terça-feira, 18 de junho de 2013

As finanças do Estado do Rio de Janeiro à beira do abismo?

Primeiro a notícia de que o Estado só "rodou" a folha de pagamento dos servidores mediante um adiantamento do Bradesco de 600 milhões.

Agora, o atraso do pagamento dos terceirizados. Nas delegacias, por exemplo, os policiais têm se cotizado para arranjar algum para o pessoal da limpeza, há dois meses sem salários.

Nas UPA, o caso se repete. Não sei se os médicos são tão solidários quanto policiais, mas isto não vem ao caso.

O fato é que o governo do Estado torrou dinheiro para dar aos mega-empresários, reformou o Maracanã para vendê-lo a preço de banana, renunciou a impostos, etc.

No momento de maior folga, ao invés de reforçar seu caixa, e investir naquilo que realmente dá razão de existir ao Estado, ou seja, seus serviços públicos e seus servidores, o Estado distribuiu aos ricos, como um Robin Hood de sinal trocado.

Agora vem o arrocho, e claro, quem será chamado a pagar a conta (e o pato) são os de sempre: Os serviços públicos e os servidores!

Com um passivo destes, o candidato pesado não decola nem a pau, Juvenal.

Nenhum comentário: