sábado, 8 de junho de 2013

Que tipo de gente é esta?

Bom, ao ler este texto no blog do Nassif confesso que fiquei chocado, mas apenas por alguns segundos, pois afinal, o comportamento usual e recente do Ministério Público tem nos revelado que este tipo de manifestação não é mais exceção à regra.

Talvez a novidade seja que as exposições públicas de tom fascista tenham se tornado cada vez mais comuns, com a amplificação promovida pelos terrenos cybernazistas, como o feicebuquistão e os emirados do twitter.

Operações espetaculosas, descumprimento da Constituição através de investigações penais indevidas, conluio com bandidos, como foi o caso do procurador-geral com demóstenes, cachoeira, daniel dantas e a revista "óia", dentre tantas outras demonstrações, são evidências de que o MP, quer seja em nível federal, quer seja em nível estadual, perdeu-se no caminho da construção de sua legitimidade como fiscal da Lei, e defensor da coletividade.

Leiam e se perguntem comigo: e se fosse um policial a escrever um absurdo destes, o que diriam os nobres promotores?

O promotor que fala demais

Por Marco T.
As redes socias são uma maravilha!..
Vejam isso. Promotor da justiça de São Paulo, um indíviduo com a alcunha de Rogério Zagallo desabafa no facebook para a sua turba de celerados...
Reparem no "nível" intelectual do cidadão e no pedido que ele faz a Polícia Militar de SP. e ele ainda chama os manifestantes de "petistas", quando não havia ninguém do PT no evento do PSOL e PSTU.


3 comentários:

Anônimo disse...

No primeiro momento chego a não acreditar que foi um promotor que escreveu isso. Mas, ato contínuo, me vem a mente a condição humana e as nossas misérias cotidianas.
É nos momentos de crise que vemos a verdadeira face das pessoas.
O sacripanta (como está na moda escrever) acredita que o tribunal do juri é dele. Sequer passou pela cabeça do bisonho promotor que o cargo e todo o poder que ele detém, vem da horda de desordeiros que impede seu carro importado de avançar...

Concurso público é a maneira mais democrática para acesso aos cargos públicos. Mas certamente não é a mais eficiente. Coloca nazistas para escolher destinos de judeus.

Claro, ficar duas horas preso no trânsito para chegar em casa é uma merda. Se o doutor Zagallo detesta estes percalços da cidade grande, deveria ter escolhido o concurso para delegado de Umbuzeiro.

Anônimo disse...

Como se pudesse , ele, arquivar inquerito

douglas da mata disse...

Bem observado...diante de tantas asneiras, eu até esqueci este detalhe "técnico".

Bom, mas depois do "meu tribunal", "arquivar" inquérito é moleza...