocar um pouco mais dentro de suas vias aérea.

Polido? óbvio, mas não menos violento.

Bem, filho, a única lei de causa e efeito que se aplica em você é um pouco mais complexa, e chamamos de dilema tostines:

você é burro porque é religioso, ou é religioso por que é burro?

Faça-nos um favor: mude de leitura e não se dê ao trabalho de comentar por aqui.

Um abraço.