sábado, 27 de julho de 2013

A igreja e as crianças!

Nossa singela homenagem aos seguidores do carpinteiro bastardo, no traço corrosivo de Allan Sieber:

5 comentários:

Anônimo disse...

Essa é uma exceção, tomada maldosamente como regra.

douglas da mata disse...

Não, não é, infelizmente uma exceção.

Ela se espalha desde a Nova Zelândia, passando pela Europa e aportando nos EEUU e América Latina.

O problema não é a conduta pessoal abominável dos criminosos de batina, mas o acobertamento institucional (o silêncio omisso, a cumplicidade...) que jogou a igreja na mesma vala dos violadores e abusadores de crianças.

Esta é a questão que os fieis não querem enxergar.

A igreja, como entidade vertical e hierárquica (obediência irrestrita) não pode usar o discurso do comportamento excepcional dos seus integrantes, ainda mais quando se trata de uma instituição que sobrevive como pretensa orientadora "espiritual" e portadora da "verdade".

Por ai não dá, tenta outra...

Anônimo disse...

Douglas,
As igrejas evangélicas fazem um barulho estrondoso nos bairros residências da cidade. Você saberia dizer se existe alguma lei municipal que impeça este desrespeito a lei do silêncio?
abraço

douglas da mata disse...

O decreto lei nº 3688/41 ou seja, a lei de contravenções penais tem em seus artigos a punição a perturbação do sossego ou descanso alheio.

Esta medida é na esfera criminal, você terá que fazer registro da Delegacia, com testemunhas, etc.

Outra medida é provocar a seção de postura da prefeitura, já que os estabelecimentos devem ter alvarás que delimitem o horário e a forma de funcionamento.

Anônimo disse...

Muito obrigado.