sexta-feira, 7 de junho de 2013

Outras planícies!

Território livre? Para quem?

Prism
Adicionar legenda
Um slide mostrado pelo The Guardian do Programa PRISM


Só os mais ingênuos acreditaram que a internet seria um campo neutro e libertário, onde os desdobramentos das disputas de poder e dos interesses geopolíticos não influenciassem o fluxo de informações contidas na rede mundial de computadores.

Várias lendas, teorias da conspiração, e outras suspeitas factíveis já trataram do assunto.

Mas agora ele assume contornos reais.

A NSA e o FBI (Agência Nacional de Segurança e a Polícia Federal dos EEUU, respectivamente) estão implicados em um rumoroso caso de espionagem em cumplicidade com os gigantes do setor, como Google, Facebook, Microsoft, Skype, YouTube, etc, onde foi revelada a existência do programa PRISM.

De fato, a legislação dos EEUU prevê a entrega de dados, inclusive de cidadãos estrangeiros fora do território estadunidense, como prevê a Seção 702 do FISA, sigla para Foreign Intelligence Surveillance Act (Ato de Vigilância, Inteligência Estrangeira).

Ou seja, desde que vinculados a um pedido formal, sendo que este deve ser motivado por algum tipo de investigação ou procedimento oficial, as autoridades de segurança podem requisitar as informações.

No entanto, como temiam alguns parlamentares, dentre outros envolvidos neste debate, o governo dos EEUU "contrabandeou" um amplo programa de espionagem, que atingiu indistintamente, de forma aleatória, sem quaisquer controles ou procedimentos, dados de milhões de pessoas.

Tudo através do PRISM, que permite o acesso direto dos operadores de inteligência, ao  invés do processo legal que prevê a requisição!

Este aplicativo permite que estas agências tenham acesso a todo tipo de arquivo gerado e transmitido.

Tudo em nome, como sempre, da "Segurança Nacional".

As reportagens do Washington Post, The Independent, The Guardian e El Pais, mostram que ao menos duas empresas , enquanto outras negaram que as autoridades tivessem acesso direto aos dados, mas disseram que  apenas transmitiam estes dados quando requisitados!

Você também pode ler aqui o que publicou, desde ontem, o Blog do Pedlowski sobre o assunto.

Nenhum comentário: