terça-feira, 18 de junho de 2013

Notas do "manifesto coleção outono-inverno!"

Enquanto resistem a baratear os preços das passagens no RJ, cabral e paes discutem como viabilizar o passe livre para os peregrinos católicos durante a visita do chefe da igreja dos pedófilos. O prejuízo aos bolsos dos contribuintes, incluindo aí os não-católicos? Mais de 70 milhões!

O maior incentivador da mobilização não foi outra coisa a não ser a truculência da PM! Onde bateram mais, mais gente apareceu!

Tragicômica a manobra contorcionista das mídias corporativas, que enxergaram na adoção dos vinagretes a possibilidade de desgaste do governo federal.

Tragicômica a falta de direção política dos movimentos, que permite esta "incorporação" pelos setores conservadores. 
São como uma enorme colônia de mofo do maio de 68. Um tipo estranho de "queremos tudo ao mesmo tempo agora", mas sem nenhum estofo intelectual para provocar as estruturas.

Beira ao fascismo a rejeição aos partidos políticos, como se pudéssemos resolver os problemas da representatividade democrática no sistema atual, justamente, acabando ou enfraquecendo partidos.

Afinal, quem dará conta desta contradição: Como encaminhar uma pauta política (gastos do Estado, saúde, educação, segurança, direito ao Play Station 4, etc) reivindicando-se anti-políticos?


Aguardemos...


Nenhum comentário: