terça-feira, 6 de agosto de 2013

Se correr o bicho pega, se ficar...

Quem acreditou na encenação da demissão do comandante da PMERJ, deveria prestar mais atenção nas entrelinhas.

Não que ele não tenha sido demitido, isto é fato!

O que não foi dito é que, para quem conhece um pouquinho a área de segurança pública, é muito remota a hipótese do comandante da PMERJ anistiar infratores sem o conhecimento do secretário!

Como o troço deu chabu, sobrou para o (ex)comandante, preservando assim a figura do superior!

De todo jeito, para onde quer que se olhe, o episódio é desastroso, pois se fosse verdade que a anistia ocorreu sem a anuência do secretário, isto revelaria uma enorme falta de comando!

Um comentário:

Anônimo disse...

SECRETARIA DE SEGURANÇA-POLÍCIA MILITAR

Depois do comandante da Polícia Militar ter “anistiado” 421 PMs, houve uma pergunta: na hierarquia do governo, quem manda mais?

A resposta está nas televisões e nas manchetes dos jornais impressos. Mas o comandante da PM não foi demitido apenas por causa do saco de bondades.

Antes de dizer publicamente, “não comentarei as declarações do secretário”, deveria ter lido o manual da hierarquia.

Quando soube que ia ser demitido, telefonou para o governador, este não pôde atender, estava redigindo o “manual dos helicópteros”, cheio de truques e buracos negros.

E a última coisa que cabralzinho quer é bater de frente com Beltrame, o mais importante personagem do seu governo.