quinta-feira, 5 de setembro de 2013

Guerra de mentiras, vítimas de verdade!

A não ser para as vítimas, aliás, as únicas prejudicadas como sempre, eu pergunto: faz alguma diferença se há ou não armas químicas na Síria?

Claro que não!

Há muito tempo estes arranjos bélicos deixaram de ter a conotação que aprendemos nos livros de História, embora também naqueles eventos, como a II Guerra Mundial por exemplo, os interesses geopolíticos também se sobrepuseram a defesa dos princípios universais da Humanidade.

Mas o  fato é que agora, os organismos multilaterais, e os países envolvidos estabeleceram o cinismo e a hipocrisia como únicos instrumentos  de mediação nas relações internacionais.

É tudo uma questão de tempo, necessário para iludir a audiência com versões espetaculosas dos fatos, a fim de justificar mais e mais atrocidades, sempre praticadas em nome da "defesa" dos mais fracos!

Alguém se lembra como anda a situação na Líbia, do extinto Kadhaffi?

3 comentários:

Anônimo disse...

Bom, se foram ou não usadas armas químicas na Síria fazem uma ENORME diferença. Só não fazem pra gente a kms de distância. Mas supondo que tenha havido o que o sr. acha que a comunidade internacional e/ou a ONU deve fazer?

douglas da mata disse...

Acho que o sr não entendeu, não leu direito, ou eu não me expressei corretamente...ou as três hipóteses.

Eu disse que faz diferença para as vítimas. No entanto, neste "jogo", a bem estar delas pouco importa.

Pois para os argumentos necessários para legitimar uma invasão, seu sofrimento é mero efeito colateral, porque as invasões aconteceram e acontecerão, muito mais pelos interesses geopolíticos que pela defesa humanitária das vítimas.

Eu acho que a ONU e a "comunidade internacional" devem fazer o mesmo que fazem quando Israel despeja fósforo branco (um tipo de arma química) sobre a faixa de Gaza...

ops, eles não fizeram nada?

Pois é...a faixa de Gaza não tem petróleo e nem a Síria é fundamental no tabuleiro geopolítico como Israel...

Anônimo disse...

E a indústria bélica tem que esvaziar os estoques de vez em quando.