sexta-feira, 14 de junho de 2013

Enquanto isso em Campos: As milícias do feicebuquistão!

Leiam o texto que circula em um destes porões fascistas do feicebuquistão.

Um chamado cifrado a população a fazer justiça com as próprias mãos, aumentando a onda de violência sob o pretexto de combatê-la.

Será o embrião de alguma milícia ou partido neonazista local?

"Faroeste Cabrunco - Sinopse: Houve um dia, que uma remota cidade no interior do estado do Rio, foi assolada por uma onda de violência, assaltos, assassinatos, etc. Eis então que o Soldado da Praça, morador ilustre da praça da cidade, vendo tudo aquilo ali, acontecendo diante dos seus olhos, desce do pedestal que o sustentava, e vai a luta com seu fuzil, contra a marginalidade."


5 comentários:

Anônimo disse...

Douglas, gostaria de ler suas ideias sobre as manifestações que estão ocorrendo em todo o Brasil.

Pontualmente trata-se do reajuste das passagens de ônibus e a péssima contraprestação dos serviços à população. Porém, vejo também um início de organização da consciência política da juventude, que talvez estivesse precisando de alguma coisa para ir para rua...
E agora já tem.

Estas manifestações talvez sejam o início de um contexto para toda uma luta contra o sistema capitalista, que travestidos na pele de cordeiro, transforam a gestão das cidades em um negócio.

O sistema está começando a ser desmascarado?

Abs.

Fernando

douglas da mata disse...

Fernando,

Eu não sou tão otimista quanto a esta possibilidade(de que os jovens militantes comecem a questionar aspectos estruturais do capitalismo).

O que mais chama a atenção nestes movimentos, seja aqui em SP, RJ, ou Porto Alegre, ou Istambul, ou em Atenas, é a total falta de direção política.

Isto não quer dizer que não possam surgir daí movimentos políticos interessantes, porque no início, todos movimentos desta natureza se confundem por esta espontaneidade.

Mas a maturação destes movimentos requer mais que a disposição juvenil de estar nas ruas(embora esta visibilidade seja fundamental).

Requer a articulação dos movimentos orgânicos, próprios da juventude, como o movimento estudantil, com os demais que participam da luta anti-capitalista, como sem-teto, sem-terra, sindicatos, etc, e óbvio, partidos.

E sinceramente, não vejo nestas instâncias a capacidade de se renovarem para vocalizar este descontentamento.

Talvez a necessidade faça estas esferas de representatividade reciclarem seus métodos, para que possam se tornar convidativos novamente.

Um abraço.

Anônimo disse...

O Globo de ontem, em página inteira, mostra como estão as empresas do homem que só falava em dinheiro e dimensão: “Em um ano serei o mais rico do Brasil, em três, o mais rico do mundo”. Agora tem patrimônio de 81 bilhões e dividas de 81 bilhões.

Tenta desesperadamente encontrar sócios para o Hotel Glória, parte mínima do seu ex-império. Não responde ao Santander, que publicou: “Em 2014, Eike não terá mais caixa”. E o BNDES, quando receberá? Sua principal empresa valia uma fábula na Bolsa, agora é apenas lixo.

Anônimo disse...

Quem mandou lula apostar no goldfinger tupiniquim? Deu no que deu.

douglas da mata disse...

Tudo bem, eu concordo que Lula não deveria ter apostado suas fichas no "campeão X", mas agora eu pergunto:

Que raios este comentário tem a ver com o assunto do post?