sábado, 6 de julho de 2013

Fé cega, faca amolada, e dinheiro público!

Destacamos para a página central o comentário de um leitor que chama nossa atenção para a promiscuidade no uso de dinheiro público de TODOS (religiosos ou não, ateus ou crentes) para sustentar eventos religiosos.

E depois este pessoal da CNBB e outros dementes vêm querer cagar regras sobre moralidade pública...Ora bolas, querem se manifestar, façam com seu próprio dinheiro!

"Anônimo disse...
Dinheiro público é muito bom.

JMJ: Prefeitura oferecerá estrutura para estrangeiros em Campos


A Prefeitura de Campos, através da Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Turismo, Fundação Cultural Jornalista Osvaldo Lima (FCJOL) e Fundação Municipal da Infância e da Juventude (FMIJ), vai oferecer toda a estrutura necessária para a estadia de um grupo de estrangeiros que chegará a Campos no próximo dia 15, para a II Semana Missionária da Jornada Mundial da Juventude.


Os peregrinos ficarão hospedados no Centro Educacional Nossa Senhora Auxiliadora,Colégios Salesiano e Laura Vicunha e receberão apoio na logística e alimentação.

Segundo o presidente da FMIJ, Thiago Ferrugem, serão oferecidos kits de café da manhã, almoço e jantar para cerca de 500 peregrinos. “Estaremos realizando um trabalho conjunto para que os estrangeiros sejam acolhidos da melhor maneira possível”, disse.

Os visitantes conhecerão o artesanato local, as danças típicas, a tradicional Cavalhada de Santo Amaro, além de visitar locais que remetem àhistória, à cultura e ao turismo de Campos. Eles estarão em Campos até o dia 21 de julho.

A prefeita Rosinha Garotinho determinou, através do decreto 094/2013, que todos os órgãos municipais apoiem os eventos da Jornada Mundial da Juventude que acontecerão na cidade.

A expectativa é receber milhares de jovens de todo o mundo, com programação variada em todo o país e também, em Campos."

5 comentários:

Anônimo disse...

Artigo 19 da Constituição Federal de 1988.

É vedado à União, aos Estados, ao Distrito Federal e aos Municípios:
I – estabelecer cultos religiosos ou igrejas, subvencioná-los, embaraçar-lhes o funcionamento ou manter com eles ou seus representantes relações de dependência ou aliança, ressalvada, na forma da lei, a colaboração de interesse público;

Não entendo qual a dificuldade de se interpretar esse mandamanto legal.

Igrejas ou religiões não podem ser bancadas com dinheiro público, sejam elas tradicionais ou emergentes. A laicidade não significa dizer que o Estado seja contra religião, seja ela qual for, pelo contrário, o Estado Laico incentiva a diversidade do culto religioso, sem que o ente estatal, e não as pessoas, mantenha com essas religiões ou seus representantes relações de dependência ou aliança. É o que diz o texto Constitucional que os governantes brasileiros teimam em desconsiderá-lo.

Igreja (religião) é para ser bancada por quem acredita nela, cuja percepção de acreditar nas suas doutrinas ou no seu lider religioso, é uma atribuição exclusiva do fiel.

Anônimo disse...

Dinheiro público nao deve ser investido em eventos religiosos.

Anônimo disse...

Proponho aos anônimos uma Proposta de Emenda Constitucional para acabar com os feriados santos. Proponho inclusive, já agora, começar a não guardar dia santo. Isso mesmo: antes da PEC dos feriados começaremos a trabalhar no natal, na terça feira de carnaval, no Corpus Cristhi, na sexta feira da paixão, no dia de N. S. Aparecida, em 8 de dezembro...
Também acho um absurdo o prejuízo que o governo tem com estes feriados religiosos seletivos.
Vamos trabalhar.

douglas da mata disse...

Caro comentarista.

Seu argumento é um desastre, por onde quer que olhemos:

Parte da premissa que se trabalha pouco por aqui: É mentira!

Nossa carga horária semanal é uma das maiores do mundo (44), sem contar as incontáveis horas (de TRABALHO) gastas no transporte de casa até o posto de serviço.

Se foram contabilizadas, nas grandes e médias cidades, teremos algo em torno de 60 horas/semana.

Os feriados religiosos não são o problema, ou melhor, nenhum feriado.

O problema é dinheiro PÚBLICO gasto com religião. ESTE É O TEMA EM DEBATE AQUI!!!!

douglas da mata disse...

PS:

Todos os países do mundo têm seus feriados religiosos, mas a questão é: Na maioria deles, não há exclusividade para UMA religião apenas!

Há, nos EEUU, por exemplo, o feriado judeu, muçulmano, etc...

Um estado LAICO não significa, como um comentarista disse por aqui, um Estado CONTRA as religiões.

Não é nada disto.

É um Estado que não gasta dinheiro do contribuinte com cultos e manifestações religiosas, que não isenta igrejas de pagarem seus impostos, etc.