domingo, 15 de dezembro de 2013

Apertem o cinto: vem aí...?

Os sinais vão se espalhando pelo mundo, e os arranjos institucionais e econômicos se rearrumam de acordo com as novas exigências globais do sistema capitalista, o noivo.

Novos acordos políticos, modificações territoriais e demográficas, que vão desde o Açu até a decisão chinesa de flexibilizar a política de controle de natalidade.

O planeta parece se arrumar para "receber" o mesmo pretendente de sempre, "o capitalismo", que repete ciclicamente seu comportamento: promete à noiva Terra e seus filhos (nós) uma relação de prosperidade, riqueza e paz com danos mínimos.

E toda vez, a cada crise, a Terra segue estuprada, a maioria dos seus filhos abusados, empobrecidos, e enfraquecidos, e uma minoria destes filhos cada vez mais rica e poderosa.

Os fluxos de capitais que retornaram aos seus donos desde 2008 estão babando para se espalhar pelo mundo novamente, de forma incontrolável (desregulamentada) e voluptuosa, condenando populações inteiras a barbárie e outras ao conforto e abastança.

Os conflitos do Açu, os problemas do rebaixamento ou aumento de preços de commodities (dumping/overshooting), o atrito entre os jogadores (players), os impactos sobre as cadeias governamentais, os conflitos fundiários, enfim, toda sorte de problemas que recaem sobre as comunidades como furacões ou terremotos, ou melhor, erupções vulcânicas, que tanto devastam, quanto modificam paisagens e ambientes.

São os desafios que vem por aí, adicionando mais carga dramática ao fato de que estes processos nunca dispensam guerras sanguinárias...

É bom começarmos a pensar qual será nosso papel, como nação, neste "novo" casamento do capitalismo com a Terra...




Um comentário:

Anônimo disse...

O casamento é antigo. Nos últimos 250 anos esta relação conflituosa experimenta crises cíclicas e sempre se renova na promessa de crescimento contínuo. A noiva, acredita.

O noivo, que já vem comendo a noiva há tempo, está certo de que mais uma vez vai contornar a crise, mesmo sabendo que ela retorna daqui há 5 anos.

Isto é que dá quando faltam pretendentes. Casa-se com o primeiro que aparece.