segunda-feira, 30 de setembro de 2013

O total desconhecimento do papel da Polícia, do debate, da luta de classes e do sindicalismo!

Não há dúvidas, para quem lê este blog, que o professor Marcos Pedlowski sempre foi um aliado tático na luta local por uma comunicação social que desafiasse os estamentos conservadores, e que sua capacidade analítica, somada a sua relativa coragem, nos fornecesse ingredientes para situá-lo no campo da ação progressista.

Não revejo, ao menos por enquanto, esta classificação...No entanto, como aprendizado para este blogueiro, está claro que os blocos políticos, por mais diminutos que pareçam, e ainda que nem se considerem como tais (blocos), detêm um caráter de heterogeneidade aguda.

Se na luta contra o Império X este blog quase sempre esteve junto ao blog do professor, é certo que em outras esferas do debate político, a diferença é clara.

Eu não quero acreditar que um cientista, um pesquisador laureado, professor de uma das mais importantes Universidades do Brasil, porque não dizer, do mundo, possa cometer tantos erros em um simples texto, tudo em nome da demarcação de um espaço político, ou pior, da sobrevivência política de uma ideia, que ele julga crucial na conjuntura política atual.

O texto está aqui.

Eu não creio que uma suposta "materialidade" possa encerrar debate algum, que fique claro...

Não sou cientista social, mas creio não ser preciso sê-lo para entender que a noção empiricista possa subjugar tudo mais em volta, como professa o professor.

Também não me iludo com o papel da Polícia em qualquer sociedade! Por razões óbvias, esta é uma das contradições que tento resolver TODOS os dias, pois sei que as instituições policiais, seja aqui, ou em Londres, vão, via de regra, agir em defesa das classes de controlam o Estado.

Foi assim também nas experiências ditas "socialistas", e seria deste modo até se Trotsky houvesse triunfado sobre Stálin.

O problema conceitual grave para mim é reproduzir na luta de classes o mesmo ranço violento da Polícia, e o que é pior: sem direção política ou mandato algum para fazê-lo...Sim, goste-se ou não, governadores são mandatários eleitos, cujas instituições atendem a sua autoridade, atributo indispensável da representatividade.

Por mais trágico que pareça, a Polícia detêm um monopólio para agir em defesa do Estado...É esta condição que nos permite, inclusive, apurar e punir os excessos cometidos...Já grupos fascistas mascarados não!!!!

A Polícia será violenta, classista, segregadora, e até homicida? Por certo, estranho seria se fosse ao contrário em uma sociedade onde cada uma destas premissas é celebrada na mais elementar relação cotidiana até nas supremas cortes, passando agora, de forma inédita, pelo discurso moralista da ultra-esquerda, que colocado em uma perspectiva histórica, nada mais é que um fascismo de coloração diferente...portanto, também extremamente violento e anti-democrático...

Ou seja: Sociedade violenta, Polícia idem...

Eu não li muito de Marx, apenas o essencial, mas desde garoto (e isto já vai muito tempo) aprendi que os limites economicistas da luta sindical impõem uma grave contradição na tentativa de fazer sindicatos como aríetes da luta política partidária, e que estas tentativas (de usar sindicato como partido), não raro, terminam por funcionar como justificativa do recrudescimento do aparato repressor, que por sua vez, afasta mais e mais os trabalhadores que não são sindicalistas profissionais...o que por derradeiro, enfraquece a luta pelos direitos econômicos dos trabalhadores, e que dilui ainda mais, pela frustração, sua percepção mais ampla sobre a luta de classes e a necessidade de mobilização em partidos de esquerda...

Em suma: um tiro no pé...

Eu só posso lamentar pelo que leio no blog do professor...




4 comentários:

Anônimo disse...

O cara removeu o blog depois do seu post ?

Anônimo disse...

Só o fato de blog do professor Pedlowski não permitir o comentário já demonstra bem o tipo de discussão que ele gosta.

Anônimo disse...

E tanto o senhor reclamou que ele tirou o Blog do ar. Pelo menos neste momento 30/09/2013 às 16h49min, o blog do professor Pedlowski está fora do ar. Não atribuo a decisão do pofessor às suas críticas, mas pode ter sido este um dos motivos. Não há mérito nisto, ao contrário. Mesmo discordando do professor em grande medida e muitas vezes com você também, acho uma perda se ele tomar esta decisão. O blog dele tem qualidades e o contraditório é saudável ainda que o embate seja duro.
Se o professor mantiver a posição, significaria ter sido pautado por uma discussão. Mera discussão.
E não suportar a crítica revelaria mais um traço de intolerância que todos nós temos um pouco. Nada que não possa ser combatido por nós mesmos.
Volte professor. O senhor fará falta.

douglas da mata disse...

Bom, nem sempre a instantaneidade da rede permite bons julgamentos...ou seja, apressado come cru...

a explicação foi dada pelo próprio pedlowski:

http://pedlowski.blogspot.com.br/2013/10/de-mudanca-mudando-para-continuar.html

Anônimo das 16:55, não entendi suas contradições (quer dizer, acho melhor nem entender).

Você louva o contraditório, a troca de críticas, e diz: "E tanto o senhor reclamou que ele tirou o blog do ar..."

Boca fechada não entra mosca, pois:

Nenhuma discussão é "mera" discussão.

Pedlowski não possibilitava contraditório no blog dele, logo, é aqui que eu conseguia estimular um debate que ele gosta de provocar, mas não dava chance de travarmos, ou pelo menos dificultava.